Grendene (GRND3): lucro líquido de R$ 65,7 milhões no 2T22, crescimento de 98%

LinkedIn

Grendene, dona das marcas Melissa e Ipanema, reportou lucro líquido de R$ 65,7 milhões no segundo trimestre de 2022 (2T22), desempenho 98% superior ao registrado em igual etapa de 2021, informou a varejista.

Segundo a companhia, o resultado se deve ao aumento dos volumes e do resultado financeiro no período.

A receita líquida cresceu 44,5% em comparação ao segundo trimestre de 2021, somando R$ 517,2 milhões. O volume total cresceu 34,9%, para 31,7 milhões de pares.

Ebitda – juros, impostos, depreciação e amortização – cresceu 28,6% no 2T22, totalizando R$ 28 milhões. A margem Ebitda (Ebitda sobre receita) atingiu 5,4% entre abril e junho, baixa de 0,7 ponto percentual (p.p.) frente a margem registrada em 2T21.

A margem bruta ficou 1,3 ponto percentual menor do que no segundo trimestre, a 34,3%, sentindo o impacto da maior fatia do mercado interno — que tem margens menores do que as exportações — e do aumento dos custos dos insumos.

A receita bruta saltou 46,5% em comparação com o mesmo período de 2021, somando R$ 641,4 milhões, enquanto o volume de pares embarcados avançou em 34,9%, totalizando 31,7 milhões, refletindo a ampliação da receita bruta por par em 8,7%.

No Brasil, a receita bruta cresceu 49,4% em relação ao 2T21, alcançando R$ 498,6 milhões. Ao mesmo tempo, o volume cresceu 32,2%, para 24,3 milhões de pares.

Esses números retratam a receita bruta por par de R$ 20,48, aumento de 13,0% no período. O resultado do trimestre foi especialmente puxado pelos embarques ao mercado brasileiro. A estratégia de incentivo ao sell in e sell out, iniciada ainda no primeiro trimestre, culminou no aumento da positivação e no crescimento das vendas para todos os segmentos e canais de distribuição da Divisão 11 , notadamente do varejo (composto pelas lojas tradicionais de sapataria) e das linhas feminino e infantil.

As vendas confirmaram a expectativa e tiveram crescimento de receita bruta de 46,5%, vs. 2T21, totalizando R$ 641,4 milhões; o volume vendido avançou 34,9% ou 31,7 milhões de pares.

No mercado interno, o resultado foi positivo em todos os segmentos e canais de distribuição, com crescimento de 49,4%, em receita bruta, para R$498,6 milhões; e de 32,2% em volume, para 24,3 milhões de pares. Com um impulso nas vendas ao mercado externo, a Companhia cresceu 37,4% nas exportações, ante o segundo trimestre do ano passado, alcançando R$142,8 milhões em receita bruta.

O volume embarcado foi de 7,4 milhões de pares, 44,6% maior que de abril a junho de 2021. A receita bruta por par em dólares cresceu 2,3% para USD3,93, enquanto em reais o indicador recuou 5,0% com a valorização da moeda local no período.

O resultado financeiro líquido foi positivo em R$ 67,6 milhões, um crescimento de 38,8% em relação ao mesmo período de 2021.

O lucro bruto atingiu a cifra de R$ 176,9 milhões no segundo trimestre de 2022, um aumento de 39,3% na comparação com igual etapa de 2021. A margem bruta foi de 34,2% no 2T22, baixa de 1,3 p.p. frente a margem do 2T21.

As despesas operacionais somaram R$ 173,6 milhões no 2T22, um crescimento de 35,9% em relação ao mesmo período de 2021.

O preço da matéria-prima, porém, começa a dar sinais de alívio no horizonte. Albuquerque explica que o composto de PVC, que representa 50% dos custos do produto, caiu 13% no ano, embora ainda não tenha sido suficiente para compensar a alta acumulada desde o início da pandemia. O custo de produto vendido (CPV) por par ficou em R$ 10,72, acima dos R$ 9,82 do segundo trimestre de 2021, mas abaixo dos R$ 11,24 do primeiro trimestre deste ano.

No primeiro semestre, o caixa de R$ 375 milhões gerado nas atividades operacionais foi destinado para: investimentos em controladas e coligadas no valor de R$ 75,5 milhões; aquisição de imobilizados e intangível no valor de R$ 78,5 milhões; aplicações financeiras no valor líquido de R$ 2,4 milhões; pagamento de dividendos e juros sobre capital próprio no valor de R$ 156,9 milhões; pagamento de empréstimos e financiamentos no valor líquido de R$ 61,2 milhões e resultado líquido de R$ 0,8 milhão na compra e venda de ações em tesouraria para exercício dos detentores de opções de compra outorgadas pela empresa resultou na redução de R$ 0,3 milhão, no valor mantido em caixa e equivalentes.

a. Em 30 de junho de 2022, o caixa líquido (considerando caixa, equivalentes e aplicações financeiras de curto e longo prazo menos empréstimos e financiamentos de curto e longo prazo) era de R$ 1,7 bilhão, aumento de 13,1% em relação aos R$ 1,5 bilhão de 31 de dezembro de 2021. A proporção da receita líquida acumulada nos últimos 12 meses (30 de junho de 2021 a 30 de junho de 2022) mantida em caixa e equivalentes e aplicações financeiras caiu de 84,0%, para 66,3%.

Os resultados da Grendene (BOV:GRND3) referentes suas operações do segundo trimestre de 2022 foram divulgados no dia 05/08/2022. Confira o Press Release completo!

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão

Deixe um comentário