Gol estima prejuízo de R$ 1,81 por ação no 3T22

LinkedIn

A Gol anunciou que estima prejuízo por ação de aproximadamente R$ 1,81 no terceiro trimestre de 2022. Já para cada “ação depositária americana”, a perspectiva é de US$ 0,71 de prejuízo.

O comunicado foi feito pela companhia (BOV:GOLL4) nesta quinta-feira (13).

A margem Ebitda, que mede a eficiência operacional da companhia, está estimada em aproximadamente 15%. Um ano antes, o indicador era de 24,3%, segundo a apresentação de resultados da companhia (que especificava que estavam consideradas as despesas estritamente relacionadas aos níveis da operação naquele momento).

O comunicado indica que o custo unitário, excluindo combustível, deverá reduzir aproximadamente 25%, comparativamente ao terceiro trimestre do ano anterior, principalmente devido ao aumento de oferta e incremento de produtividade, diz a companhia. Já os custos unitários com combustíveis deverão apresentar aumento de 87% em relação a um ano atrás, em razão do aumento do preço médio do querosene de aviação.

A alta do querosene foi de aproximadamente 89%, o que foi parcialmente compensada por uma redução de cerca de 4% no consumo de combustível por hora operada. Isso porque houve maior parcela da frota composta pelas aeronaves 737-MAX.

A alavancagem financeira da companhia, representada pelo indicador “Dívida Líquida/Ebitda”, foi de aproximadamente 10 vezes, no terceiro trimestre. A liquidez total no final do trimestre está estimada em R$ 3,6 bilhões.

A receita unitária de passageiros esperada para o terceiro trimestre, segundo o comunicado da Gol, é maior em aproximadamente 45%, comparada ao mesmo período do ano anterior, “impulsionada pelo crescimento contínuo na demanda doméstica de viagens de lazer combinado com a retomada gradual de viagens internacionais”.

Já a receita da Smiles foi maior em 53% em comparação ao mesmo período de 2019 com um crescimento na base de clientes de 31% em relação a dois anos atrás. A receita unitária total, por sua vez, deverá apresentar crescimento de 45% no mesmo período.

A companhia avisou, no comunicado, que os dados divulgados são preliminares e que não foram auditados.

VISÃO DO MERCADO

Bradesco BBI

O Bradesco BBI aponta que, embora os resultados preliminares da Gol tenham ficado abaixo do consenso, eles confirmam o compromisso da empresa de manter a disciplina de capacidade, aumentando os preços das passagens aéreas e protegendo as margens. No 3T22, a GOL registrou receita total de R$ 3,973 bilhões (+107% na base anual), ligeiramente abaixo do consenso (-3%).

Apesar do forte desempenho da receita, o Ebitda ajustado ficou 11% abaixo do consenso o que, na opinião dos analistas, pode se atribuir a preços de combustível de aviação acima do esperado. “Isso não é uma preocupação, uma vez que a empresa continua renovando sua frota de aeronaves para reduzir o consumo de combustível e diluir os custos por unidade de capacidade ex-combustível”, apontam os analistas do banco.

O banco atualizou o modelo de valuation da Gol para incorporar: os resultados preliminares do 3T22, novas premissas macroeconômicas e preços de petróleo mais baixos no 4T22 e 2023, levando a um preço-alvo de R$ 13 para 2023 (potencial de alta de 28% ante o fechamento da véspera) versus preço-alvo anterior de R$ 12 para 2022.

Embora as receitas de 2022 tenham ficado praticamente em linha com seu modelo anterior, revisou a sua estimativa de Ebitda para 2022 em mais 22%. Para 2023, elevou a projeção para a margem Ebitda da Gol de 20,5% para 21,3% devido a projeções de preços mais baixos do combustível de aviação, mas assumindo que parte dessa redução será compartilhada com os passageiros, resultando em preços de passagens aéreas mais baixos.

Informações Infomoney

Deixe um comentário