ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for charts Cadastre-se para gráficos em tempo real, ferramentas de análise e preços.

Ações de fabricantes chineses de veículos elétricos caem após UE abrir investigação anti-subsídios

LinkedIn

As ações de fabricantes chineses de veículos elétricos (VE) listadas em Hong Kong caíram nesta quinta-feira depois que a Comissão Europeia lançou uma investigação sobre os subsídios chineses para VEs, aumentando as tensões entre Pequim e a UE.

As ações de Hong Kong da líder de mercado BYD caíram mais de 3%. O rival menor Xpeng caiu 0,6%, enquanto o Nio caiu mais de 2% e a Geely Auto caiu mais de 1%.

Pequim classificou nesta quinta-feira o lançamento de uma investigação pela Comissão Europeia sobre os subsídios para veículos elétricos (VE) da China como protecionista e alertou que isso prejudicaria as relações econômicas e comerciais, à medida que as ações dos fabricantes chineses de VE caíam.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen , anunciou a investigação na quarta-feira, acusando a China de inundar os mercados globais com carros elétricos com preços artificialmente baixos devido a enormes subsídios estatais.

A investigação, que poderá resultar em tarifas punitivas, suscitou alertas de analistas sobre uma acção retaliatória por parte de Pequim, bem como uma resistência por parte dos executivos da indústria chinesa, que afirmam que a vantagem competitiva do sector não se deve aos subsídios.

A investigação “é um ato protecionista flagrante que irá perturbar e distorcer seriamente a indústria automóvel global e a cadeia de abastecimento, incluindo a UE, e terá um impacto negativo nas relações económicas e comerciais China-UE”, afirmou o Ministério do Comércio da China num comunicado.

“A China prestará muita atenção às tendências protecionistas da UE e às ações de acompanhamento, e salvaguardará firmemente os direitos e interesses legítimos das empresas chinesas”, acrescentou.

Os analistas do Eurasian Group alertaram que, se Bruxelas acabar por cobrar direitos sobre os VE chineses subsidiados, Pequim provavelmente imporá contra-medidas para prejudicar as indústrias europeias.

Outros analistas disseram que a investigação poderia retardar a expansão da capacidade dos fornecedores de baterias da China, embora a medida não deva representar um grande risco para os fabricantes chineses de veículos elétricos, porque eles poderiam recorrer a outros mercados em crescimento, como o Sudeste Asiático.

Deixe um comentário