ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for tools Aumente o nível de sua negociação com nossas ferramentas poderosas e insights em tempo real, tudo em um só lugar.

Bolsas mundiais abrem a semana de forma cautelosa antes da reunião sino-americana

LinkedIn

Bem-vindo à sua leitura matinal de cinco minutos de como os mercados estão reagindo ao redor do mundo nesta manhã.

ÁSIA: Os principais mercados da Ásia registraram sinais mistos no fechamento da sessão de segunda-feira.

Muitos mercados da região reverteu os ganhos para negociar em baixa, uma vez que os investidores se mantiveram cautelosos antes da primeira reunião presencial entre o presidente dos EUA, Joe Biden e do presidente da China, Xi Jinping, que acontecerá nesta semana, depois de quase um ano. Uma autoridade americana disse que os líderes devem discutir questões polêmicas, incluindo comunicações militares, direitos humanos e o Mar do Sul da China, mas especialistas acreditam que nem os EUA e nem a China parecem estar preparados para uma mudança significativamente em suas relações, mas a reunião poderá abrir caminho para futuras discussões sobre soluções de questões que afetam ambos os países.

O Nikkei do Japão encerrou com alta de 0,05%, em 32.585,11 pontos. A inflação no atacado do Japão abrandou acentuadamente no mês passado, num sinal de que as pressões sobre os custos começaram a arrefecer gradualmente. De acordo com dados divulgados pelo Banco do Japão, o seu índice de preços de bens corporativos subiu 0,8% em outubro em relação ao ano anterior, um pouco abaixo da expectativa de um aumento de 0,9%. A leitura ficou abaixo de 1% pela primeira vez desde fevereiro de 2021 e marcou o décimo mês consecutivo de arrefecimento da inflação no atacado.

O Kospi da Coreia do Sul caiu 0,24%, para fechar em 2.403,76 pontos.

Na Austrália, o S&P/ASX 200 caiu 0,40%, para fechar em 6.948,80 pontos. O setor de energia foi afetada pelas quedas de 1,7% e 0,6% dos pesos-pesados da energia Santos e Woodside, respectivamente, com os preços do petróleo Brent caindo 0,7% durante o pregão asiático. A mineradora de carvão Whitehaven caiu 1,7% e também pesou sobre o setor. Entre as mineradoras, BHP subiu 0,2%, enquanto Fortescue Metals e Rio Tinto caíram 0,2% cada.

O índice Hang Seng de Hong Kong subiu 1,58%, em 17.463,00 pontos, enquanto na China continental, o Shanghai Composite subiu 0,25%, em 3.046,53 pontos e o Shenzhen Component adicionou 0,1%, em 9.988,83 pontos.

EUROPA: Os mercados europeus iniciam a semana em território positivo.

O alemão DAX 30 sobe 0,3% e o francês CAC 40 avança 0,5%.

Em Londres, o FTSE 100 sobe 0,6%. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American sobe 0,7%, Antofagasta caia 0,1%, enquanto as gigantes BHP e Rio Tinto sobem 1% e 0,8%, respectivamente.

O ex-primeiro-ministro do Reino Unido David Cameron foi nomeado secretário de Relações Exteriores na segunda-feira, em uma ampla remodelação do gabinete do atual primeiro-ministro Rishi Sunak. Cameron serviu como primeiro-ministro de 2010 a 2016 e presidiu a controversa votação britânica do Brexit, que acabou por levar à sua demissão.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA caem na segunda-feira, depois que a Moody’s Investors Service reduziu a sua classificação de crédito dos EUA de estável para negativa.

Na tarde de sexta-feira, a Moody’s destacou os “enormes” déficits fiscais dos EUA e o impasse partidário em Washington como fatores que contribuíram para o rebaixamento, porém a agência de classificação reafirmou a classificação de crédito dos EUA em AAA, o nível mais alto. A agência disse que “no contexto de taxas de juro mais elevadas, sem medidas eficazes de política fiscal para reduzir os gastos do governo ou aumentar as receitas, a Moody’s espera que os défices fiscais dos EUA continuem a ser muito elevados, enfraquecendo significativamente a acessibilidade da dívida”. Isto ocorre três meses depois que a Fitch reduziu a sua classificação de longo prazo dos EUA de AAA para AA+, citando também a deterioração fiscal esperada, um peso crescente da dívida e impasses políticos em questões fiscais e de dívida.

O movimento ocorre em meio a uma ameaça crescente de paralisação do governo dos EUA. O governo será financiado até 17 de novembro, mas os legisladores estão divididos quanto a um projeto de lei de financiamento após esse prazo.

Os principais índices estão saindo da segunda semana consecutiva de ganhos. O S&P 500 subiu 1,3% na semana anterior, enquanto o Dow e o Nasdaq ganharam cerca de 0,7% e 2,4%, respectivamente.

Os rendimentos do Tesouro dos EUA sobem na manhã de segunda-feira, com os investidores aguardando os principais dados de inflação previstos para esta semana, indicadores para as futuras decisões de política monetária do Federal Reserve. Isto inclui o índice de preços ao consumidor de outubro e o índice de preços ao produtor de outubro, que serão publicados na terça e quarta-feira, respetivamente.

O presidente do Fed, Jerome Powell, disse na semana passada que a inflação ainda está muito alta e reiterou o compromisso do banco central de trazê-la de volta para a meta de 2%. Powell observou que foram feitos progressos nesse sentido, observou Powell, mas a Fed “não está confiante” de que a sua atual orientação da política monetária seja suficientemente restritiva para atingir o objetivo e que ainda há “um longo caminho a percorrer” no processo.

No que diz respeito aos dados econômicos, os investidores estarão atentos ao orçamento federal mensal de Outubro às 16h00, bem como os dados de Outubro sobre as expectativas dos consumidores do Federal Reserve Bank de Nova York. A governadora do Fed, Lisa Cook, fará comentários às 10h50 de segunda-feira. Tudo isso vem antes dos dados mensais do índice de preços ao consumidor na terça-feira.

CRIPTOMOEDAS:

Btcoin: -0,33% em US $ 36.979,10
Ethereum: +038% em US $ 2.056,91

ÍNDICES FUTUROS – 7h50:
Dow: +0,02%
S&P 500: -0,15%
NASDAQ: -0,21%
COMMODITIES:
MinFe Dailan: +1,68%
Brent: +0,19%
WTI: +0,23%
Soja: +0,46%
Ouro: +0,26%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, independente, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra, manutenção ou venda de ativos.

Deixe um comentário