ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for alerts Cadastre-se para alertas em tempo real, use o simulador personalizado e observe os movimentos do mercado.

Aliansce Sonae (ALSO3): lucro líquido de R$ 2,974 bilhões no 1T23, aumento de 5.580,9%

LinkedIn

A Aliansce Sonae registrou aumento de 5.580,9% no lucro líquido no primeiro trimestre de 2023 em relação a igual período do ano passado, saindo de R$ 52,4 milhões para R$ 2,974 bilhões.

O resultado foi beneficiado por um ganho contábil, sem efeito no caixa, no valor de R$ 4,4 bilhões e que decorre da fusão entre Aliansce Sonae e brMalls.

A fusão acertada em 2022 previa que a Aliansce teria que entregar ações para os acionistas da brMalls como parte do pagamento. A entrega se deu no começo deste ano, e o valor da ação em Bolsa caiu de lá para cá. Portanto, é como se o pagamento tivesse sido “menor” na linguagem da contabilidade, gerando esse lucro excepcional.

Os demais indicadores financeiros não tiveram esse impacto.

O lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado foi de R$ 436,3 milhões, alta anual de 10,8%. Isso levou a uma alta da margem Ebitda ajustada de 0,23 p.p. (pontos percentuais), para 72,7%.

A receita líquida somou R$ 600,3 milhões no primeiro trimestre deste ano, crescimento de 10,5% na comparação com igual etapa de 2022.

A receita de locação somou R$ 477,6 milhões, um acréscimo de 7,9% versus o 1T22, impulsionada pela retirada massiva de descontos nos últimos trimestres.

Já o resultado do estacionamento totalizou R$ 98,2 milhões no 1T23, expandindo 24,3% em relação ao mesmo período de 2022.

O FFO (lucro líquido excluindo depreciação, amortização e efeitos não caixa) ajustado atingiu a cifra de R$ 236,3 milhões no primeiro trimestre de 2023, um aumento de 22,7% na comparação com igual etapa de 2022. A margem FFO ajustada foi de 38,9% no 1T23, alta de 4,3 p.p. frente a margem do 1T22.

Os aluguéis mesmas lojas (SSR, na sigla em inglês) cresceram 8,5% no 1T23, ante alta de 60% na base anual.

A taxa de ocupação da Aliansce Sonae alcançou o patamar de 96,8% no 1T23.

As despesas com vendas, gerais e administrativas somaram R$ 99,8 milhões no período.

O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 146,1 milhões no primeiro trimestre de 2023, uma redução de 15,4% sobre as perdas financeiras da mesma etapa de 2022.

Em 31 de março de 2023, a dívida líquida da companhia era de R$ 4,563 bilhões.

O Capex realizado da Aliansce Sonae foi de R$ 71,5 milhões, investidos em manutenção e revitalização de seus shoppings; expansões; desenvolvimento de projetos da Alsotech para soluções figitais e investimentos em equipamentos para mídia.

A Aliansce Sonae apresentou geração operacional de caixa de R$ 418,6 milhões no 1T23, o que representa uma conversão de Ebitda em caixa de 94,4%.

Os resultados da Aliansce Sonae (BOV:ALSO3) referentes suas operações do primeiro trimestre de 2023 foram divulgados no dia 15/05/2023.

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão, Reuters e TC

Deixe um comentário