Confira os Indicadores Econômicos desta terça-feira (10/08/2021) - IPCA, Copom, Índice Zew…

LinkedIn

Confira os principais indicadores econômicos de hoje, em destaque o cenário externo, a evolução da variante Delta da Covid-19 adiciona risco à recuperação da economia global. O Comitê avalia que, a despeito dos movimentos recentes nas curvas de juros, ainda há risco relevante de aumento da inflação nas economias centrais. Ainda assim, o ambiente para países emergentes segue favorável com os estímulos monetários de longa duração, os programas fiscais e a reabertura das principais economias.

Brasil

  • IPCA de julho apresentou alta de 0,96%, maior variação desde julho 2002

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de julho apresentou alta de 0,96%, 0,43 ponto percentual (p.p.) acima da taxa de 0,53% registrada em junho. Essa é a maior variação para um mês de julho desde 2002, quando o índice foi de 1,19%.

No ano, o IPCA acumula alta de 4,76% e, nos últimos 12 meses, de 8,99%, acima dos 8,35% observados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em julho de 2020, a variação mensal havia sido de 0,36%.

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, oito apresentaram alta em julho. A maior variação (3,10%) e o maior impacto (0,48 p.p.) vieram de Habitação. A segunda maior contribuição (0,32 p.p.) veio do grupo Transportes (1,52%), que acelerou em relação ao mês anterior (0,41%).

Na sequência, veio Alimentação e bebidas (0,60% e 0,13 p.p.), cujo resultado também ficou acima do registrado em junho (0,43%). Por sua vez, o grupo Saúde e cuidados pessoais (-0,65%) apresentou queda e contribuiu com -0,09 p.p. no índice geral. Os demais grupos ficaram entre o 0,12% de Comunicação e o 0,78% de Artigos de residência.

  • Ata Copom: Inflação é persistente com composição mais desfavorável

No cenário externo, a evolução da variante Delta da Covid-19 adiciona risco à recuperação da economia global. O Comitê avalia que, a despeito dos movimentos recentes nas curvas de juros, ainda há risco relevante de aumento da inflação nas economias centrais. Ainda assim, o ambiente para países emergentes segue favorável com os estímulos monetários de longa duração, os programas fiscais e a reabertura das principais economias.

Em relação à atividade econômica brasileira, os indicadores recentes continuam mostrando evolução positiva e não ensejam mudança relevante para o cenário prospectivo, o qual contempla recuperação robusta do crescimento econômico ao longo do segundo semestre.

As diversas medidas de inflação subjacente apresentam-se acima do intervalo compatível com o cumprimento da meta para a inflação.

As expectativas de inflação para 2021, 2022 e 2023 apuradas pela pesquisa Focus encontram-se em torno de 6,8%, 3,8% e 3,25%, respectivamente.

  • IPC-Fipe subiu 1,18% na primeira quadrissemana de outubro

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação na cidade de São Paulo, subiu 1,18% na primeira quadrissemana de outubro, acelerando em relação à alta de 1,02% observada no mês de julho, segundo dados publicados nesta terça-feira pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Quatro dos sete itens do IPC-Fipe apresentaram variação positiva: Habitação (de 1,28% na quarta quadrissemana de julho a 1,39%); Alimentação (de 1,52% a 1,92%); Transportes (de 0,79% a 0,95%); e Despesas Pessoais (de 0,69% a 0,87%). Por outro lado, as altas de Saúde (de 0,18% a 0,04%); Vestuário (de 0,38% a 0,22%); e Educação (de 0,20% a 0,09%) desaceleraram.

Europa

  • Índice Zew de sentimento econômico da Alemanha cai a 40,4 pontos em agosto

O índice de confiança dos analistas financeiros e investidores na economia da Alemanha caiu 22,9 pontos em agosto ante o mês anterior, para 40,4 pontos, na terceira queda desde maio, desta vez de forma mais forte, segundo dados divulgados pelo Zentrum für Europaische Wirtschaftsforschung (Zew). O índice que mede a avaliação da atual situação econômica alemã avançou 7,4 pontos, para 29,3 pontos.

“As expectativas diminuíram pela terceira vez consecutiva. Isso aponta para riscos crescentes para a economia alemã, como de uma possível quarta onda de covid-19 a partir do outono ou uma desaceleração do crescimento na China”, de acordo com o presidente do ZEW, professor Achim Wambach.

  • Índice Zew de sentimento econômico da zona do euro cai a 42,7 pontos em agosto

O índice de confiança dos analistas financeiros e investidores na economia da zonda o euro caiu 18,5 pontos em agosto ante o mês anterior, marcando 42,7 pontos, segundo dados divulgados pelo instituto de pesquisas Zentrum für Europaische Wirtschaftsforschung (Zew).

O índice que mostra a avaliação da atual situação econômica na região subiu 8,6 pontos na mesma base de comparação, para 14,6 pontos.

Já as expectativas de inflação recuaram 27,4 pontos, em paralelo com as expectativas econômicas. O indicador de inflação atual atualmente está em 42,2 pontos.

Estados Unidos

  • Produtividade da mão de obra nos EUA subiu 2,3% no segundo trimestre

A produtividade nos Estados Unidos, que é a medida de quanto os trabalhadores fora do setor rural do país produzem por hora, subiu 2,3% no segundo trimestre em relação ao trimestre anterior, em dado anualizado, segundo leitura preliminar do Departamento do Trabalho do país. O custo por unidade de trabalho teve alta de 1,0% na mesma base de comparação.

Analistas previam alta de 3,7% na produtividade do segundo trimestre e de avanço de 0,8% nos custos trabalhistas.

No primeiro trimestre, a produtividade havia subido 4,3% e o custo de mão de obra havia caído 2,8%. Ambos os dados foram revisados, já que a publicação anterior mostrava alta de 5,4% na produtividade e crescimento de 1,7% nos custos

. No segundo trimestre, a quantidade de horas trabalhadas subiu 5,5% ante os três meses anteriores, enquanto a produção cresceu 7,9%. A remuneração por hora trabalhada caiu 4,8%, descontando os efeitos da inflação. Já na comparação com o mesmo período de 2020, a produtividade da mão de obra norte-americana subiu 1,9% no segundo trimestre e os custos trabalhistas tiveram alta de 0,1%. As horas trabalhadas avançaram 13,6%, a produção cresceu 15,8% e a remuneração por hora regrediu 2,7%.

Deixe um comentário