CBA pretende acelerar produção de alumínio via reciclagem

LinkedIn

A Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), busca ampliar seu segmento de reciclagem, visando a desenvolver um portfólio sustentável no longo prazo com melhor relação entre risco e retorno, e considera realizar novas fusões e aquisições, de acordo com executivos da empresa, controlada pelo grupo Votorantim, durante o “CBA Day”. A informação é do Valor.

O comunicado foi feito pela empresa (BOV:CBAV3) nesta quarta-feira (05).

Conforme o jornal, a empresa terá, em 2023, nova linha de reciclagem na Metalex, controlada de transformação de sucata de alumínio. Após isso, será a maior fábrica da América Latina para processamento de sucata de extrusão, informou o diretor de negócios primários, Alexandre Viana.

Segundo disse, a nova unidade terá capacidade de fazer a separação de diversos tipos de materiais e de acessar sucatas de menor preço e receber material solto. A nova linha vai ampliar o conteúdo reciclado e dar maior flexibilidade aos clientes. Com a Alux, a empresa passou a ter acesso a um mercado de 300 mil toneladas.

VISÃO DO MERCADO

BTG Pactual

O BTG Pactual destacou em relatório o investidor da CBA (CBAV3). O evento, organizado pela administração da companhia, focou em 3 grandes temas: dinâmica do mercado de alumínio; trajetória de crescimento da CBA e oportunidades no negócio de reciclagem, e inovação como forma de impulsionar a demanda de alumínio.

“Apesar da pressão da margem no curto prazo, continuamos a ver a CBA como a tese de investimento de longo prazo temático mais interessante sob nossa cobertura, e ainda muito bem posicionada para se beneficiar das tendências de transição energética daqui para frente”, escreve o time do BTG no relatório.

Informações Euqueroinvestir

Deixe um comentário