Gol precifica colocação de notes sênior garantidas no valor total de US$150 milhões

LinkedIn

A Gol precificou uma colocação de notes sênior garantidas no valor total de US$150 milhões, com juros remuneratórios de 8,000% ao ano e vencimento em 2026, como parte de uma emissão adicional e consolidada com as notes sênior garantidas da GOL Finance emitidas em 23 de dezembro de 2020 e em 11 de maio de 2021, no valor total de US$ 200 milhões e US$ 300 milhões, respectivamente, com juros remuneratórios de 8,000% ao ano e vencimento em 2026.

O fato relevante foi feito pela companhia (BOV:GOLL4) nesta quinta-feira (23).

O preço de emissão das Notes Adicionais é 100,750%, representando uma taxa de retorno até o vencimento de 7,728%. A Moody’s atribuiu um rating de B2 às Notes. Os compradores das Notes Adicionais deverão pagar os juros acumulados de 30 de junho de 2021 (inclusive) até a data da entrega das Notes Adicionais (exclusive), as quais esperamos que sejam entregues até 28 de setembro de 2021.

As Notes terão vencimento em 30 de junho de 2026, poderão ser liquidadas antecipadamente a partir de 24 de dezembro de 2022 e serão garantidas por alienações fiduciárias sobre substancialmente toda a propriedade intelectual da GOL, incluindo patentes, marcas, nomes de domínios, e as peças de reposição (spare parts) de aeronaves localizadas no Brasil.

As garantias reais das Notes, em conjunto com outras garantias que podem ser adicionadas ao pacote de garantias reais pela GOL, estão disponíveis para servirem como garantia real em outras emissões de dívida garantida (senior secured debt) ou de dívida garantida conversível (senior secured exchangeable debt) da GOL, no âmbito do programa de emissão de dívida garantida da GOL, o qual é destinado para complementar as emissões de bonds não garantidos da GOL e trazer mais eficiência e diversidade à estrutura de capital da GOL.

A GOL utilizará os recursos oriundos da oferta das Notes Adicionais para finalidades corporativas em geral, incluindo aquisições oportunas de aeronaves e capital de giro.

Deixe um comentário