Mineração de bitcoin em breve será 12% mais difícil

LinkedIn

A dificuldade para a mineração de bitcoin (BTC) está prestes a atingir dois dígitos, à medida que a taxa de hashes da rede se recupera. Com base nos intervalos atuais de produção de blocos, o próximo ajuste da dificuldade de mineração deverá acontecer nas próximas 24 horas, com um aumento de 12%.

Isso acontece no momento em que a taxa de hashes se recupera após as proibições da China relacionadas à mineração cripto. A média semanal de poder de hashes que asseguram o maior blockchain do mundo está, atualmente, em 126 exahashes por segundo (EH/s).

Esse valor representa um aumento de 20% em comparação com o de final de julho, quando a rede havia começado a se recuperar, e é 40% maior em relação aos 90 EH/s, o menor valor dos últimos meses, registrado no início de julho.

No entanto, a média atual de poder de hashes está 30% menor, se comparada ao maior valor recente, de 180 EH/s, anterior às proibições do país asiático.

Mineradoras de bitcoin ficam com a maior fatia

Após as proibições da China e a queda na taxa de hashes, mineradoras de bitcoin em todas as partes do mundo aproveitaram o aumento de suas participações no mercado multibilionário.

Na semana passada, grandes mineradoras de bitcoin norte-americanas divulgaram ganhos recorde no segundo trimestre deste ano e deverão continuar quebrando recordes na produção para o terceiro trimestre, apesar do aumento das dificuldades na mineração da rede.

O The Block noticiou anteriormente que várias grandes empresas de mineração de bitcoin nos Estados Unidos e no Canadá mineraram, em média, 58% mais bitcoin em julho que em junho, devido ao fechamento de suas concorrentes na China.

O sucesso dessas empresas não para por aí. Dados públicos mostram que as recompensas mineradas da Marathon Digital (MARA), Riot Blockchain (RIOT), Argo Blockchain (ARB.L), Bitfarms (BITF), Hut8 (HUT.TO) e CleanSpark (CLSK), somente em julho, correspondem a quase metade de suas produções de todo o segundo trimestre deste ano.

Além disso, dados do blockchain mostram que Mara Pool, o pool de mineração própria de bitcoin da Marthon Digital Mining, uma das duas maiores mineradoras de BTC na América do Norte, já minerou 51 blocos somente neste mês.

Isso significa que as recompensas de bloco da Marathon, em agosto, já acumularam 324 bitcoins, incluindo subsídios de blocos e taxas de transação. Com 442 bitcoins minerados em julho, a produção do terceiro trimestre já ultrapassou a do trimestre anterior.

Enquanto isso, a participação de mercado das empresas mencionadas anteriormente, em relação ao total de recompensas de bitcoin, era de 2,51% no primeiro trimestre, 3,99%, no segundo trimestre, e 6,93% somente em julho.

Deixe um comentário