Dólar fecha com alta, influenciado pela fala hawkish do presidente do Fed e, pelo conflito entre o presidente Jair Bolsonaro com o STF

LinkedIn

O dólar comercial fechou em R$ 4,8060, com alta de 4,04%. O movimento de fortíssima aversão ao risco foi influenciado pela fala hawkish (dura) do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell ontem e, em segundo plano, pelo conflito entre o presidente Jair Bolsonaro com o Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo o analista de riscos da Ajax Capital, Rafael Passos, “o quadro que os bancos centrais desenvolvidos vão acelerar o aumento dos juros está confirmando. O aperto mais duro nos Estados Unidos segue sendo o principal driver, com a disseminação da inflação”.

Passos, contudo, também menciona o novo embate entre o presidente Jair Bolsonaro e o Supremo Tribunal Federal (STF): “O fator político não contribui, com o conflito entre Bolsonaro e o Supremo, aumentando o risco institucional”, ressalta. O economista também destacou que a política de lockdown na China pode afetar a cadeia produtiva chinesa, impactando nos preços e crescimento do país asiático.

De acordo com o sócio fundador da Pronto! Invest, Vanei Nagem, “para o Powell assumir a inflação deste jeito, o impacto é ainda maior do que imaginamos. O consumo nos Estados Unidos está muito, devido à grande injeção de dinheiro. Eles têm um problema bem grande”.

Já no cenário doméstico, Nagem enxerga com pessimismo o novo capítulo do embate institucional: “Com o Bolsonaro peitando o Supremo, a situação pode ficar feia. Ele não precisava ter feito isso”, analisa.

Para o analista da Ouro Preto Investimentos, Bruno Komura, “este movimento de estresse vai dominar o mercado. O discurso do (presidente do Fed, Jerome) Jerome Powell foi hawkish (duro), e demonstrou preocupação com a inflação nos Estados Unidos. Já tem casa projetando que, em algum momento, o aumento dos juros nos Estados Unidos será de 0,75%, mas não na próxima reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês)”.

Komura acredita que, a curto prazo, o dólar deve ganhar força: “Nem as commodities vão segurar o Brasil. Este dólar faz total sentido”, pontua.

Data Compra Venda Variação Variação
 4/04/2022 4,6076 4,6081 -1,268% -0,0592
5/04/202  4,6586 4,6591 1,107% 0,051
6/04/2022 4,7142 4,7147 1,193% 0,0556
07/04/2022  4,7399 4,7409 0,556% 0,0262
8/04/2022 4,7079 4,7089 -0,675% -0,032
11/04/2022 4,6894 4,6904 -0,393% -0,0185
12/04/2022  4,6762 4,6767 -0,292% -0,0137
13/04/2022  4,6882 4,6887 0,257% 0,012
14/04/2022 4,6958 4,6963 0,162% 0,0076
18/04/2022 4,6472 4,6482 -1,024% -0,0481
19/04/2022 4,6677 4,6682 0,43% 0,02
20/4/2022 4,6199 4,6204 -1,024% -0,0478
22/04/2022 4,8041 4,8051 3,998%  0,1847

💵 Está pensando em viajar? Faça a conversão de moedas gratuitamente!

🇧🇷 – US$ 1 = R$ 4,80

🇪🇺 – US$ 1 = €$ 0,92

🇬🇧 – US$ 1 = £$ 0,77

Gráficos GRATUITOS na br.advfn.com

(Com informações da TC, UOl e Agencia CMA)

Deixe um comentário