ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for charts Cadastre-se para gráficos em tempo real, ferramentas de análise e preços.

Microsoft e OpenAI sob investigação de antitruste no Reino Unido pela parceria

LinkedIn

A parceria entre a Microsoft Corp. (NASDAQ:MSFT) e a OpenAI Inc., que recentemente passou por uma reformulação de sua governança, está enfrentando um escrutínio crescente. O órgão antitruste do Reino Unido anunciou que está considerando se deve iniciar uma investigação completa sobre a situação.

A Autoridade de Concorrência e Mercados (CMA) afirmou na sexta-feira (8) que está buscando a opinião das partes interessadas para determinar se a recente colaboração entre as duas empresas poderia criar problemas de concorrência no mercado britânico. Como resultado desse anúncio, as ações pré-mercado da Microsoft registraram uma queda de 0,5%.

A Microsoft também é negociada na B3 através do ticker (BOV:MSFT34).

Essa movimentação coloca a gigante da tecnologia sob um escrutínio mais detalhado, algo que a empresa evitou durante décadas. Recentemente, a Microsoft enfrentou a polêmica envolvendo a aquisição da Activision Blizzard, um drama que foi finalizado com a aprovação do acordo de jogos.

É importante destacar que a Microsoft é a maior investidora da OpenAI, com um aporte de US$ 13 bilhões na startup até o momento. A gigante do software também incorporou diversos produtos da OpenAI em seu conjunto de ferramentas empresariais, enquanto a startup utiliza consideráveis recursos dos serviços em nuvem da Microsoft.

O relacionamento entre as duas empresas foi fortalecido ainda mais quando a Microsoft interveio para ajudar a lidar com as consequências da demissão dramática do CEO Sam Altman pelo conselho da OpenAI no mês passado, um evento que abalou toda a indústria.

A CMA pretende analisar se o equilíbrio de poder entre as duas empresas sofreu mudanças fundamentais, dando a uma delas maior controle ou influência sobre a outra. Questionada sobre essa medida da CMA, a Comissão Europeia informou que está acompanhando de perto a situação relacionada ao controle da OpenAI.

Brad Smith, presidente da Microsoft, recentemente declarou que não vislumbra um cenário em que a Microsoft assuma o controle total da OpenAI.

Vale lembrar que após a demissão de Sam Altman, o CEO da Microsoft, Satya Nadella, manifestou a intenção de contratá-lo, e a maioria da equipe da OpenAI ameaçou mudar para a Microsoft a menos que Altman fosse reintegrado, após a saída de dois dos quatro diretores do conselho. A OpenAI nomeou um conselho interino de três pessoas para selecionar novos diretores, e no final de novembro, anunciou a nomeação da Microsoft como observadora sem direito a voto no conselho.

De acordo com Smith, “A única alteração significativa é que a Microsoft agora terá um observador sem direito a voto no conselho da OpenAI, o que é substancialmente diferente de uma aquisição, como foi o caso da compra da DeepMind pelo Google no Reino Unido.

Deixe um comentário