Bom dia ADVFN - Boletim Focus, judicialização da PEC dos precatórios e dados de inflação no radar

LinkedIn

Esse é o Bom dia, Investidor!  08 de Novembro de 2021, com tudo o que você precisa saber antes da Bolsa abrir!

📣📰 Confira as principais manchetes dos jornais de hoje 📰

Bolsas mundiais: os índices futuros americanos operam no negativo após renovarem máximas históricas na sexta-feira. As as ações da Ásia encerram a sessão majoritariamente no negativo (exceção à China).

Na Ásia, as bolsas fecharam com resultados variados. Dados oficiais divulgados no final de semana indicaram alta de 27,1% nas exportações da China em outubro em comparação com o ano anterior, acima da expectativa de alta de 24,5% de analistas ouvidos pela agência Reuters. Na China, o Partido Comunista se reúne pela primeira vez em mais de um ano nesta semana. O encontro está previsto para preparar o terreno para a prorrogação do mandato do presidente Xi Jinping, que tem prometido em sua sua “campanha” intitulada “prosperidade comum”, uma maior e melhor redistribuição de riqueza no país. Fechamento: Shanghai SE (China), +0,2%, Hang Seng Index (Hong Kong), -0,43%, Kospi (Coreia do Sul), -0,31%.

Na Europa, os índices se mantêm estáveis. Os investidores reagem aos dados de exportação da China. O índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, oscila positivamente, com destaque negativo de papéis do setor de varejo e positivo do setor de petróleo e gás.

Nos Estados Unidosos índices têm em sua maioria quedas no momento. Na sexta, os índices atingiram patamares recordes, após o Departamento de Emprego divulgar o relatório de emprego (Payroll) relativo a outubro, que indicou a adição de 531 mil vagas, acima da expectativa do mercado. Também na sexta, a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou uma lei de infraestrutura de mais de US$ 1 trilhão, e enviou a proposta para que o presidente Joe Biden a assine. O novo pacote, que já havia sido aprovado pelo Senado em agosto, pode oferecer mais financiamento para transporte, serviços e banda larga, entre outros projetos de infraestrutura. O debate sobre a inflação continua a obscurecer os mercados que por hora, se mostra resiliente após números robustos de sua temporada de balanços, apesar da inflação mais alta e dos problemas da cadeia de abastecimento. Entre as commodities, o petróleo avança à medida que os investidores vão pesando as chances da utilização da Reserva Estratégica de Petróleo dos EUA, depois que a OPEP + resistiu a um apelo do presidente Joe Biden para aumentar o fornecimento mais rapidamente.

==> Acompanhe os mercados mundiais pela ADVFN (aqui)

Os futuros internacionais de petróleo WTI estão sendo negociados a US$ 82,41 com alta de 1,40%. O Brent opera em alta de 1,22%, negociado a US$ 83,75.

Bitcoin (COIN:BTCUSD) é negociado a US$ 66.197,97 (+7,4%). O ouro  é negociado a US$ 1.816,00 por onça-troy (-0,04%).

⇒ Bitcoin – Acompanhe o Mundo Cripto na ADVFN

Minério de ferro:  O minério negociado na bolsa de Dalian teve alta de 1,42%, a 570,5 iuanes, o equivalente a US$ 89,21

Coronavírus

Os casos de Covid-19 em todo o mundo se aproximaram dos 250 milhões no domingo, enquanto o aumento da variante Delta arrefece e o comércio e o turismo são retomados, embora alguns países do Leste Europeu estejam experimentando surtos recordes. Nos últimos três meses, o número médio diário de casos caiu 36%, de acordo com uma análise da Reuters. Mesmo que a propagação tenha diminuído, o vírus ainda infecta 50 milhões de pessoas a cada 90 dias devido à variante Delta, que é altamente transmissível, mostrou a análise. Havia sido necessário quase um ano para os primeiros 50 milhões de casos de Covid-19 serem registrados. Especialistas em saúde estão otimistas com o fato de que muitos países deixaram para trás o pior da pandemia graças às vacinas e à exposição natural, embora alertem que o clima mais frio e os próximos feriados podem aumentar os casos. “Acreditamos que entre agora e o final de 2022 é o ponto no qual obteremos controle sobre este vírus, reduzindo significativamente doenças graves e mortes”, diz Maria Van Kerkhove, epidemiologista da Organização Mundial da Saúde, à Reuters.

A taxa de incidência de covid em sete dias na Alemanha atinge nível recorde: A taxa de incidência acumulada nos últimos sete dias, que mede o número de casos de coronavírus a cada 100.000 habitantes, chegou a 201 nesta segunda-feira (8) na Alemanha, um recorde desde o início da pandemia há um ano e meio. A vacinação na Alemanha estagnou abaixo de 70% e as autoridades fazem um apelo para que os alemães procurem os postos de imunização.

O mundo registra 249.906.905 de casos de coronavírus e 5.049.976 mortes, confirmadas pela Universidade Johns Hopkins.

Painel Vacinas Covid-19 Brasil:  Doses Distribuídas pela União: 338.292.708. Doses aplicadas: 269.591.873.

O número de pessoas vacinadas com ao menos uma dose contra a covid-19 no Brasil chegou no domingo, 7, a 155.812.037, o equivalente a 73,04% da população total. Nas últimas 24 horas, 112,2 mil pessoas receberam a primeira aplicação da vacina, de acordo com dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa junto a secretarias de 26 Estados e Distrito Federal. São Paulo tem 80,78% da população total vacinada ao menos com uma dose contra o coronavírus, enquanto 69,46% tem o esquema vacinal completo (duas doses ou aplicação única), o mais avançado do País. Os outros quatro Estados mais adiantados na campanha são: Mato Grosso do Sul (65,13%), Rio Grande do Sul (61,88%), Santa Catarina (59,79%) e Paraná (59,55%).

Brasil

O Brasil registrou 59 mortes por Covid-19 em todo o país nas últimas 24 horas, além de 6.115 novos casos. Os dados foram divulgados no domingo (7) pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). As médias móveis de óbitos e de infecções ficaram em 232 e 9.941, respectivamente. É normal que os números de finais de semana sejam mais baixos, devido às equipes reduzidas nos laboratórios. É, de toda maneira, o menor número diário de mortes já registrado no país desde o dia 5 de abril de 2020, também um domingo, quando foram notificados 54 óbitos pela doença.

Poderes

A votação da PEC dos Precatórios, a cerimônia de filiação do ex-juiz Sergio Moro ao Podemos e a possibilidade de prorrogação do auxílio emergencial são algumas das pautas que devem movimentar a agenda na Esplanada dos Ministérios nesta semana. Na última sexta-feira, o ex-presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia acionou o Supremo Tribunal Federal (STF), pedindo a suspensão da PEC dos Precatórios, após a aprovação do texto em primeiro turno pela casa, na quinta-feira. Maia corre contra o tempo para articular com o Supremo, uma vez que a votação em segundo turno da proposta está prevista já para amanhã. Já na quarta-feira, a filiação do ex-juiz Sergio Moro ao Podemos deverá roubar a cena política na capital federal. Moro, que é cotado como pré-candidato à Presidência da República em 2022, reuniu-se, na sexta, em Brasília, com líderes de diferentes partidos que defendem a terceira via eleitoral. Além do Podemos, participaram da conversa o PSDB, o Novo, o Cidadania e o PSL.

Justiça

A decisão da ministra Rosa Weber de suspender temporariamente os repasses feitos pelo governo Jair Bolsonaro a parlamentares da base aliada por meio do orçamento secreto tende a gerar um racha entre os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Um julgamento no plenário virtual vai revisar a ordem liminar amanhã (09). O fato novo pode atrasar a votação em segundo turno da PEC na Câmara, prevista para amanhã, ou, no limite, impor uma derrota da proposta construída pelo governo e aliados para viabilizar o Auxílio Brasil.

Economia

O mercado de ações da B3 passa a funcionar das 10h às 18h a partir de hoje.

A participação do Brasil nas carteiras de investidores estrangeiros chegou à mínima histórica por conta de uma combinação de maior aversão aos riscos, com a expectativa de subida de juros nos EUA (que deve drenar recursos dos países emergentes) e preocupações com a crise fiscal no Brasil, agravada com a tentativa de “furar” o teto dos gastos. Considerando os fundos dedicados aos mercados emergentes, o País tem hoje uma fatia de 5,1% – no auge, em 2011, essa participação era de 16,4%. Já nos fundos globais, que compram ações em todo o mundo, a fatia do Brasil é de 0,23%, ante participação que chegou a 1,94% no fim de 2009, conforme relatório do BTG Pactual. Nos fundos dedicados à América Latina, o Brasil não está com a pior exposição histórica. Hoje, está em 60,36%, menor nível desde 2019, mas acima do piso de 2015 (43,1%). Após fuga de US$ 51,2 bilhões pelo canal financeiro em 2020 – renda fixa e ações –, dados do Banco Central mostram que este ano tem havido recuperação nos investimentos dos estrangeiros, mas de forma tímida. No ano, até outubro, o total é de US$ 1,8 bilhão. A piora fiscal do Brasil, aliás, já vem levando investidores em Nova York a questionar a capacidade de o governo conseguir honrar a dívida pública, segundo a economista para Brasil do banco americano JPMorgan, Cassiana Fernandez. “Pela primeira vez em alguns anos, a gente volta a ter de responder perguntas sobre a solvência da dívida no Brasil”, contou em evento recente da Anbima. O reflexo desse temor é a menor disposição em aportar recursos aqui, sobretudo em um ambiente de muita falta de previsibilidade sobre as políticas do governo.

Agenda Econômica

– FGV: IGP-DI de outubro deve avançar 1,28% (8h)
– FGV: IPC-S da 1ª quadrissemana de novembro (8h)
– Boletim Focus (8h25)
– EUA: Presidente do Fed, Jerome Powell, abre evento do próprio BC sobre gênero e economia (12h30)
– Balança comercial semanal (15h)

 Ibovespa e dólar no último pregão:

Ibovespa:  

Referência do mercado brasileiro, o índice fechou em alta de 1,37% aos 104.824 pontos. O volume de negócios ficou em R$ 31,3 bilhões. Na semana, o índice acumula alta de 1,3%.

Maiores altas do Ibovespa

PRIO3 +17.87% R$ 27,57
MGLU3 +12.27% R$ 12,44
VIIA3 +10.79% R$ 7,29
AZUL4 +8.27% R$ 28,40
GOLL4 +8.15% R$ 18,30

Maiores baixas do Ibovespa

GGBR4 -3.99% R$ 24,51
VALE3 -2.96% R$ 64,11
GOAU4 -2.63% R$ 11,47
CIEL3 -2.55% R$ 2,29
BRAP4 -2.26% R$ 44,90

💲  Carteiras recomendadas de Novembro/21 completo: Mensal, Small Caps, Dividendos, FII e BDRs💲

Dólar    

dólar comercial: o dólar comercial fechou em R$ 5,5220, com queda de 1,53%. Embora ainda existam especulações quanto à aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios, o mercado se mostrou mais confiante na manobra fiscal do governo e o real teve um movimento de recuperação.

Juros

O DI para janeiro de 2023 caiu cinco pontos-base, a 12,04%; DI para janeiro de 2025 recuou cinco pontos-base a 12,12%; e o DI para janeiro de 2027 recuou dez pontos-base, a 12,12%.

Ifix   

O índice fechou a sessão em queda de 0,02%, aos 2.654 pontos. No acumulado para a semana e do mês, o índice recuou 0,78%. Para o ano a queda é de 7,33%. A movimentação financeira foi de R$ 193,35 milhões.

Fonte: CNN, CNBC, Infomoney, TC, G1, Agência Brasil e BDM, correio braziliense, estadão.

Deixe um comentário