Ultrapar anunciou um plano extenso de sucessão do seu conselho de administração

LinkedIn

A Ultrapar anunciou um plano extenso de sucessão do seu conselho de administração. Em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a companhia informou que o atual presidente do colegiado, Pedro Wongtschowski, cujo mandato se encerrará em abril de 2023, será substituído por Marcos Marinho Lutz, atual conselheiro da companhia.

O comunicado foi feito pela companhia (BOV:UGPA3) nesta quarta-feira (22).

Neste processo de preparação, foi definido que, entre janeiro de 2022 e abril de 2023, Marcos Lutz assumirá a posição de diretor presidente da Ultrapar, para se aprofundar nos diversos negócios do Grupo Ultra. Lutz, que iniciou sua carreira no Grupo Ultra em 1994 como trainee e permaneceu até 2003, tendo chegado à posição de presidente da Ultracargo, possui experiência em posições de liderança em negócios de energia e infraestrutura, tendo sido CEO da Cosan S.A. de 2009 a 2020.

O conselho definiu, também, a eleição de Frederico Fleury Pinheiro Curado, atual diretor presidente, para a vice-presidência do conselho de administração da Ultrapar, posição que assumirá em janeiro de 2022, “encerrando um ciclo de redirecionamento estratégico, revisão de portfólio e renovação das lideranças do Grupo Ultra iniciado em 2017”. Frederico Curado sucederá a Lúcio de Castro Andrade Filho, que se aposentará ao final de 2021, após 45 anos.

“O Grupo Ultra, com um processo planejado de sucessão e renovação de suas lideranças em preparação para um novo ciclo de crescimento, assegura a continuidade de sua estratégia de foco nos setores de energia e infraestrutura, com ênfase crescente na transição da matriz energética, além do contínuo aperfeiçoamento de seus processos de governança corporativa”, disse a empresa no documento.

Também em fato relevante, a Ultrapar comunicou que o conselho de administração da companhia aprovou hoje outros dois importantes movimentos organizacionais: a eleição de Leonardo Remião Linden como novo presidente da Ipiranga e a eleição de Marcelo Pereira Malta de Araújo para a diretoria executiva Corporativa e de Participações na holding Ultrapar. Ambas serão efetivadas em outubro de 2021.

Segundo o documento, Marcelo Araújo integrou-se ao Grupo Ultra há três anos como presidente da Ipiranga “e detém reconhecida liderança institucional no setor downstream de óleo e gás no Brasil”. Na nova posição, terá a responsabilidade das áreas de Sustentabilidade, Relações Institucionais, Comunicação, Jurídico Corporativo, Compliance, Riscos e Auditoria Interna do Grupo Ultra.

Leonardo Linden integrou-se ao Grupo Ultra há cinco anos para estruturar e liderar a Iconic, joint venture entre Ipiranga e Chevron no setor de lubrificantes iniciada no final de 2017, e conduziu desde então o crescimento do negócio, “tendo quintuplicado o Ebitda recorrente entre 2018 e 2020. Em abril de 2021 passou a ocupar a Vice-Presidência Comercial da Ipiranga, como parte de um processo planejado de sucessão da presidência da Ipiranga.

“Executivo com longa carreira no setor de combustíveis no Brasil e nos Estados Unidos, com passagens pelas empresas Exxon Mobil, Cosan e Raízen, Linden terá como prioridade a execução do plano de melhoria da rentabilidade e crescimento da Ipiranga”, disse a Ultrapar.

A companhia informou, ainda, no contexto do processo de sucessão na Ipiranga, que John Shojiro Suzuki, atual Diretor de Planejamento e Controle, deixará a empresa e será sucedido por Cristiane Silva Leite, uma das principais executivas do Grupo Ultra, com sólida experiência financeira construída na holding Ultrapar, Oxiteno e Ultracargo. Cristiane, que atualmente é Diretora de Riscos, Compliance e Auditoria Interna da Ultrapar, será sucedida por Fernanda Teves de Souza, atual gerente de Compliance da companhia.

VISÃO DO MERCADO 

Bradesco BBI

O BBI avalia que os papéis da Ultrapar poderiam reagir positivamente às notícias, já que o mercado vê necessidade de mudanças estratégicas na Ultrapar. O banco diz que o maior desafio será elevar a lucratividade na Ipiranga e aponta que Marcos Lutz é um nome forte para executar essa tarefa. O Bradesco BBI diz avaliar que a perspectiva de margens para a Ipiranga continua altamente incerta.

Bradesco BBI mantém recomendação neutra com preço-alvo de R$ 21,00…

Credit Suisse

As mudanças na diretoria que a Ultrapar anunciou ontem devem ser bem recebidas pelo mercado, diz o Credit Suisse, destacando que podem ser um gatilho positivo na continuidade da reestruturação da empresa, especialmente na Ipiranga.

Os analistas Regis Cardoso e Marcelo Gumiero escrevem que Marco Lutz, que irá assumir como diretor-presidente do grupo em janeiro, deve ter muito a contribuir para a empresa, o que será chave para o contexto em que ela se encontra.

A indicação de Leonardo Linden para comandar a Ipiranga também agrada o banco suíço, que chama a atenção para seu currículo forte e preparado para realizar as mudanças que a distribuidora precisa fazer para extrair mais valor dos seus ativos e melhorar margens.

Credit Suisse tem recomendação neutra com preço-alvo em R$ 24…

Informações Broadcast

Deixe um comentário