Nasdaq despencou quase 4% na terça-feira e atinge nova baixa para 2022; Dow Jones perdeu 2,38%

LinkedIn

As ações dos EUA caíram acentuadamente na terça-feira (26), com as ações sendo vendidas até o fechamento, com os investidores despejando as ações por temores de uma desaceleração econômica.

O Dow Jones caiu 809,28 pontos, ou 2,38%, para 33.240,18 pontos. O S&P 500 perdeu 2,81%, a 4.175,20 pontos. O Nasdaq Composite, pesado em tecnologia, caiu 3,95% e atingiu uma nova baixa de 52 semanas, fechando em 12.490,74. O índice recuou ainda mais para o território do mercado de baixa, situando-se agora cerca de 23% abaixo de sua máxima.

Até o momento em abril, o S&P 500 caiu 7,8%. O Nasdaq caiu 12,2% e o Dow Jones caiu 4,2%.

As ações de tecnologia lideraram o declínio na terça-feira, já que os investidores não esperaram pelos resultados do primeiro trimestre da Microsoft e da Alphabet após o fechamento, temendo mais explosões como a vista na Netflix no início da temporada de resultados.

“O risco-recompensa não está presente nos lucros de tecnologia de grande capitalização”, disse o fundador do Satori Fund e gerente sênior de portfólio, Dan Niles, na terça-feira. “Espero que cada um deles veja os números futuros caírem”.

A Microsoft e a Alphabet, controladora do Google, viram as ações fecharem mais de 3% menores antes da divulgação dos lucros. Amazon, Apple, e Meta, dona do Facebook, também terminaram em queda na terça-feira, com resultados de ganhos previstos para o final desta semana.

As ações da Netflix caíram 5,5% e atingiram uma nova baixa de vários anos. Na semana passada, a Netflix despencou 35% em um único dia depois de relatar uma surpreendente perda de assinantes no primeiro trimestre.

A força das ações de Big Tech nos últimos anos “provavelmente explodirá quando os fundamentos começarem a se deteriorar significativamente à medida que a economia geral desacelerar”, disse Chris Senyek, da Wolfe Research, em nota de pesquisa.

Preocupações com a economia global surgiram. Os investidores estão preocupados com um surto de Covid na China. Em relação à guerra na Ucrânia, um alto funcionário russo disse que a ameaça de uma guerra nuclear é real. Além disso, a alta inflação nos EUA está prejudicando a demanda por bens, que vai de casas a tênis.

“Há muitas preocupações com o crescimento econômico”, disse Peter Boockvar, diretor de investimentos do Bleakley Advisory Group. “A China é um grande cliente da tecnologia dos EUA. … A indústria de semicondutores faz muitos negócios lá. Mas também há preocupações com o crescimento aqui”.

A Tesla, que tem uma fábrica em Xangai e tem a China como o principal mercado para seus veículos elétricos, foi a maior retardatária no Nasdaq Composite, fechando em queda de 12,2%. As ações também ficaram sob pressão quando seu CEO e fundador, Elon Musk, fechou o acordo proposto para comprar o Twitter por US$ 44 bilhões.

As ações de chips estavam entre as principais quedas no Nasdaq Composite. A Nvidia perdeu 5,6% e a AMD recuou 6,1%.

Nomes cíclicos ligados ao crescimento econômico também sofreram na terça-feira. O componente Dow Jones, 3M, caiu cerca de 3%, apesar dos resultados trimestrais acima do esperado, já que a empresa observou desafios macroeconômicos e geopolíticos à frente. As ações da UPS também caíram 3,5%, apesar dos ganhos trimestrais.

Outros nomes industriais como General Electric e Boeing caíram na terça-feira. A GE caiu 10,3%, enquanto a Boeing recuou 5%. A GE alertou que sua perspectiva para 2022 estava em “tendência para o limite inferior da faixa”.

As ações dos bancos também sofreram com a queda das taxas de juros. Os rendimentos do Tesouro dos EUA caíram, com a taxa de referência de 10 anos caindo abaixo de 2,8%. O Wells Fargo caiu 2,7% e o Bank of America perdeu 2,3%.

Com informações de CNBC

Deixe um comentário