Ucrânia está comprando coletes à prova de balas e óculos de visão noturna usando criptomoedas

LinkedIn

Alguns dos fornecedores de armas da Ucrânia estão aceitando pagamentos diretamente em criptomoedas, disse um alto funcionário na segunda-feira (07).

A Ucrânia “armou” a criptomoeda depois que a Rússia invadiu a nação europeia no final de fevereiro, levantando mais de US$ 60 milhões em bitcoin (BTC), Ether (ETH) e outras criptomoedas e imediatamente gastando alguns desses fundos em combustível, alimentos e outros suprimentos – incluindo coletes à prova de balas para soldados.

O ministério de criptomoedas da Ucrânia, o Ministério da Transformação Digital, está facilitando a compra de equipamentos militares com base nas demandas do Ministério da Defesa, disse Alex Bornyakov, vice-ministro do ministério. A operação envolve a Kuna, a bolsa ucraniana que configurou os endereços de doação; dois ministérios; cinco signatários e vários outros funcionários do governo como atores-chave.

Bornyakov é o vice de Mykhailo Fedorov, ministro da Transformação Digital e vice-primeiro-ministro. Ele disse que não estava na capital do país, Kiev, mas não especificou mais.

Gastar criptomoedas

Pelo menos três dos cinco signatários autorizados precisam aprovar qualquer despesa dos fundos de criptomoedas da Ucrânia. O processo foi implementado para evitar uma situação em que os signatários fiquem presos em bunkers ou incomunicáveis.

“A maioria das pessoas está na Ucrânia. E é uma situação terrível agora. A zona de guerra está em diferentes partes da Ucrânia. É possível que as pessoas estejam em um abrigo ou possam perder a conexão por dias e, portanto, temos que ter um plano de redundância caso alguém não possa entrar em contato”, disse Bornyakov. O ministério está trabalhando com a bolsa Kuna da Ucrânia em uma parceria público-privada, pois a bolsa já tinha uma infraestrutura para receber os fundos ou realizar transações em nome do governo.

O que também ajuda a Ucrânia é que alguns de seus fornecedores estão dispostos a aceitar pagamentos de criptomoedas diretamente.

“Alguns dos fornecedores militares têm contas em criptomoedas. Na verdade, alguns deles têm empresas e contas bancárias em jurisdições onde as criptomoedas são permitidas. E eles podem obter criptomoedas em ethereum, bitcoin e, claro, em algumas stablecoins”, disse Bornyakov.

Para Bornyakov, a criptomoeda tem sido uma ferramenta mais flexível e barata do que as transferências bancárias.

“É mais fácil, não complicado, transparente e mais rápido em comparação com uma transação SWIFT, que pode levar mais de um dia”, disse ele.

3 de 5 signatários

A Ucrânia opera uma carteira multiassinatura para controlar as criptomoedas doadas, disse Bornyakov.

“Não posso dizer quem controla a carteira multi-sig, pois é uma questão de segurança”, disse ele. “Nós nos mudamos para um local seguro porque é impossível. Algumas vezes por dia há ataques aéreos, sirenes, então temos que entrar no abrigo, os bombardeios, é complicado”, disse Bornyakov.

Funcionários do Ministério da Defesa da Ucrânia decidem como as doações de criptomoedas devem ser gastas, embora Bornyakov tenha se recusado a nomear quaisquer indivíduos específicos envolvidos no processo.

“Não é apenas uma pessoa que decide. Três pessoas precisam sair dos cinco signatários autorizados e, portanto, quem toma a decisão realmente não importa”, disse Bornyakov.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, que emergiu como uma figura de rally para o país, não parece estar envolvido nessas compras.

“Nós não falamos com ele diretamente. Há uma grande estrutura e há pessoas que estão tomando essa decisão. Não sei. Eles são mais como uma caixa preta para mim. Conheço pessoas que foram nomeadas e que disseram que você tem que lidar com esse cara”, disse Bornyakov, recusando-se a dizer quem era “o cara”.

A Ucrânia não revelou uma lista completa de onde as doações de criptomoedas estão sendo gastas para “fins de segurança”, mas Bornyakov prometeu fazê-lo no futuro.

“Neste momento não podemos simplesmente colocar uma lista do que compramos porque o inimigo está observando”, disse Bornyakov.

Bornyakov disse que o fundo cripto está sendo usado para comprar equipamentos não letais para fins militares, como coletes à prova de balas, óculos de visão noturna, rações alimentares de nível militar e equipamentos médicos que ajudam na hemostasia, como torniquetes.

O fundo de criptomoedas da Ucrânia recebeu US$ 60 milhões, enquanto o banco nacional da Ucrânia recebeu US$ 280 milhões a 300 milhões em doações em moeda fiduciária de partes privadas.

lobby

Mesmo quando a Ucrânia levanta milhões em criptomoedas para combater a Rússia, ela pressionou as exchanges de criptomoedas para impedir que qualquer pessoa do país agressor acesse os mesmos serviços.

O governo da Ucrânia pediu a oito bolsas diferentes para congelar as contas russas. Até agora, apenas alguns responderam diretamente, disse Bornyakov, embora não tenha identificado essas exchanges.

“Em geral, todos eles disseram que precisam cumprir a lista de sanções. Mas é um negócio privado. Cabe a eles ficar na Rússia ou deixar a Rússia, mas o que todos concordam é que se houver uma sanção da Europa ou da Ucrânia para pessoas específicas, eles vão bloqueá-los”, disse ele.

Segundo Bornyakov, essas exchanges já bloquearam contas de “duas mil pessoas e seus parentes que foram sancionadas pelos EUA ou por pessoas ligadas ao governo russo”.

Algumas exchanges parecem estar bloqueando contas russas, mas não responderam diretamente ao governo ucraniano, disse ele.

“Então, se você trabalha com a Rússia, mesmo para criptomoedas, basicamente apoia a morte de pessoas [civis] inocentes e isso é inaceitável, e se você defende os valores humanos, precisa tirar da Rússia”, disse Bornyakov.

Com informações de CoinDesk

Deixe um comentário