Yduqs (YDUQ3): prejuízo líquido de R$ 63,3 milhões no 2T22

LinkedIn

A Yduqs registrou prejuízo líquido de R$ 63,3 milhões no segundo trimestre de 2022 (2T22), revertendo lucro de R$ 116,5 milhões da mesma etapa de 2021, informou a companhia.

A empresa atribui o desempenho principalmente a piora do resultado financeiro líquido do período. Em termos ajustados, o lucro passou de R$ 37,7 milhões para prejuízo de R$ 15,6 milhões.

O resultado líquido da companhia também foi impactado por efeitos não recorrentes, que totalizaram R$ 47,8 milhões no 2T22 e R$ 67,8 milhões no 1S22, sendo no ebitda R$ 32 milhões no 2T22 e R$ 36,1 milhões no 1S22; ágio das aquisições, sendo R$15,7 milhões no 2T22 e R$ 31,4 milhões no 1S22; IR e contribuição social de R$0,1 milhão no 2T22 e R$ 0,2 milhões no 1S22. Excluindo-se esses efeitos, no 2T22 o resultado líquido ajustado foi negativo em R$ 15,6 milhões. No 1S22, o lucro líquido ajustado totalizou R$ 80,5 milhões, uma redução de 61,6% vs. 1S21, com uma margem líquida ajustada de 3,5% (-5,9 p.p.).

A receita líquida totalizou R$ 1,1 bilhão no segundo trimestre deste ano, o que representa uma queda de 2,2% na comparação com o mesmo período de 2021.

ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – totalizou R$ 304,9 milhões no 2T22, uma diminuição de 12,6% em relação ao 2T21.

No primeiro semestre de 2021 vs. 2022 ocorreram alguns efeitos sazonais entre os trimestres, que impactam, de acordo com a empresa, a análise trimestral do Ebitda da Yduqs:

  • postergação da captação do 1T21 para o 2T21, em função ao atraso do ENEM (principalmente no segmento presencial);
  • efeito da captação trimestral do ensino digital (+100 mil alunos no 2T21) que em sua maioria foi DIS, que tem o reconhecimento full da receita e
  • campanha “Brilho Duplo” no 1S22 com uma menor adesão ao DIS, que ocasionou em uma redução da receita do segmento presencial e ensino digital”, disse a empresa no relatório de divulgação de resultados do 2T22 do Yduqs.

O lucro bruto atingiu a cifra de R$ 603,3 milhões no segundo trimestre de 2022, um recuo de 8,5% na comparação com igual etapa de 2021. A margem bruta foi de 53,2% no 2T22, baixa de 3,7 p.p. frente a margem do 2T21.

O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 189 milhões no segundo trimestre de 2022, uma elevação sobre as perdas financeiras de 144,7% sobre a mesma etapa de 2021.

O custo dos serviços prestados atingiu R$ 531,6 milhões, um avanço de 6,1% vs. 2T21 e 4,1% vs. 1S21, ficando abaixo da inflação acumulada em 12 meses (IPCA(2) 12%).

A base total de alunos subiu 57,8% em relação ao mesmo período de 2021, somando 1,3 milhão. Destaque para o incremento de 92,4% na quantidade de estudantes do ensino digital, impulsionado pela aquisição da Qconcursos. Nas modalidades presencial e premium, os avanços foram de 0,9% e 7,8%, respectivamente.

Na unidade de negócio premium, o tíquete médio da graduação de Medicina totalizou R$ 9.350/mês, crescimento anual de 6,0%. Já o da graduação IBMEC totalizou R$ 3.011, 11,5% maior na mesma base comparativa, impulsionado principalmente pelo aumento da captação em São Paulo, que possui um tíquete mais alto.

Já o tíquete médio da graduação digital totalizou R$203/mês, redução de 18,7%, refletindo uma menor captação no trimestre, com queda de 51% ante o mesmo período de 2021 e consequentemente uma menor receita DIS no período.

O tíquete médio da graduação Presencial Total apresentou uma queda de 11,9% ano contra ano, totalizando R$ 580. O da graduação presencial totalizou R$ 606, queda de 10,4%, enquanto o do semipresencial totalizou R$ 366, recuo de 8,8%, ambos impactados principalmente, pelo efeito de curto prazo da campanha ‘Brilho Duplo’, uma menor adesão ao DIS e um maior volume de alunos calouros na base em relação ao segundo trimestre de 2021.

As despesas gerais e administrativas somaram R$ 241,3 milhões no 2T22, um crescimento de 1,9% em relação ao mesmo período de 2021.

  • O Capex total da companhia, apresentou um aumento de R$ 14,6 milhões vs. 2T21 e R$ 34,6 milhões vs. 1S21. Abaixo as principais variações para este resultado. Aumento de R$ 15,7 milhões vs. 2T21 e R$ 34 milhões vs. 1S21 na linha de transformação digital e tecnologia, resultado dos esforços da companhia em oferecer serviços educacionais cada vez mais modernos e inovadores.
  • Aumento de R$ 8,3 milhões vs. 2T21 e R$ 9,4 milhões vs. 1S21 de sustentação e melhoria, que são os investimentos relacionados com a manutenção e melhoria da infraestrutura das unidades, projetos associados com a satisfação do aluno, questões legais e de Compliance, além da desmobilização de ativos.
  • A linha de expansão, que são os investimentos relacionado com novos cursos e maturação dos já existentes, apresentou uma redução de R$ 9,4 milhões vs. 2T21 e R$ 8,7 milhões vs. 1S21.

A posição de caixa e disponibilidades da Companhia, totalizou R$ 1.467,4 milhões no 2T22. A dívida líquida (excluindo arrendamento mercantil), encerrou o trimestre totalizando R$ 2.656,4 milhões.

A dívida líquida do Yduqs atingiu R$ 4,3 bilhões no trimestre, subindo 31,7% na comparação com a mesma etapa de 2021.

No lado positivo, a base total de alunos da Yduqs cresceu 57,8% contra mesmo período de 2021, atingindo 1,3 milhão, impulsionado pelo crescimento de 92,4% da base do Ensino Digital na mesma comparação, com 984,1 mil alunos deste total.

Os resultados da Yduqs (BOV:YDUQ3) referente suas operações do segundo trimestre de 2022 foram divulgados no dia 17/08/2022. Confira o Press Release completo!

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão

Deixe um comentário