CCR: alguns acionistas de bloco não têm interesse em ações da AG Participações

LinkedIn

O Grupo CCR informou que alguns acionistas de bloco não têm interesse em ações da AG Participações.

O fato relevante foi feito pela empresa (BOV:CCRO3) nesta sexta-feira (22).

A companhia teve acesso a troca de correspondências na qual a Soares Penido Concessões S.A. e Soares Penido Obras, Construções e Investimentos S.A., bem como a Sucea Participações S.A. e a Sincro Participações S.A. comunicaram não ter interesse em exercer o direito de preferência para adquirir a totalidade das ações de emissão da CCR de titularidade da AG Participações.

A decisão dos acionistas abre caminho para que Votorantim e Itaúsa comprem a parte da Andrade Gutierrez na CCR, negócio que foi tornado público em 23 de março deste ano, e pelo qual devem ser desembolsados R$ 4,1 bilhões.

Ao fim da negociação, Votorantim e Itaúsa terão, cada uma, cerca de 10,3% do capital da CCR.

A CCR pretende divulgar os resultados do 1T22 no dia 12 de maio.

CCR (CCRO3): prejuízo líquido de R$ 133,2 milhões no 4T21

A Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR) teve prejuízo líquido de R$ 133,2 milhões no quarto trimestre de 2021, uma piora em relação ao resultado negativo de R$ 74,8 milhões, registrado no mesmo período do ano anterior. Se considerada a mesma base de comparação, a companhia teria apresentado um lucro de R$ 182,6 milhões.

A companhia, porém, teve de outubro a dezembro lucro líquido de 182,6 milhões de reais, ante prejuízo de 12,3 milhões um ano antes, nas mesmas base de comparação.

Segundo a CCR, as diferenças entre esses comparativos têm a ver com efeitos extraordinários, como o vencimento de algumas concessões, como da Rodonorte (PR), que aceleram despesas com depreciação e amortização.

Além disso, há o impacto dos novos projetos firmados no período, cuja operação (e geração de receita) ainda não havia sido iniciada. Durante o quarto trimestre, a CCR assinou os contratos das Linhas 8 e 9 da CPTM, com o governo paulista, e de dois blocos de aeroportos (Sul e Central), com o governo federal.

Deixe um comentário