ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for pro Negocie como um profissional: Aproveite discussões em tempo real e ideias que movimentam o mercado para superar a concorrência.

Ibovespa sobe 0,08%, com Petrobras limitando os ganhos do índice

LinkedIn

O Ibovespa encerrou em leve alta nesta sexta-feira, em uma sessão de oscilações, com Petrobras limitando os ganhos do índice, enquanto vértices da curva de juros fecharam em firme queda, na esteira das Treasuries yields e reunião do ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), com banqueiros.

O Índice Bovespa (Ibovespa), que reflete o desempenho médio das cotações das principais ações de empresas negociadas na BM&FBOVESPA, é formado pelas ações com maior volume negociado nos últimos meses.

O Ibovespa encerrou em alta de 0,08%, aos 119.662 pontos. O volume de negócios ficou em R$ 17,7 bilhões, abaixo da média de 50 pregões. Desde segunda-feira o Índice Bovespa acumulou uma queda de 0,91%, registrando a quarta semana de perdas consecutivas.

Pela manhã, o índice de Atividade Econômica do BC (IBC-Br), considerado uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB), reportou avanço de 0,01% em abril, mostrando uma aceleração em relação ao dado anterior, porém bem aquém do consenso, de alta de 0,45%. Os dados foram reportados pelo Banco Central. Os vértices abriram em queda, na esteira dos dados.

A curva de juros aprofundou declínio já observado após o presidente da Febraban, Isaac Sidney, afirmar ter saído de encontro com Haddad convencido de que o ministro “não só está determinado a buscar o equilíbrio das contas do governo, como para também expandir diálogo para o Congresso Nacional e empresariado local”.

Os vértices ao longo da curva de juros recuaram até 14 pontos-base na sessão de hoje, na esteira das declarações do presidente da Febraban, em uma demonstração sequencial, por parte de autoridades econômicas, de determinação em alcançar um cenário de equilíbrio das contas públicas.

Petrobras anunciou, em meados da tarde, indicação de três novos membros para a diretoria executiva. A CEO da companhia, Magda Chambriard, indicou o economista Fernando Melgarejo como novo CFO da estatal. Ele é diretor de Participações da Previ desde 2022, fundo de previdência de funcionários do Banco do Brasil. Além dele, a CEO indicou Renata Baruzzi para a diretoria de Engenharia, Tecnologia e Inovação, e Sylvia dos Anjos como diretora de Exploração e Produção.

 

Em Wall Street, os principais índices acionários encerram sem direção definida na sessão, em movimento de ajuste, após o S&P500 e o Nasdaq 100 renovarem suas máximas recordes na véspera, impulsionados por um rali tecnológico e esfriamento gradual dos preços na economia americana.

Os índices Dow Jones e S&P500 recuaram 0,15% e 0,04%, respectivamente, enquanto o Nasdaq 100 avançou 0,12%. Em termos semanais os índices S&P500 e Nasdaq 100 acumularam ganhos de 1,58% e 3,47%, na sequência, enquanto o Dow Jones recuou 0,54%.

Os Treasuries yields de dois e de dez anos operavam ao fim do dia em queda de 0,3 pontos-base e 3,5 pbs, a 4,698% e 4,211%, respectivamente. O índice Dólar DXY, que mede o desempenho da moeda americana ante uma cesta de divisas, operava em alta de 0,25%, a 105,50 pontos, ao fim da tarde.

A queda entre os índices acionários na sessão desta sexta decorre de um movimento de ajuste, após fortes altas recentes, devido a dados de inflação, como o CPI e PPI, que mostraram um alívio dos preços ao consumidor. Investidores ponderaram, na sessão, projeções mais “hawkish” por membros do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC) no mais recente “Dot-Plot”, de junho, que indicou mediana de projeção de apenas um corte de juros neste ano, ante três estimados em março.

Membros do Federal Reserve falaram ao longo do dia. A presidente do Fed de Cleveland, Loretta Mester, e o de Chicago, Austan Goolsbee, congratularam nesta tarde os dados de preços ao consumidor referentes a maio, que mostraram, segundo eles, alívio gradual dos preços.

 

Book de ofertas: a mais completa do mercado financeiro, acompanhe as ofertas de compra e venda de um ativo e todos os negócios realizados no dia.

Data Variação Pontuação Volume Financeiro
03/06/2024 -0,05% 122.031,58  R$ 20,9 bilhões
 04/06/2024 -0,19% 121.802,06  R$ 20,4 bilhões
05/06/2024 -0,32%  121.407,33 R$ 19,4 bilhões
06/06/2024 1,23% 122.898,80 R$ 18,7 bilhões
07/06/2024 -1,73% 120.767,19 R$ 21,6 bilhões
10/06/2024 -0,01% 120.759,51 R$ 16,4 bilhões
11/06/2024 0,73% 121.635,06 R$ 18 bilhões
12/06/2024 – 1,40% 119.936,02 R$ 25,6 bilhões
13/06/2024 -0,31% 119.567,53 R$ 18,3 bilhões
14/06/2024  0,08% 119.662,38 R$ 17,7 bilhões

Confira o ranking completo de todos os papéis negociados na B3.

  1. 💥 Confira os destaques corporativos de hoje 💥

    Alpargatas (ALPA3)

    Os clássicos chinelos Havaianas ganharam uma nova roupagem, com o anúncio das Alpargatas de sua parceria para modelos de luxo com a marca italiana Dolce & Gabbana. Saiba mais…

    B3 (B3SA3)

    A B3 lançou, em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), uma nova metodologia para o chamado índice Carbono Eficiente (ICO2 B3), informa o Broadcast. Saiba mais…

    Braskem (BRKM5)

    A Braskem assinou acordo para venda de uma fatia de 63,7% na empresa de soluções ambientais industriais Cetrel para a Gerenciamento de Resíduos Industriais (GRI), em um negócio de cerca de R$ 284 milhões. Saiba mais…

    CCR (CCRO3)

    A CCR anunciou que o conselho de administração aprovou emissão de R$ 9,4 bilhões em oito séries de debêntures que têm entre os objetivos captar recursos para obras previstas no contrato de concessão da rodovia Presidente Dutra, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro. Saiba mais…

    Dasa (DASA3)

    A Dasa assinou acordo com a Amil envolvendo associação de hospitais, tornando a sua unidade de centros hospitalares e oncologia Ímpar uma joint venture com participações iguais de 50% do capital votante entre ambas as empresas e com controle compartilhado. Saiba mais…

    Mills (MILS3)

    A empresa de serviços de logística Mills vai emitir R$ 400 milhões em debêntures. Saiba mais…

    Oi (OIBR3/OIBR4)

    A Oi anexou ao seu processo de recuperação judicial a minuta do edital para a venda da sua operação de banda larga, a Oi Fibra, informa o Broadcast, que teve acesso ao documento juntado ao processo e que ainda não é público. Saiba mais…

    Petrobras (PETR3/PETR4)

    A Petrobras informou que foi aprovado o encerramento do processo competitivo para a alienação integral da participação da Petrobras, correspondente a 50% do capital votante e 34,54% do capital total, na empresa Metanor – Metanol do Nordeste, com sede em Camaçari, no estado da Bahia. Saiba mais…

    A presidente-executiva da Petrobras, Magda Chambriard, anunciará nesta sexta-feira a nova diretoria da companhia, um mês após a demissão do CEO anterior, Jean Paul Prates, informou o jornal O Globo. Saiba mais…

    A presidente da Petrobras, Magda Chambriard, indicou três novos membros para a composição da Diretoria Executiva. Saiba mais…

    Telebras (TELB3/TELB4)

    Decreto publicado na edição desta sexta-feira, 14, do Diário Oficial da União (DOU) autoriza o aumento do capital social da Telebras, com a emissão de novas ações ordinárias nominativas e preferenciais nominativas. Saiba mais…

    Vale (VALE3)

    Após notícias na mídia de que estaria a procura de parceiro para a sua subsidiária Aliança Energia, a Vale reiterou que está buscando investidores dentre os principais players do mercado de energia e que não há qualquer instrumento vinculante ou decisão tomada a respeito de quem será o potencial parceiro para a futura plataforma ou sua estrutura de capital. Saiba mais…

    Vibra Energia (VBBR3)

    A Vibra Energia aprovou a 7ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, em série única, no valor total de R$ 1.300.000.000,00. Saiba mais…

    WEG (WEGE3)

    A WEG fez uma parceria para desenvolvimento de sistemas de propulsão híbrida voltada para veículos comerciais leves e pesados, anunciou a sócia do empreendimento, Horse, nesta sexta-feira. Saiba mais…

    (Com informações da TC Mover e Momento B3)

Deixe um comentário