Dólar fecha em alta em meio a tensão política interna e Fed

LinkedIn

O dólar comercial encerrou o dia em alta de 1,99% sendo cotado a R$ 5,375 para venda e a R$ 5,374 para compra, esta expressiva alta se deve à ata da reunião do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), sinalizando que os estímulos à economia, por ora, estão inalterados e, principalmente, pelas incertezas no cenário interno, com o governo concentrando esforços na aprovação da reforma tributária e Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos precatórios.

Segundo a economista-chefe da Veedha Investimentos, Camila Abdelmalack, “o mercado está estressado com a incerteza das contas pública e coloca em dúvida a credibilidade da política fiscal do governo”. A economista é enfática ao dizer que o “ambiente político dificuldade qualquer aprovação”, referindo-se ao novo imposto de renda e PEC dos precatórios.

“Estamos aguardando estes desdobramentos ao longo do mês de agosto. Enquanto isso não terminar, vamos continuar vendo esse prêmio de risco na taxa de juros, o câmbio desvalorizado e o mercado patinando”, projeta Abdelmalack.

De acordo com o especialista em investimentos da Portofino, Thomás Gibertoni, “existe uma preocupação global com o crescimento e isso afeta os ativos de maior risco, que são os mercados emergentes”.

Não bastasse isso, os problemas domésticos parecem não arrefecer: “Temos sofrido mais que outros mercados emergentes. Com a implementação do novo auxílio, que não tem espaço para acontecer, vamos enfrentar um grande problema pela frente”, pontua Gibertoni. “Não se discute algo para solucionar o teto fiscal, mas sim para burlá-lo”, lamenta.

Para o estrategista de renda variável da Ouro Preto Investimentos, Bruno Komura, “o discurso do Fed não deve ter grandes surpresas, e os estímulos devem continuar por mais algum tempo”. Para Komura, a quarta-feira terá outro tom: “O começo de semana foi muito intenso, e agora a tendência é de menos volatilidade”, pontua.

Já no âmbito interno, o adiamento em uma semana da votação da reforma do imposto de renda na Câmara dos Deputados é mais um desdobramento da dificuldade do Planalto em dialogar com os demais Poderes. “Caso [a reforma] seja aprovada, será muito desidratada. O governo dá sinais de que não irá comprar essa briga”, disse. Komura, contudo, sublinha a questão política: “A briga entre os Poderes está muito mais latente do que a questão fiscal”.

Na mínima do dia chegou a R$ 5,264 e na máxima a R$ 5,377. No mercado futuro, o contrato da moeda norte-americana com vencimento em setembro de 2021 avançava 0,70%, cotado a R$ 5.543,00.

Acompanhe as altas e baixas do dólar nos últimos dias:

Data Compra Venda Variação Variação
02/08/2021 5,1648 5,1653 -0,856% -0,0446
03/08/2021 5,1917 5,1927 0,531% 0,0274
04/08/5021 5,1853 5,1858 -0,133% -0,0069
05/08/2021 5,2146 5,2156 0,575% 0,0298
06/08/2021 5,2358 5,2363 0,397% 0,0207
09/08/2021 5,2468 5,2473 0,21% 0,011
10/08/2021 5,1962 5,1967 -0,964% -0,0506
11/08/2021 5,2207 5,2212 0,472% 0,0245
12/08/2021 5,2559 5,2564 0,674% 0,0352
13/08/2021 5,2441 5,2451 -0,215% -0,0113
16/08/2021 5,2802 5,2807 0,679% 0,0356
17/08/2021 5,2696 5,2696 -0,201% -0,0106
18/08/2021 5,3744 5,3749 1,989% 0,1048

💵 Está pensando em viajar? Faça a conversão de moedas gratuitamente!

🇧🇷 – US$ 1 = R$ 5,37
🇪🇺 – US$ 1 = €$ 0,85
🇬🇧 – US$ 1 = £$ 0,72

Gráficos GRATUITOS na br.advfn.com

(Com informações da TC,  UOl e Agencia CMA)

Deixe um comentário