ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for default Cadastre-se gratuitamente para obter cotações em tempo real, gráficos interativos, fluxo de opções ao vivo e muito mais.

Momento Cripto: Bitcoin supera prata em valor de mercado, Londres acolhe notas lastreadas em cripto, e mais

LinkedIn

Bitcoin supera prata e alcança topo entre ativos globais

Com um recente aumento de 4,71% em seu valor, o Bitcoin (COIN:BTCUSD) alcançou a impressionante marca de US$ 72.273,60, elevando sua capitalização de mercado para US$ 1,413 trilhão. Essa ascensão notável fez com que o Bitcoin ultrapassasse a prata em valor de mercado, posicionando-se como o oitavo maior ativo mundial. Apesar desse feito, a criptomoeda ainda está atrás da gigante da tecnologia Alphabet (NASDAQ:GOOGL), mas à frente em capitalização quando comparada à prata, que possui um valor de mercado de US$ 1,68 trilhão. O ouro continua sendo o ativo de maior valor, com uma capitalização de mercado de US$ 14,66 trilhões. O preço do Bitcoin foi impulsionado pela decisão da Autoridade de Conduta Financeira (FCA) do Reino Unido de permitir, pela primeira vez, a listagem de produtos negociados em bolsa baseados em criptomoedas. Essa medida abre caminho para ETNs respaldados por criptoativos, com a condição de que as bolsas assegurem controles adequados para proteger os investidores profissionais. Enquanto isso, o Ether (COIN:ETHUSD) também viu um aumento em seu valor nas últimas 24 horas, em US$ 4.056,00, refletindo o crescente interesse institucional em criptoativos.

Bolsa de Valores de Londres abrirá portas para notas baseadas em Bitcoin e Ether

A Bolsa de Valores de Londres (LSE:LSEG) planeja introduzir notas negociadas em bolsa lastreadas em Bitcoin (COIN:BTCUSD) e Ether (COIN:ETHUSD) para investidores qualificados no segundo trimestre de 2024. Essas notas, que não devem ser alavancadas e precisam ser apoiadas por ativos cripto armazenados com segurança, oferecem uma nova via para o investimento institucional em criptomoedas. O anúncio coincide com um aumento significativo no valor do Bitcoin, impulsionado pela popularidade dos fundos negociados em bolsa nos EUA. Apesar dessa abertura, a Autoridade de Conduta Financeira do Reino Unido mantém restrições para investidores de varejo, citando preocupações com os riscos associados.

Ascensão notável do IBIT da BlackRock no mercado de ETFs de Bitcoin

Em um impressionante intervalo de dois meses, o ETF de bitcoin da BlackRock (NASDAQ:IBIT), alcançou um marco ao atrair mais de US$ 10 bilhões em capital, destacando-se significativamente no setor. Esse influxo massivo não só compensou as perdas do fundo Grayscale (AMEX:GBTC), mas também rivalizou com os ganhos combinados de outros oito ETFs de bitcoin, elevando o valor total para além dos US$ 20 bilhões. Na sexta-feira, o IBIT manteve a liderança com notáveis US$ 336,3 milhões em entradas, seguido pelos fundos da Fidelity (AMEX:FBTC) e Valkyrie (NASDAQ:BRRR). Apesar das saídas de alguns fundos, o panorama geral dos ETFs de bitcoin nos EUA permanece robusto, com o IBIT da BlackRock superando expectativas e estabelecendo novos padrões de sucesso no mercado. Além disso, o iShares Bitcoin Trust da BlackRock agora possui 195.985 bitcoins, avaliados em US$ 13,5 bilhões, ultrapassando as 193.000 bitcoins da MicroStrategy (NASDAQ:MSTR).

Relatório revela elevado número de “moedas mortas” em Cardano e outras cadeias

Um estudo da AlphaQuest destaca Cardano (COIN:ADAUSD) como uma das principais plataformas com uma alta taxa de projetos de criptomoedas falidos. Analisando mais de 12 mil iniciativas, descobriu-se que 72% dessas, especialmente as lançadas no pico de 2020-2021, não sobreviveram. O relatório aponta que a maioria desses projetos não passa de três anos, com critérios como baixa liquidez e inatividade digital sinalizando seu declínio. Surpreendentemente, em 2023, 60% dessas falências ocorreram, marcando um ano crítico para essas iniciativas. Apesar disso, alguns projetos em Cardano estão florescendo, como exemplo a Wanchain (COIN:WANNUSD).

Revolução Ethereum à vista com atualização Dencun

A iminente atualização Dencun promete uma revolução no Ethereum (COIN:ETHUSD), visando diminuir as taxas de transação em até 100 vezes e dar início a uma nova fase de eficiência e expansão. Com o apoio da Coinbase Base e a colaboração de equipes de desenvolvimento líderes, essa atualização pretende solucionar o dilema das elevadas taxas. A comunidade blockchain aguarda com expectativa, antevendo um ambiente blockchain mais ágil e inovador. A introdução das transações Blob, parte essencial desta atualização, espera-se que torne as soluções de camada 2 ainda mais acessíveis e atrativas.

ARK Invest de Cathie Wood vende grande quantia em ações da Coinbase

A ARK Invest, liderada por Cathie Wood, liquidou mais de 580.000 ações da Coinbase (NASDAQ:COIN), totalizando aproximadamente US$ 149,85 milhões, na semana até 8 de março. As vendas ocorreram em três ETFs da ARK: Ark Innovation (AMEX:ARKK), Ark Next Generation Internet (AMEX:ARKW) e Ark Fintech Innovation (AMEX:ARKF), marcando a maior redução de participação na Coinbase desde fevereiro. Esse movimento reflete a política da ARK de limitar a participação em uma única empresa a 10% de um ETF, uma estratégia que pode levar a mais vendas à medida que o valor do bitcoin continua a crescer. A Coinbase Global está atualmente em alta de 6,64%, para US$ 273,65, nas negociações de pré-mercado de segunda-feira.

Mudrex lança ETFs de Bitcoin à vista nos EUA para o mercado indiano

A Mudrex, uma plataforma indiana de investimentos em criptomoedas, anunciou a introdução de ETFs de bitcoin à vista dos EUA para investidores tanto institucionais quanto de varejo na Índia, conforme o CEO Edul Patel. Esta iniciativa, descrita como pioneira na Índia para o setor institucional, incluirá ETFs de grandes firmas como BlackRock e Fidelity. A Mudrex, apoiada pela Y-Combinator, facilitará estes investimentos por meio de sua subsidiária indiana, em um movimento significativo dado o cenário regulatório dividido da Índia em relação às criptomoedas.

Coreia do Sul desenvolve sistema de gerenciamento de criptoativos contra evasão fiscal

A Coreia do Sul está avançando com planos para implementar um sistema de gerenciamento de criptoativos até 2025, visando combater a evasão fiscal. O Serviço Fiscal Nacional escolheu a GTIC para liderar a construção desse sistema, que pretende monitorar e administrar dados de transações cripto coletadas de plataformas de negociação. Esse movimento antecede a introdução do imposto sobre lucros de criptomoedas no país, programado agora para 2025, após um adiamento da data inicial prevista.

Perdas significativas devido a golpes de phishing em criptomoedas

Nos dois primeiros meses deste ano, golpes de phishing afetaram quase 97.000 investidores em criptomoedas, levando a perdas alarmantes de 104 milhões de dólares, revelou Scam Sniffer. Os usuários de Ethereum foram os mais visados, com 78 milhões de dólares perdidos principalmente através de assinaturas maliciosas que permitiam aos criminosos acessar e drenar ativos digitais, como Ether e tokens ERC20. Estratégias de engano, especialmente em plataformas sociais como o X (anteriormente Twitter), foram cruciais para atrair vítimas para sites fraudulentos, resultando em perdas massivas de fundos digitais.

Suporte a desenvolvedores do Tornado Cash através de doações de Arbitrum

Joseph Axisa, um colaborador do Arbitrum (COIN:ARBUSD), propôs inicialmente doar de 200.000 a 600.000 ARB (aproximadamente US$ 400.000 a US$ 1.2 milhão) para ajudar legalmente Storm e Pertsev, desenvolvedores acusados por envolvimento com o Tornado Cash. A proposta, que visava apoiar os custos legais através do WeWantJusticeDAO, foi retirada do fórum Arbitrum a pedido de Axisa. Apesar disso, a comunidade Arbitrum explora alternativas de apoio, potencialmente recorrendo ao Coin Center para assistência legal.

Impacto dos próximos desbloqueios de tokens no mercado

Na semana, diversos tokens serão liberados, possivelmente influenciando a dinâmica do mercado. O processo de desbloqueio envolve a liberação de tokens anteriormente restritos, com equipes projetando a economia do token para minimizar impactos negativos no preço. No entanto, fatores como baixa liquidez ou vendas imediatas por investidores iniciais podem afetar significativamente os preços. Entre os desbloqueios notáveis estão Aptos (COIN:APTUSD), CyberConnect (COIN:CYBERUSD), Flow (COIN:FLOWUSD), Arbitrum (COIN:ARBUSD) e ApeCoin (COIN:APEUSD).

Ubisoft amplia presença no Blockchain com parceria XPLA

A Ubisoft (EU:UBI), gigante dos videogames conhecida por títulos como Assassin’s Creed, se tornou um validador na rede XPLA, visando integrar mais os mundos dos jogos e da blockchain. A parceria visa utilizar a expertise da Ubisoft em jogos para melhorar a segurança e a eficiência da rede XPLA, que abriga jogos criptográficos famosos e se beneficia do blockchain Tendermint. Esta colaboração marca um passo significativo da Ubisoft em suas iniciativas blockchain, reforçando o ecossistema XPLA com sua experiência em jogos.

Kevin Rose reajusta portfólio de NFTs sem abandonar Web3

Kevin Rose, cofundador do NFT PROOF, recentemente vendeu mais de US$ 1,2 milhão em NFTs, esclarecendo que não está abandonando o espaço Web3. Rose justificou as vendas pela crença de que a criptomoeda oferecerá melhores retornos a curto prazo do que os NFTs, apesar da expectativa de uma adoção mais ampla no futuro. Ele enfatizou sua continuidade no colecionismo de NFTs, mas com uma abordagem de diversificação e prudência em relação ao valor investido.

Bill Ackman estimula debate sobre Bitcoin e impacto energético

Bill Ackman, renomado investidor e CEO da Pershing Square Capital Management, propôs um cenário teórico envolvendo o Bitcoin que desencadeou amplas discussões entre criptoentusiastas, economistas e ambientalistas. Ele especulou sobre como a valorização do Bitcoin poderia intensificar a mineração e, por consequência, elevar o consumo de energia, potencialmente desencadeando um ciclo de inflação e impactos econômicos negativos. A ideia suscitou reações mistas, com críticas ao consumo energético do Bitcoin e defesas apontando para a possível eficiência e adoção de energias renováveis na mineração. O debate destacou a complexidade do uso de energia na criptoesfera e o potencial de sistemas autorregulados como o Bitcoin na promoção da sustentabilidade.

Deixe um comentário