Ações da Visa (V, VISA34) caem depois que a Amazon anunciou que vai parar de aceitar a bandeira emitida no Reino Unido

LinkedIn

Amazon (NASDAQ:AMZN) planeja parar de aceitar pagamentos feitos por meio de cartões de crédito Visa emitidos no Reino Unido a partir do próximo ano.

O gigante do comércio eletrônico disse a alguns clientes que, a partir de 19 de janeiro, a empresa não aceitará mais os cartões de crédito Visa emitidos na Grã-Bretanha ”devido às altas taxas cobradas pela Visa para o processamento de transações com cartão de crédito”.

As ações da Visa negociadas na NYSE através do ticker (NYSE:V) caíram cerca de 6,36% durante o pregão de quarta-feira (17).

Na B3, as ações da Visa negociadas através do ticker (BOV:VISA34) caíram cerca de 6,27%, ou menos R$ 3,72 reais por ação, no momento da publicação, as 16h40 (horário de Brasília).

A Visa no início deste ano aumentou as taxas de intercâmbio que cobra dos comerciantes pelo processamento de transações digitais entre o Reino Unido e a União Europeia.

Depois do Brexit, um limite da UE para as taxas de intercâmbio não se aplica mais no Reino Unido, permitindo que as redes de cartões aumentem suas taxas.

A Mastercard também aumentou suas taxas de intercâmbio entre o Reino Unido e a UE.

Os clientes da Amazon (BOV:AMZO34) foram informados de que ainda poderão usar cartões de débito – incluindo os emitidos pela Visa – e cartões de crédito não Visa, como Mastercard e American Express. Os usuários estão sendo incentivados a atualizar seu método de pagamento padrão antes das mudanças.

A Visa disse estar “muito desapontada com a ameaça da Amazon de restringir a escolha do consumidor no futuro”.

A mudança pode ser vista como uma forma da Amazon obter algum poder de barganha sobre a Visa para reduzir suas taxas. A empresa de pagamentos também cobra taxas de esquema de negócios para se tornarem parte de sua rede.

Embora os varejistas menores não estejam em posição de negociar, a Amazon – devido ao seu tamanho – pode ter mais sorte.

(Com CNBC)
Imagem: Getty Images

Deixe um comentário