A empresa espacial Momentus começa a negociar na Nasdaq, com novo CEO após turbulenta fusão SPAC

LinkedIn

A empresa espacial Momentus (NASDAQ:MNTS) estreou na Nasdaq na sexta-feira (13), completando um processo de fusão turbulento de quase um ano que resultou em um novo CEO e na saída de seus fundadores.

“Em termos de valor para os investidores, acho que estamos bem posicionados para atender a algumas grandes tendências do mercado”, disse o CEO da Momentus, John Rood, que começou a liderar a empresa em 1º de agosto. “Há uma necessidade do que oferecemos.”

As ações da Momentus caíram até 9% nas negociações em relação ao fechamento anterior de US$ 10,97.

A empresa concluiu esta semana sua fusão com a Stable Road Capital, uma empresa de aquisição de propósito específico, ou SPAC. A SPAC levanta dinheiro de investidores por meio de uma oferta pública inicial e, em seguida, usa o dinheiro para adquirir uma empresa privada e torná-la pública.

O caminho da Momentus para o mercado público tem sido enfrentado em várias frentes, com missões agora adiadas para meados de 2022, no mínimo. As preocupações com a segurança nacional sobre seus co-fundadores russos, o ex-CEO Mikhail Kokorich e Lev Khasis, levaram ambos a vender suas participações – em troca de “cerca de US$ 40 milhões”, disse Rood – e a deixar a empresa.

A avaliação da Momentus foi então cortada pela metade, de US$ 1,1 bilhão para US$ 567 milhões. E então, no mês passado, a firma e a Stable Road liquidaram acusações da Securities and Exchange Commission de que as empresas enganaram investidores e falsificaram os resultados de um teste de protótipo de nave espacial de 2019, pagando cerca de US$ 8 milhões em penalidades civis.

A empresa esperava ter US$ 310 milhões em seus livros para crescer após a fusão da SPAC, mas as complicações do processo reduziram esse caixa para cerca de US$ 150 milhões “para financiar nossas operações”, disse Rood.

“Achamos que isso nos dá ampla margem de manobra para realizar nosso trabalho de desenvolvimento adicional, aumentar a equipe e algumas das outras coisas que precisamos fazer”, disse Rood.

Rood descreveu a Momentus como uma “empresa de tecnologia em estágio inicial”, pois agora está testando uma nova variação de seus motores de plasma à base de água, chamada de Propulsor Eletrotérmico de Microondas.

O propulsor é fundamental para o plano de negócios da Momentus, que envolve o transporte de satélites de foguetes para órbitas específicas usando uma espaçonave chamada Vigoride. A espaçonave consiste em uma estrutura, um motor, painéis solares, aviônicos e um conjunto de implantadores de satélites e é especialmente projetada para satélites que pegam uma carona em grandes foguetes, uma prática cada vez mais popular na indústria, chamada de ridesharing.

A empresa havia planejado lançar sua primeira missão Vigoride no início deste ano, mas a revisão da segurança nacional em andamento levou à remoção da espaçonave dos lançamentos de compartilhamento de veículos da SpaceX. O atraso também levou à perda de clientes da Momentus, com sua carteira de contratos caindo de US$ 90 milhões para US$ 66 milhões.

O ex-CEO Kokorich supostamente deixou o país e não acertou as acusações da SEC contra ele.

“Não temos negócios com Mikhail Kokorich ou outros fundadores da empresa. Na verdade, nosso acordo de segurança nacional com o Departamento de Defesa proíbe isso”, disse Rood.

Questionado sobre se a Momentus ou alguém de sua equipe está se comunicando com Kokorich desde que ele saiu, Rood disse que as conversas não são profissionais ou tecnológicas.

“Se eles estão [conversando com Kokorich], é de natureza social e somos obrigados a registrá-lo”, disse Rood.

Embora a Momentus tenha revisado suas previsões financeiras, a empresa ainda tem uma meta ambiciosa de mais de US$ 2 bilhões em receita até 2027. A empresa não registrou receita no ano passado, espera o mesmo este ano e apenas US$ 5 milhões em 2022.

A empresa espera ser lucrativa com base no EBITDA até 2024, uma meta que exigirá que a Momentus voe 26 missões naquele ano. Rood disse que a Momentus – enquanto trabalha para resolver as preocupações do Pentágono e adquirir uma licença de lançamento – construiu duas espaçonaves Vigoride e trabalhará em mais quando terminar os testes.

“Estamos em processo de montagem, teste e qualificação de veículos Vigoride adicionais”, disse Rood.

As primeiras missões da Momentus funcionarão como testes de Vigoride e transportando satélites de clientes pagantes, observou ele. A empresa está descontando seus preços para esses clientes.

“Estamos tentando torná-lo mais atraente para os clientes desde o início”, disse Rood.

Uma chave adicional para o sucesso da Momentus é a disponibilidade e o custo dos lançamentos, com o primeiro tendo aumentado constantemente e o último diminuindo nos últimos anos – em grande parte devido aos lançamentos de compartilhamento de transporte que o SpaceX de Elon Musk está oferecendo em seus foguetes Falcon 9.

“Temos um acordo com a SpaceX e estamos no estágio … onde podemos obter a luz verde do governo federal para nossas licenças de lançamento, então poderemos reservar um manifesto em um foguete SpaceX e ir com eles” disse Rood.

Sua parceria com a SpaceX é “muito valiosa e algo que premiamos”, acrescentou Rood. Mas o Momentus não pode depender de apenas um meio de chegar ao espaço, então Vigoride foi projetado para ser “agnóstico em relação ao veículo de lançamento”, disse Rood, e “há outros fornecedores com quem estamos falando”.

Por Michael Sheetz/CNBC

Deixe um comentário