ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for discussion Cadastre-se para interagir em nossos fóruns de ativos e discutir com investidores ideias semelhantes.

Copel: Itaú Corretora passa a ser a instituição financeira depositária das ações escriturais de sua emissão

LinkedIn

A Copel informou que a partir do próximo dia 19 de janeiro a Itaú Corretora de Valores passará a ser a instituição financeira depositária das ações escriturais de sua emissão, substituindo o Bradesco.

O comunicado foi feito pela companhia (BOV:CPLE6) na sexta-feira (12).

Dessa forma, a partir do dia 19, o atendimento aos titulares das ações será realizado pela rede de agências do Itaú presente em todo o território nacional.

Os acionistas com ações em custódia na B3 continuarão a ser atendidos, normalmente, pelas suas respectivas corretoras de títulos e valores mobiliários e/ou agentes de custódia, não havendo interrupção da negociação das ações da Copel.

Devido ao processo de migração, haverá suspensão no atendimento aos acionistas entre os dias 15 de janeiro de 2024 a 18 de janeiro de 2024, para os seguintes procedimentos:

  • Consultas de posição;
  • Transferência de ações fora de bolsa de valores;
  • Transferência de custódia;
  • Pagamentos de eventuais eventos pendentes;
  • Atualização cadastral; e
  • Registro de gravames, entre outros.

“Sobre as ordens de transferência de ações (movimentação de custódia), cujo bloqueio tenha sido efetuado pelo Bradesco, sem que o respectivo depósito tenha ocorrido, o referido banco repassará os bloqueios para o Itaú e estes permanecerão válidos até a respectiva data de vencimento”, explicou a Copel.

A companhia ressaltou que a mudança da instituição escrituradora não implicará qualquer alteração dos direitos conferidos às ações da companhia, inclusive dividendos.

informações Financenews

Deixe um comentário