A Equatorial informou que o volume de energia injetada na rede foi 11.257 GWh no terceiro trimestre de 2022, um crescimento 2,4% frente a mesma etapa do ano passado.

O comunicado foi feito pela companhia (BOV:EQTL3) nesta terça-feira (25).

O volume de energia distribuída passou de 8.330 no 3T21 GWh para 8.785 no 3T22.

As perdas totais somaram 2.473 GWh no terceiro trimestre de 2022, uma redução de 7,3% em relação ao mesmo período de 2021.

Maranhão

Crescimento de 4,5% na Energia Injetada e de 5,7% na energia Distribuída, comportamento de consumo ligado as condições climáticas do período, além do aumento de 51 mil clientes na base e da estratégia do grupo de combate a perdas. Ao longo desse trimestre, também podemos observar uma diminuição nas classes de consumo Industrial e Comercial, que são fruto de uma reclassificação de clientes para a classe residencial. Nesse trimestre, a energia injetada pela mini/micro geração alcançou 3,8% da energia injetada total.

Pará

Crescimento de 5,8% na Energia Injetada e de 7,1% na energia Distribuída, refletindo o aumento de temperatura; a redução de 54,8% da pluviometria no período em comparação ao 3T21; a consolidação de 120 mil novas unidades consumidoras na base de clientes; e estratégia de combate a perdas, que contempla dentre outras ações o avanço no processo de implementação do SMC. A energia injetada pela mini/micro geração atingiu representatividade de 2,8% da energia injetada total.

Piauí

Redução de 1,4% na energia injetada e um aumento de 0,5% na energia distribuída. A redução da injetada aconteceu principalmente nos meses de julho e agosto, que apesar da menor incidência de chuvas, tiveram temperaturas em média 2% mais baixas do que o normal. Apesar da redução da injetada, a estratégia da companhia de combate a perdas continua mostrando resultados com o maior volume de energia distribuída, além da inclusão de 81 mil novos clientes na base. A energia injetada pela mini/micro geração atingiu 6,8% neste trimestre.

Alagoas

Redução de 1,5% na energia injetada e um aumento de 4,3% na energia distribuída. A redução no trimestre é resultado principalmente da redução de consumo no mês de setembro, que no ano anterior apresentou um volume atipicamente maior, mas também pelo aumento da pluviometria. Já o aumento da energia distribuída é resultado sucesso na estratégia da companhia de combate a perdas. A energia injetada pela mini/micro geração atingiu 3,5% neste trimestre.

Rio Grande Do Sul

Redução de 0,3% da energia injetada e um aumento de 7,5% na energia distribuída no trimestre. A redução na injetada é reflexo principalmente da queda de consumo no mês de julho, que foi compensada no restante do trimestre. O aumento da energia distribuída reflete principalmente o efeito do ajuste de faturamento (100 GWh) realizado em setembro de 2021. Os outros 39 GWh são resultado da inclusão de 65 mil clientes e da estratégia de combate a perdas da companhia. A energia injetada pela mini/micro geração alcançou 2,5% da energia injetada do trimestre.

Amapá

Aumento de 0,2% da energia injetada e uma redução de 2,6% na energia distribuída no trimestre, comportamento que reflete os ajustes no procedimento de faturamento, e na base de clientes para adequação dos indicadores operacionais da companhia.

Perdas na Distribuição de Energia:

No 3T22, todas as distribuidoras do grupo, excluindo a CEA, apresentaram redução de perdas, demonstrando o sucesso na estratégia e intensificação das ações de combate às perdas em todas as concessões do grupo, com destaque para o RS e o AP, que já estão com equipes mobilizadas e iniciaram neste período a implementação do SMC.

Com o resultado desse trimestre, destaca-se que a Equatorial Alagoas reduziu o nível de perdas para dentro do limite regulatório. Além disso, a operação no RS (CEEE-D) apresentou forte redução de 1,5 p.p. seu nível de perdas totais/injetada, parcialmente impactada pelo ajuste de faturamento promovido no 3T21 e cujo efeito negativo não está mais capturado no indicador 12 meses.

Renováveis:

No 3T22, os complexos Eólicos da Echoenergia apresentaram um aumento de 12,9% na geração em comparação ao mesmo período de 2021. Esta variação é explicada, principalmente pela entrada em operação do complexo Serra do Mel 2 no 1T22, composto pelos parques Echo 8, Echo 9 e Echo 10, efeito parcialmente compensado pela redução na velocidade média dos ventos na região. A disponibilidade técnica ajustada (12 meses) manteve-se em linha, refletindo a evolução da manutenção preventiva e corretiva nos ativos São Clemente, Tianguá e Echo 2.

Saneamento:

Iniciado no mês de julho, a operação da CSA – Concessionária de Saneamento do Amapá – encontra-se ainda em estágio inicial e ao longo do trimestre foram realizados trabalhos principalmente nas frentes de hidrometração, recadastramento de clientes, adequação de infraestrutura e melhoria da qualidade. O 3T22 encerrou com mais de 71 mil economias ativas no serviço de distribuição de água, das quais mais de 10 mil economias cobertas pela rede de esgoto. Destaque para o início do tratamento, até então inexistente, do esgoto coletado e respectivo faturamento. Os índices de cobertura de água e esgoto encerram o período em 35% e 7%, respectivamente.

 ⇒  A Equatorial pretende divulgar os resultados do 3T22 no dia 09 de novembro

EQUATORIAL ON (BOV:EQTL3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Dez 2022 até Jan 2023 Click aqui para mais gráficos EQUATORIAL ON.
EQUATORIAL ON (BOV:EQTL3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Jan 2022 até Jan 2023 Click aqui para mais gráficos EQUATORIAL ON.