ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for default Cadastre-se gratuitamente para obter cotações em tempo real, gráficos interativos, fluxo de opções ao vivo e muito mais.

Previsões para o mercado de ações dos EUA no 1T24: Análise indica potencial instabilidade econômica

LinkedIn

Segundo análises de Michael Hartnett, renomado estrategista do Bank of America Corp. (NYSE:BAC), os mercados de ações dos Estados Unidos enfrentarão desafios significativos no início de 2024. Hartnett, que mantém uma visão pessimista, mesmo com o S&P 500 (SPI:SP500) registrando um aumento de cerca de 19% ao longo deste ano, argumenta que a alta nos rendimentos dos títulos do governo é um sinal claro de uma possível instabilidade no crescimento econômico.

O Bank of America também é negociado na B3 através do ticker (BOV:BOAC34).

O estrategista enfatiza que os rendimentos mais baixos foram um dos principais impulsionadores dos ganhos nas ações no trimestre atual. No entanto, uma eventual queda nos rendimentos para 3% poderia representar uma “aterrissagem forçada” para a economia, alterando a narrativa de “rendimentos mais baixos = ações mais altas” para “rendimentos mais baixos = ações mais baixas”, conforme indicado em uma nota datada de 7 de dezembro.

O desempenho das ações nos Estados Unidos praticamente estagnou neste mês, após registrar alguns dos melhores ganhos de novembro em um século. Isso ocorre enquanto os investidores aguardam ansiosamente o momento em que o Federal Reserve começará a reduzir as taxas de juros. Os rendimentos dos títulos do governo de 10 anos dos EUA caíram para cerca de 4,2%, após atingirem 5% no final de outubro, o nível mais alto desde 2007.

A próxima indicação sobre as perspectivas das taxas de juros provavelmente virá na sexta-feira, com a divulgação dos dados de emprego nos EUA. A Bloomberg Economics prevê que esses dados possam mostrar um aumento na taxa de desemprego em novembro, indicando uma possível entrada em recessão econômica. Hartnett adverte que se o número de novos empregos criados ficar abaixo de 100.000, isso seria mais um sinal de uma aterrissagem econômica brusca.

Além disso, os indicadores de sentimento do mercado não sustentam mais ganhos em ativos de risco, de acordo com Hartnett. O sinal personalizado de alta e baixa do BofA subiu de 2,7 para 3,8 na semana encerrada em 6 de dezembro, registrando o maior aumento semanal desde fevereiro de 2012. Geralmente, uma leitura abaixo de 2 é considerada um sinal de compra contrário.

As previsões pessimistas de Hartnett contrastam com as perspectivas otimistas de outros analistas, como Savita Subramanian, estrategista quantitativa do BofA, que espera que o S&P 500 atinja recordes no próximo ano, baseada na desaceleração da inflação e na eficiência corporativa. O Deutsche Bank Group AG e o RBC Capital Markets também preveem máximas históricas para o índice em 2024. Já Michael Wilson, do Morgan Stanley, tem uma perspectiva mais neutra.

Deixe um comentário