Agrogalaxy (AGXY3): prejuízo líquido de R$ 44,7 milhões no 1T22

LinkedIn

A AgroGalaxy registrou prejuízo líquido de R$ 44,7 milhões, 131% maior do que o prejuízo de R$ 19,3 milhões calculado nos três primeiros meses de 2021.

A receita líquida foi de R$ 3,145 bilhões no primeiro trimestre de 2022, avanço de 161% na comparação com igual período de 2021, quando a empresa atingiu receita de R$ 1,205 bilhão.

O segmento de insumos apresentou crescimento de +171% e de grãos 151% vs. 1T21. Vale ressaltar que houve relevante aumento de preços em algumas categorias de insumos, principalmente, fertilizantes e de commodities entre no 1T21 e o 1T22.

ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – ajustado somou R$ 130,3 milhões, 356% superior aos R$ 28,6 milhões verificados há um ano, com margem Ebitda ajustada de 4,1%, ante margem Ebitda ajustada de 2,4% há um ano.

Da receita líquida de R$ 3,145 bilhões, 53,8% do total ou R$ 1,692 bilhão foi proveniente da venda de insumos, alta de 171% na comparação anual. O restante, R$ 1,453 bilhão (46,2%), veio da comercialização de grãos, incremento de 151% em relação ao primeiro trimestre de 2021. Considerando a receita total, R$ 613 milhões vieram de negócios viabilizados por meios digitais, sendo que 36,2% da receita com insumos veio de negócios digitais.

Do aumento de 171% da receita líquida de insumos, 92% – R$ 574 milhões – veio das empresas com as quais a AgroGalaxy já contava há um ano (sem contar os resultados de Boa Vista, Ferrari Zagatto e Agrocat, adquiridas mais recentemente), ou seja, do crescimento orgânico. Destes 92%, 22% ou R$ 145 milhões foram gerados pelo aumento do volume vendido. O restante, R$ 429 milhões, decorreu do aumento de cerca de 70% dos preços de insumos, principalmente fertilizantes e defensivos. As vendas das chamadas same store sales, abertas há mais de dois anos, cresceram 82,9%. A receita por consultor técnico de vendas (CTV) subiu 77,1% no trimestre.

O lucro bruto ajustado atingiu R$ 324 milhões no 1T22 vs R$ 120 milhões no 1T21, com margem de 10,3% (+0,3 p.p.). O aumento de margem deveu-se à expansão no segmento de insumos.

A despesa financeira líquida ajustada no LTM1T22 foi de R$ 339,5 milhões vs. R$ 190,5 milhões no LTM 1T21, aumento de R$ 149 milhões. As aquisições representaram R$ 41 milhões deste aumento.

No 1T21 houve geração operacional negativa de R$ 83,5 milhões versus R$ 107,1 milhões negativo em 1T22. A variação deve-se, principalmente, à piora de R$ 112 milhões no capital de giro, como consequência de adiantamento a fornecedores de grãos e fertilizantes. Houve compensação parcial desse efeito com a melhoria do lucro ajustado em R$ 123 milhões.

Entre os insumos vendidos pela empresa, 44,3% da receita líquida do primeiro trimestre veio de defensivos, seguido de 29,8% de fertilizantes, 20,1% de sementes e 5,3% de especialidades.

O retorno sobre capital investido (ROIC) atingiu 22,2% nos últimos 12 meses, avanço de 6,4 pontos porcentuais ante o contabilizado em igual período do ano anterior.

A carteira de pedidos da AgroGalaxy somava R$ 3,4 bilhões em março, 144% acima do montante de R$ 1,4 bilhão em março de 2021.

Os investimentos operacionais em imobilizado, intangível (incluindo investimento na aquisição de empresas) somaram R$ 157,4 milhões, contra R$ 22,7 milhões comparado com o mesmo período do ano anterior, sendo os investimentos mais representativos no 1T22 foram: R$ 118,7 milhões de ágio e mais valia na aquisição da AgroCat; R$ 3,1 milhões em benfeitorias, instalações, máquinas e equipamentos em lojas; R$ 12,7 milhões na implantação de novo ERP sistemas de processos e softwares; R$ 2,3 milhões em desenvolvimento e investimentos em Digital; R$ 7,5 milhões com IFRS 16 de imóveis arrendados; R$ 2,1 milhões em plantas de sementes; R$ 1,4 milhão em melhorias e benfeitorias nos silos e; R$ 3,1 milhões em hardware.

A dívida líquida ajustada totalizou R$ 1,1 bilhão em março de 2022, aumento de 48%. Excluindo-se os R$ 198,4 que foram adicionados com os M&As, o aumento seria de somente 9,6%.

A alavancagem considerando o ebitda ajustado dos últimos 12 meses findos em março passou de 2,8 vezes em 2021 para 2,3x vezes em 2022. A redução é consequência do aumento de linha de créditos com fornecedores de fertilizantes, bom nível de recebimento (inadimplência baixa), o IPO de julho de 2021 e, principalmente, o crescimento da geração operacional pelo ebitda ajustado.

Os resultados da Agrogalaxy (BOV:AGXY3) referente suas operações do primeiro trimestre de 2022 foram divulgados no dia 16/05/2022. Confira o Press Release completo!

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão, Reuters

Deixe um comentário