Fechamento Ibovespa: Bolsa fecha com alta de 0,24% e todos os destaques de hoje (15/08/2022)

LinkedIn

Após operar entre perdas e ganhos ao longo do dia, o Ibovespa fechou em alta, com avanço de 0,24%, a 113.032 pontos. A Bolsa brasileira repercutiu a preocupação do mercado com os dados mais fracos da indústria e do varejo na China.

As principais commodities, como petróleo e minério de ferro, fecharam em queda no mercado internacional. Com isso, as ações de mineração e siderurgia pesaram no Ibovespa. Na outra ponta, companhias de consumo tiveram mais um dia de fortes ganhos com perspectivas melhores para a economia doméstica.

Nesta segunda, a China divulgou que a atividade do país desacelerou inesperadamente em julho, com as frentes industrial e varejista sofrendo com a política de Covid zero e a crise imobiliária. O gigante asiático decepcionou ao entregar resultados piores do que o esperado pelo mercado.

A atividade fabril avançou 3,8% em julho, na base anual, enquanto os analistas calculavam uma alta de 4,3%. Já o comércio varejista cresceu 2,7% frente uma expectativa de avanço de 4,9%. Na tentativa de reativar a demanda, o banco central chinês baixou os juros dos empréstimos de um ano para até 2,75% – foi o segundo corte em 2022.

O pessimismo com o mercado chinês derrubou a cotação do minério de ferro, que fechou em baixa de 3,1% na bolsa de Cingapura, aos US$ 107 a tonelada. O petróleo teve uma queda similar, com o barril Brent perdendo 3,11%, a US$ 95,10, e o barril WTI, -2,91%, a US$ 89,41.

A queda do minério somada com a desaceleração chinesa levou a fortes baixas, como as da Vale (VALE3), que perdeu 2,15%, a R$ 68,30, CSN (CSNA3), com recuo de 4,55%, a R$ 15,93, e Usiminas (USIM5), que caiu 2,42%, a R$ 9,28.

Por outro lado, o otimismo com o cenário doméstico do Brasil vem segurando o Ibovespa em níveis mais altos. Na semana passada, a Bolsa acumulou 5,91% de ganhos – quarta alta semanal seguida e maior ganho em cinco dias desde novembro de 2020.

Do ponto de vista técnico, analistas do Itaú BBA afirmam que o Ibovespa está numa situação de divisor de águas para a tendência de médio prazo. “Caso consiga se firmar acima dos 113 mil pontos, as chances de retomada da alta em direção à máxima histórica aumentam”, escreveram em relatório.

Para eles, mesmo que uma realização de lucros aconteça, não mudaria a tendência de alta atual da Bolsa brasileira.

As varejistas dominaram mais uma vez a posição de destaque das altas do dia. Magazine Luiza (MGLU3) subiu 12,85%, a R$ 4,04, dando continuidade ao forte avanço dos últimos dias. Americanas (AMER3) avançou 18,29%, a R$ 15,33 e Via (VIIA3) teve alta de 14,47%, a R$ 3,64.

De pano de fundo para essas ações, impulsiona a perspectiva de que o aperto monetário pelo Banco Central pode ter acabado ou está perto do fim, e o IBC-Br, prévia do PIB no Brasil, cresceu acima do esperado em junho, em 0,69% ante previsão de 0,38%.

A ponta de perdas foi liderada pela IRB Brasil (IRBR3), com queda de 9,96%, em meio a preocupações sobre as condições de uma potencial oferta de ações que a resseguradora afirmou que avalia para captar recursos. Além disso, o IRB divulgará seu balanço após o fechamento do mercado.

Em Wall Street, os indicadores chineses chegaram a derrubar as bolsas, mas os índices viraram ao longo do pregão e fecharam em alta. O Dow Jones subiu 0,45%, a 33.912,63 pontos, o S&P 500 avançou 0,40%, a 4.297,14 pontos, e o Nasdaq ganhou 0,62%, a 13.128,05 pontos.

O dólar comercial avançou sobre o real, em 0,35%, a R$ 5,0916. A moeda também avançou sobre outros emergentes e pares (DXY +0,85%, a 106,53 pontos).

➡️ Veja o fechamento desta segunda-feira:

🇧🇷 IBOV: +0,21% a 113.003 pts
🏢 IFIX: +1,12% a 2.902 pts
💵 Dólar: +0,35% a R$ 5,09
💶 Euro: –0,65% a R$ 5,17
💰 Bitcoin: –0,79% a R$ 123.029

🇺🇸 Nova York

Dow Jones: +0,45% a 33.912 pts
S&P 500: +0,40% a 4.297 pts
Nasdaq: +0,62%, a 13.128 pts

Acompanhe as altas e baixas da bolsa nos últimos dias:

Data Variação Pontuação Volume Financeiro
01/08/2022  – 0,91%% 102.225,08 R$ 23,4 bilhões
 02/08/2022  1,11%  103.361,70  R$ 25,2 bilhões
03/08/2022 0,40% 103.774,68 R$ 22,2 bilhões
04/08/2022  2,04%  105.892,22 R$ 34,3 bilhões
05/08/2022 0,55%  106.471,92 R$ 26,1 bilhões
08/08/2022  1,81% 108.402,27 R$ 29,8 bilhões
09/08/2022 0,23%   108.651,05 R$ 26,9 bilhões
10/08/2022  1,46% 110.235,76  R$ 28,6 bilhões
11/08/2022 – 0,47%  109.717,94 R$ 34,8 bilhões
12/08/2022 2,78% 112.764,26  R$ 35,9 bilhões
15/08/2022  0,24% 113.031,98 R$ 33,1 bilhões

DESTAQUES DO IBOVESPA – (pregão à vista)

  • ALTAS IBOVESPA

AMER3: +18,29%, a R$ 15,33
VIIA3: +14,47%, a R$ 3,64
CASH3: +14,18%, a R$ 1,53
MGLU3: +12,85%, a R$ 4,04
CVCB3: +9,51%, a R$ 7,83

  • BAIXAS IBOVESPA

IRBR3: -9,96%, a R$ 2,08
BRKM5: -4,86%, a R$ 34,25
CSNA3: -4,55%, a R$ 15,93
SLCE3: -3,57%, a R$ 44,07
RRRP3: -3,51%, a R$ 33,58

Confira o ranking completo de todos os papéis negociados na B3.

  • 💥 Confira os destaques corporativos de hoje 💥

Brisanet (BRIT3) 

A Brisanet reverteu o lucro obtido no 2TRI21 e registrou prejuízo líquido de R$ 1,3 milhão no segundo trimestre de 2022.

Cemig (CMIG3/CMIG4)

Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) registrou lucro líquido consolidado de R$ 49,9 milhões no segundo trimestre deste ano, queda de 97,4% em relação ao mesmo período de 2021. Saiba mais…

Cielo (CIEL3)

As vendas no Varejo em julho de 2022 cresceram 0,7%, descontada a inflação, em comparação com igual mês de 2021, aponta o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA). Em termos nominais, que espelham a receita de vendas observadas pelo varejista, o indicador apresentou alta de 15,3%. Saiba mais…

Cosan (CSAN3)

Cosan encerrou o segundo trimestre com lucro líquido ajustado de R$ 53,6 milhões no segundo trimestre de 2022 (2T22), cifra 94,6% menor do que a reportada na mesma etapa de 2021, informou a companhia. Saiba mais…

A Cosan informou que será dia 15 de agosto a data definida para o pagamento aos debenturistas das 1ª, 2ª e 3ª séries da 3ª emissão.

CPFL (CPFE3)

A CPFL apresentou à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pedido de pedido de registro de oferta pública de aquisição de ações ordinárias e preferenciais de emissão da Companhia Estadual de Transmissão de Energia Elétrica – CEEE-T para conversão de registro de companhia aberta perante a CVM como emissora de valores mobiliários, da categoria “A” para a categoria “B”.

Cruzeiro do Sul (CSED3)

O conselho de administração da Cruzeiro do Sul Educacional aprovou um programa de recompra de ações de até 6% do capital social. Saiba mais…

Dasa (DASA3)

A Dasa aprovou um programa de recompra de ações. Saiba mais…

Eletrobras (ELET3/ELET5/ELET6)

Eletrobras teve lucro líquido de R$ 1,401 bilhão no segundo trimestre deste ano, queda de 45% ante lucro líquido de R$ 2,530 bilhões em igual período do ano 2021, segundo demonstrações financeiras enviadas à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta sexta-feira. Os valores referem-se aos atribuíveis aos acionistas. Saiba mais…

Quase dois meses após ser privatizada, a Eletrobras já começa a dar os primeiros passos para se posicionar como uma das principais geradoras de energia renovável do mundo, e deve triplicar sua capacidade de investimentos, que hoje está em aproximadamente R$ 4 bilhões ao ano, para R$ 15 bilhões anuais. Saiba mais…

Eucatex (EUCA4)

Eucatex anunciou lucro líquido atribuído aos controladores de R$ 45 milhões no segundo trimestre, queda de 73% no comparativo anual. Em termos recorrentes, o lucro ficou em R$ 40,4 milhões, queda de 57% na base anual. Saiba mais…

Grupo Inter (INNT3) 

O Grupo Inter registrou, no segundo trimestre do ano, lucro líquido de R$ 11,8 milhões, uma queda de 61% frente ao mesmo período do ano passado.

Iguá (IGSN3)

A Iguá Saneamento registrou prejuízo líquido de R$ 172,5 milhões no primeiro trimestre de 2022 (1T22), revertendo lucro de R$ 2,3 milhões da mesma etapa de 2021.

IRB (IRBR3)

O IRB afirmou que avalia constantemente diversas alternativas disponíveis para o reforço de sua condição financeira, o que, neste contexto, inclui a possibilidade de uma operação de captação de recursos. Saiba mais…

Jalles Machado (JALL3) 

A Jalles Machado aprovou a 3ª emissão de debêntures incentivadas, as quais serão objeto de distribuição pública com esforços restritos, sob o regime de garantia firme de colocação para o valor total da emissão, que é de R$ 350 milhões. Saiba mais…

JBS (JBSS3)

A JBS divulgou que Michael Koenig foi nomeado diretor de Ética e Compliance com função global. O executivo atuava, desde agosto de 2021, como diretor de Ética e Compliance da Pilgrim’s. Saiba mais…

Kepler Weber (KEPL3) 

A Kepler Weber aprovou o encerramento do programa de recompra de ações de emissão da companhia, aprovado pelo Conselho de Administração em 30 de junho de 2022. Saiba mais…

Magazine Luiza (MGLU3)

O Magazine Luiza entrou para o cardápio de lojas parceiras do shopping virtual do PicPay, a PicPay Store. A parceria inclui cashback para os clientes, que pode chegar a até 10%, válidos para qualquer produto. Saiba mais…

M.Dias Branco (MDIA3) 

M. Dias Branco, líder nos mercados de biscoitos e massas do Brasil, reportou um lucro líquido de R$ 233,5 milhões no segundo trimestre, 64% acima do registrado no mesmo período de 2021. Saiba mais…

Mobly (MBLY3) 

Mobly registrou prejuízo líquido de R$ 27,8 milhões no segundo trimestre deste ano, o que representa alta de 63,9% em relação ao prejuízo do mesmo período de 2021. Saiba mais…

MPM Corpóreos (ESPA3)

A MPM Corpóreos aprovou a realização da 2ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária a ser convolada com garantia real, com garantia adicional fidejussória, em série única, para distribuição pública com esforços restritos, com prazo de vencimento de 3 anos contados da data de sua emissão. Saiba mais…

Padtec (PDTC3)

A Padtec reverteu o lucro de R$ 11,7 milhões do 2T21 para um prejuízo de R$ 4,4 milhões no segundo trimestre de 2022.

Paranapanema (PMAM3)

A Paranapanema registrou prejuízo líquido de R$ 562,3 milhões no segundo trimestre de 2022 (2T22), devido ao forte impacto dos efeitos da variação cambial sobre a dívida e outras posições do balanço em dólar.

PDG (PDGR3)

A PDG Realty registrou lucro líquido de R$ 352 milhões no segundo trimestre de 2022 (2T22), revertendo prejuízo da mesma etapa de 2021.

Petrobras (PETR3/PETR4) 

A Petrobras realizará o pagamento de amortizações ordinárias e juros, em 15 de agosto de 2022, aos detentores das 1ª, 2ª, 3ª e 4ª séries da 5ª emissão de debêntures, emitidas em 15 de agosto de 2017. O valor total é de R$ 4 bilhões.

A Petrobras informa que, como resultado do avanço do projeto de desenvolvimento do campo de Búzios, no pré-sal da Bacia de Santos, assinou nesta segunda-feira, 15, contrato com a Keppel Shipyard Limited para a construção da plataforma P-80, nona unidade a ser instalada no campo. Saiba mais…

A Petrobras anunciou a redução, pela terceira vez em menos de 30 dias, no preço da gasolina nas refinarias. Desta vez, a queda anunciada no preço da gasolina A foi de 4,8% ou R$ 0,18 por litro, que passa de R$ 3,71 para R$ 3,53. Saiba mais…

Petrorecôncavo (RECV3)

A Petrorecôncavo irá pleitear redução de royalties para o mínimo legal de 5% dos seus campos e de suas subsidiárias caracterizados como campos marginais. Saiba mais…

Petz (PETZ3)

A Pet Center informou sobre a aprovação de um programa de recompra de ações. Saiba mais…

Porto Seguro (PSSA3) 

A Porto Seguro assinou acordo para a aquisição de 38% das ações representativas do capital social total e votante da Tech4Humans Tecnologia da Informação, por meio do do Fundo de Investimento em Participações Porto Ventures (FIP Porto Ventures). Saiba mais…

Saraiva (SLED4)

Saraiva, em recuperação judicial, registrou prejuízo líquido ajustado de R$ 21,8 milhões no segundo trimestre de 2022 (2T22), uma redução de 12% em relação ao prejuízo do mesmo período de 2021, informou a companhia. Saiba mais…

Tegra (TEGA3) 

A Tegra registrou lucro líquido de R$ 47 milhões no segundo trimestre de 2022, resultado que é 88% maior frente ao 2T21.

Vale (VALE3)

A Vale informou que a Controladoria-Geral da União (CGU), em decisão publicada nesta data, no âmbito de processo administrativo de responsabilização, concluiu que a Vale deixou de apresentar informações fidedignas no sistema da Agência Nacional de Mineração (ANM) em relação à Barragem I de Brumadinho/MG e que emitiu Declaração de Condição de Estabilidade positiva para a estrutura, no período de junho a setembro de 2018, quando, no entendimento do órgão de controle, ela deveria ser negativa, circunstâncias essas que consistiram em ato lesivo à Administração Pública por dificultar a fiscalização da autarquia minerária. Saiba mais…

(Com informações da CMA, Forbes Money e Momento B3)

Deixe um comentário