Copel comunica o desempenho do mercado de energia da companhia no 4T20.

O comunicado foi feito pela empresa (BOV:CPLE3) (BOV:CPLE5) (BOV:CPLE6), nesta quinta-feira (28). Confira o documento na íntegra.

Mercado Fio

O mercado fio da Copel Distribuição, composto pelo mercado cativo, pelo suprimento a concessionárias e permissionárias dentro do Estado do Paraná e pela totalidade dos consumidores livres existentes na sua área de concessão apresentou crescimento de 3,3% no consumo de energia no 4T20.

O resultado observado decorre, principalmente, do crescimento de 11,1% no consumo no mercado livre, influenciado pelo bom desempenho da produção industrial do Paraná, que avançou 4,8% no mês de outubro e 14% em novembro, sendo que os setores que mais contribuíram para o aumento do consumo de energia foram os de fabricação de produtos alimentícios e fabricação de produtos de borracha e de material plástico.

Essa variação foi parcialmente compensada pela queda de 0,7% no consumo do mercado cativo, devido a elevada base de comparação verificada no ano anterior, quando as temperaturas médias registraram valores mais altos.

Mercado Cativo

A venda de energia para o mercado cativo da Copel Distribuição totalizou 5.002 GWh no 4T20, redução de 0,7%. A tabela a seguir apresenta o comportamento do mercado cativo por classe de consumo:

A classe residencial consumiu 2.117 GWh entre outubro e dezembro de 2020, registrando um crescimento de 9,8%, reflexo principalmente do aumento do consumo médio mensal para 179 kWh/mês, uma variação de 6,5% em comparação com o 4T19, influenciado, principalmente pelas medidas de isolamento social implementadas a partir da segunda quinzena de março, o que motivou as pessoas a permanecerem mais em suas casas no período.

Lucro líquido de R$ 685 milhões, alta de 19,8%

Companhia Paranaense de Energia (Copel) registrou lucro líquido atribuído aos acionistas de R$ 685 milhões no terceiro trimestre, alta de 19,8% na comparação anual. 

Ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – atingiu R$ 1,134 bilhão, 11,1% menor que os R$ 1,2 bilhão registrado no 3T19. Esse resultado é reflexo, basicamente, da variação de R$ 280 milhões em provisões e reversões, decorrente do aumento nas provisões de litígios e da reversão de impairment dos ativos eólicos ocorrida no 3T19.