Amazon processa milhares de administradores de grupos do Facebook por avaliações falsas

LinkedIn

A Amazon (NASDAQ:AMZN) entrou com uma ação na terça-feira (19) contra os administradores de mais de 10.000 grupos do Facebook (NASDAQ:META) que supostamente atuaram como corretores de revisão falsos.

A Amazon e a Meta Platforms também são negociadas na B3 através dos tickers (BOV:AMZO34) e (BOV:M1TA34), respectivamente.

A ação movida no Tribunal Superior do Condado de King, em Seattle, acusa os administradores do grupo de solicitar análises de itens em troca de dinheiro ou produtos gratuitos. Um dos grupos, “Amazon Product Review”, tinha mais de 43.000 membros e supostamente oferecia reembolsos ou outros pagamentos a compradores dispostos a deixar comentários falsos sobre produtos como tripés para câmeras e aparelhos de som automotivos.

Outro grupo, chamado “Amazon Variified Buyer & Seller”, tinha mais de 2.500 membros, segundo a denúncia. Os administradores supostamente buscavam avaliações falsas e as ofereciam aos vendedores da Amazon, cobrando US$ 10 por avaliação, de acordo com capturas de tela de mensagens do Facebook incluídas na reclamação.

A empresa-mãe do Facebook, Meta, derrubou metade dos mais de 10.000 grupos relatados pela Amazon e continua investigando outros, disse a Amazon.

O caso representa o mais recente esforço da Amazon para erradicar avaliações falsas em seu amplo mercado de terceiros. O marketplace agora responde por mais da metade das vendas de e-commerce e ajudou a empresa a ter uma receita recorde. Mas as avaliações falsas se tornaram mais severas à medida que o mercado online da Amazon cresceu para acumular milhões de comerciantes terceirizados. Os maus atores geralmente procuram aumentar suas classificações de produtos ou classificação de pesquisa solicitando avaliações falsas.

Não está claro quem está administrando os grupos do Facebook. A Amazon disse que entrou com o processo para descobrir suas identidades, encerrar os grupos e obrigá-los a devolver seus “ganhos ilícitos da intermediação de avaliações falsas”, de acordo com a denúncia.

A Amazon disse que tem equipes internas que avaliam fornecedores de avaliações falsas. As equipes trabalham com o Facebook para fechar os grupos. “No entanto, novos grupos do Facebook que oferecem avaliações falsas continuam a aparecer”, afirma a queixa.

Muitos dos grupos do Facebook são privados e exigem que novos membros em potencial forneçam prova de que são um vendedor ou revisor da Amazon para serem admitidos. Os publicadores geralmente tentam evitar a detecção pelos moderadores do Facebook, ofuscando a frase “Reembolso após revisão” e digitando “R**fund Aftr R**vew”.

A Amazon disse anteriormente que usa uma combinação de ferramentas de aprendizado de máquina e moderadores humanos para tentar conter avaliações falsas. Também pediu a outras empresas de mídia social para intervir e ajudar, já que comunidades de avaliações falsas floresceram em grupos do Facebook e em aplicativos de mensagens como Telegram, WhatsApp e WeChat.

Com informações de CNBC

 

Deixe um comentário