Saraiva (SLED4): prejuízo líquido ajustado de R$ 21,8 milhões no 2T22, redução de 12%

LinkedIn

A Saraiva, em recuperação judicial, registrou prejuízo líquido ajustado de R$ 21,8 milhões no segundo trimestre de 2022 (2T22), uma redução de 12% em relação ao prejuízo do mesmo período de 2021, informou a companhia.

A receita líquida caiu 4,6% no comparativo trimestral, para R$ 18,8 milhões.

ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – ajustado foi negativo em R$ 9,7 milhões no 2T22, ante R$ 19 milhões negativos do 2T21, uma melhora de 49%. A margem Ebitda ajustada atingiu -51% entre abril e junho, alta de 44,6 p.p. frente a margem registrada em 2T21.

O lucro bruto ajustado atingiu a cifra de R$ 7,2 milhões no segundo trimestre de 2022, uma redução de 12% na comparação com igual etapa de 2021. A margem bruta ajustada foi de 38% no 2T22, baixa de 2,9 p.p. frente a margem do 2T21.

A receita bruta de lojas físicas no 2T22, atingiu R$ 18,2 milhões, o que representa um aumento de 6,5% quando comparada ao mesmo período do ano anterior. A receita líquida, seguindo a mesma linha, apresentou aumento de 9,8%.

O Same Store Sales, ou seja, as vendas nas mesmas lojas comparadas entre o 2T22 e 2T21 teve aumento de 20%, demonstrando a força da Companhia em recuperar-se financeiramente.

As vendas brutas do site Saraiva.com apresentaram declínio de 78,3% em relação ao ano anterior, enquanto as vendas líquidas reduziram em 81,4%. A baixa performance de venda do site se deve a problemas estruturais na solução, motivo pelo qual está sendo totalmente reformulado com previsão de lançamento da nova versão em setembro de 2022.

O resultado financeiro líquido ajustado, excluindo o impacto da alteração contábil em virtude do CPC 06 IFRS 16, foi de R$ 87,9 milhões no segundo trimestre de 2022, composto principalmente pelo cálculo AVP (ajuste a valor presente) do passivo da Companhia.

A linha de despesas operacionais contábil recorrentes, incluindo o efeito do IFRS-16, totalizou R$20,5 milhões no 2T22, apresentando um aumento de despesa no total de R$ 10,9 milhões em relação ao 1T22.

Este aumento é decorrente primordialmente de do aumento das despesas financeiras e maior despesas com vendas no período. As outras despesas/receitas operacionais não recorrentes registrou R$ 128,7 milhões no 2T22. Este valor corresponde ao total do deságio aplicado sobre o saldo da dívida cujos credores optaram pela conversão em ações.

Em 30 de junho de 2022, o saldo total de caixa disponível, caixa bloqueado e recebíveis de cartão de crédito era de R$ 24,9 milhões, contra R$ 9,8 milhões em 30 de junho de 2021, em virtude, principalmente, da venda dos créditos tributários de ICMS.

A dívida líquida consolidada (excluindo o saldo de Credores relativo ao processo de recuperação judicial) da Saraiva em 30 de junho de 2022, que somava R$ 160 milhões, contra R$ 156,5 milhões em 31 de março de 2022, e R$ 160,5 milhões em 30 de junho de 2021. Se considerarmos os recebíveis do cartão de crédito, encerramos o 2T22 com uma dívida líquida de R$ 163,9 milhões contra R$ 162,4 milhões no 2T22.

Os resultados da Saraiva (BOV:SLED3) (BOV:SLED4) referente suas operações do segundo trimestre de 2022 foram divulgados no dia 12/08/2022. Confira o Press Release completo!

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney

Deixe um comentário