Citigroup (CTGP34) interrompe operações russas e pode perder US$ 5 bilhões

LinkedIn

O Citigroup, Inc. (NYSE:C), com sede em Nova York, reduziu as operações de seus negócios de consumo russos depois que o país invadiu a Ucrânia em 24 de fevereiro, disse um relatório publicado pela Reuters citando um post no site da empresa.

Edward Skyler, vice-presidente executivo de assuntos globais do Citigroup, disse: “Com a economia russa em processo de desconexão do sistema financeiro global como consequência da invasão, continuamos avaliando nossas operações no país”.

O post também disse que o Citigroup continuará a desinvestir no negócio enquanto fornece suporte a seus clientes corporativos na Rússia. No entanto, analistas acreditam que a empresa terá que encerrar o negócio, pois não haverá compradores devido às sanções impostas pelos EUA à Rússia.

O gigante dos bancos de investimento tem uma exposição de cerca de US$ 10 bilhões no país transcontinental e pode perder US$ 5 bilhões em um “cenário de estresse severo”, disse o CFO da empresa.

As ações C fecharam quase 2% em alta na quarta-feira.

O Citigroup também é negociado na B3 através do ticker (BOV:CTGP34).

Consenso de Wall Street

Após o Investor Day do Citi na semana passada, a analista do Credit Suisse Susan Roth Katzke manteve uma classificação de compra para as ações, mas baixou o preço-alvo para US$ 66 de US$ 72 (18% de potencial de alta).

Além disso, Ken Usdin, da Jefferies, rebaixou a classificação do Citi para Hold de Buy e cortou o preço-alvo de US$ 79 para US$ 60 (potencial de alta de 7,2%).

Em uma nota de pesquisa, Usdin disse: “As novas metas do Citi para um retorno sobre o patrimônio líquido médio tangível dos acionistas (ROTCE) são mais altas (11%-12%) e mais distantes (2024-2026) do que nossas expectativas”.

Com base em 10 classificações Buy e 9 Hold, o Citigroup tem uma classificação de consenso de compra moderada (moderate buy). O preço-alvo médio das ações C de US$ 74,54 implica um potencial de alta de 33,2% em relação aos níveis atuais. As ações perderam quase 22% no ano passado.

Com informações de TipRanks

Deixe um comentário