CVM aprova mais um ETF da Hashdex e Brasil será o primeiro país da América Latina a ter dois ETFs de Ethereum

LinkedIn

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aprovou mais um ETF de Ethereum que passará a ser negociado na Bolsa de Valores, B3. Assim, com a aprovação o Brasil passará a ser o primeiro país da América Latina a ter dois ETFs de ETH.

No caso da Hashdex o produto será negociado com o ticker ETHE11 e deve ser disponibilizado para negociação na B3 ainda em agosto, segundo informou a empresa.

“A novidade chega um dia depois que a Hashdex divulgou o lançamento do ETF 100% Bitcoin (BTC) com pegada sustentável (que vai espelhar um fundo que busca neutralizar as emissões de carbono derivadas da mineração da moeda digital)”, destacou a empresa por meio de um comunicado.

Segundo o Cointelegraph, o administrador do ETF da Hashdex será o Banco Genial e a empresa brasileira também conta com parceria com a Nasdaq na elaboração do produto que será negociado no Brasil.

ETF de Ethereum 

O ETF de Ethereum da Hashdex será o segundo do tipo no Brasil que também passará a contar com um produto igual lançado primeiramente pela QR Asset Management sob o ticker QETH11.

O QETH11, replica o preço do Ethereum seguindo o índice CME CF Ether Reference Rate, um dos mais amplos e seguros do mercado, que é usado pela Chicago Mercantile Exchange Group – maior bolsa de derivativos do mundo. O QETH11 recebeu aprovação inicial da CVM no dia 28 de junho.

“Os reguladores brasileiros estão reconhecendo o amadurecimento do mercado de criptoativos e entendem a importância de oferecer produtos regulados para os investidores explorarem essa nova classe de ativos. Esperamos que esses movimentos aqui no Brasil estimulem a SEC a aprovar o primeiro ETF de cripto dos EUA. Com o ETF de Ethereum nós damos continuidade a nossa estratégia de oferecer produtos monoativo para que o investidor tenha autonomia de montar sua carteira como preferir investindo nos dois maiores ativos digitais do mundo pelo mercado regulado, de forma segura e simples.”, afirmou ao Cointelegraph, Fernando Carvalho, CEO da holding QR Capital.

Por Cassio Gusson

Deixe um comentário