EDP Brasil (ENBR3): lucro líquido de R$ 510,5 milhões no 3T21

LinkedIn

A Energias do Brasil reportou lucro líquido de R$ 510,5 milhões no terceiro trimestre do ano, uma alta de 70,3% na base anual. O lucro líquido ajustado, por sua vez, foi de R$ 266,1 milhões no período, alta de 20,7% na mesma base de comparação.

O resultado do período foi impactado pelos segmentos de transmissão e distribuição, sendo que este último foi impactado pela recuperação da atividade econômica e expansão do número de clientes.

Ebitda – lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação – chegou a R$ 1,1 bilhão, o que corresponde a um crescimento de 60,7% na base anual. No critério ajustado, o indicador atingiu R$ 753,9 milhões, 30,1% superior.

A receita líquida cresceu 65% no trimestre, para R$ 5,4 bilhões. Já a receita operacional líquida subiu 71,9%, para R$ 5,15 bilhões.

Segundo o presidente da companhia, João Marques da Cruz, a empresa foi bastante competente no trimestre no controle de custos. “Os nossos custos não crescem com a inflação, muito menos: é um fator importante controlá-los.”

O executivo salientou ainda que a geração hídrica teve uma gestão adequada por conta mesmo em meio à crise hídrica, não penalizando assim os resultados da empresa no terceiro trimestre.

Ao final do trimestre, a dívida líquida da EDP Brasil era de R$ 8,08 bilhões, uma alta de 31,8% na comparação anual. A alavancagem, medida pela relação dívida líquida por Ebitda ajustado, encerrou o período em 2,7 vezes.

Operacional

O volume de energia distribuída pela EDP Brasil, que soma EDP São Paulo e EDP Espírito Santo, alcançou 6.446 megawatts-hora (MWh) no terceiro trimestre do ano, uma alta de 4,2%. Do total, a EDP São Paulo distribuiu 3.927 MWh, alta de 3,8%, enquanto a unidade do Espírito Santo teve alta de 5% e somou 2.518 MWh.

No período, 3.160 MWh foram no mercado livre, elevação de 8,1%. O mercado cativo, onde as distribuidoras da empresa atuam, registrou elevação de 0,8% e totalizou 3.285 MWh.

O volume de geração consolidada, que envolve hidrelétricas e térmicas, atingiu 3.704 gigawatts-hora (GWh) no terceiro trimestre do ano, uma queda de 0,80%.

A energia comercializada no período totalizou 3.778 GWh no trimestre, volume 41% menor que o visto no mesmo período do ano anterior.

Os resultados da Energias do Brasil – EDP (BOV:ENBR3) referente suas operações do terceiro trimestre de 2021 foram divulgados no dia 25/10/2021. Confira o Press Release completo!

VISÃO DO MERCADO

Ativa Investimentos 

Energias do Brasil registrou resultados superiores às nossas expectativas e ao consenso de mercado em função de melhores resultados em distribuição, fomentado pelo aumento da energia distribuída bem como pelo aumento das tarifas tanto em São Paulo como no Espírito Santo.

Destacamos ainda o exímio controle de opex demonstrado e o sucesso na mitigação quase que integral do risco hidrológico em seu segmento de geração ao longo do trimestre.

Além do resultado, Energias do Brasil anunciou o cancelamento de mais de 25 milhões de ações atualmente dispostas em tesouraria e o lançamento de novo programa de recompra de ações, que pode durar até um ano e meio e envolver até 23,6 milhões de ações ordinárias. Esperamos uma recepção positiva dos resultados e das novidades anunciadas.

Ativa tem recomendação de compra com preço-alvo de R$ 21,50..

Citi

Segundo o Citi, a EDP Brasil reportou números muito positivos no terceiro trimestre, com destaque para o segmento de geração, com hidrelétrica, em uma política de hedge bem-sucedida, e térmica elevando o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) para R$ 754 milhões, ante a projeção do Citi de R$ 465 milhões.

“A gestão do portfólio de geração ajudou (e muito) — a EDP Brasil fez um ótimo trabalho na gestão da difícil situação hidrológica do trimestre (com GSF em impressionantes 51,2%). A companhia se preparou, antecipando-se ao cenário e reportando um Ebitda limpo do lado hídrico de R$ 184 milhões, enquanto nossa projeção de Ebitda era de prejuízo de R$ 90 milhões. Essa conquista explicou o delta às nossas projeções e fez com que a empresa navegasse muito bem na tempestade”, diz o relatório.

Com três usinas a serem vendidas antes do final do ano, e sem fornecer mais detalhes, como avaliação, comprador e etc, o presidente da EDP afirmou que a empresa está prestes a anunciar um acordo de exclusividade com um potencial comprador para as três hidrelétricas à venda: Cachoeira Caldeirão, Santo Antônio do Jari e Mascarenhas.

Isso faz parte do plano da empresa de reduzir sua exposição à energia hídrica e expandir para a energia solar.

Citi ainda mantém recomendação neutra com preço-alvo em R$ 20,00..

Credit Suisse

O Credit Suisse avaliou como bons os resultados reportados, refletindo números do segmento de geração melhores do que os estimados liderados pela unidade do Pecém e bons volumes em suas unidades de distribuição de energia.

Segundo o banco, o desempenho foi impulsionado pelo impacto positivo de IFRS na unidade de transmissão, contabilidade VNR e ganhos não recorrentes.

O banco diz que as receitas consolidadas (excluindo VNR) aumentaram 69,8% principalmente devido aos reajustes tarifários e ao bom desempenho dos volumes nas unidades de distribuição, bem como maiores volumes vendidos  nas unidades hidrelétricas, mais ajustes anuais nos contratos bilaterais e entrada em operação de novas linhas de transmissão.

Credit Suisse mantém recomendação de compra com preço-alvo de R$ 24,60.

XP Investimentos 

A XP Investimentos afirmou que a EDP Brasil apresentou uma boa performance de custos e de alocação de energia nos resultados do terceiro trimestre, divulgados ontem (25) após o fechamento do mercado. O lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado de R$ 729 milhões ficou 11% acima da projeção da XP.

“Esse desempenho reflete a combinação de uma tarifa média mais alta devido a bandeiras tarifárias elevadas, compras mais altas de energia, bom controle de custos gerenciáveis (14% abaixo das projeções da casa) e maiores vendas de energia no mercado de curto prazo, R$ 576,5 milhões contra R$ 42,1 das estimativas da XP”, diz o relatório.

O lucro líquido foi de R$ 510,5 milhões, segundo a XP uma surpresa em relação à expectativa da corretora e da média do mercado, refletindo principalmente o bom resultado operacional.

“Temos uma visão positiva dos resultados da EDP no terceiro trimestre dado que a empresa teve um desempenho superior num cenário hidrológico adverso. Com ebitda e lucro líquido acima do consenso”, completou.

XP mantém a recomendação de compra com preço-alvo de R$ 22,00…

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão, Reuters

Deixe um comentário