Retrospectiva 2017: relembre o que se destacou no Jornal ADVFN durante o ano

LinkedIn

2017 foi um ano de espera da votação da Reforma da Previdência, aberturas de capital na Bolsa de Valores, quedas na taxa básica de juros e o boom das moedas digitais no mercado. Confira agora os assuntos que mais se destacaram no Jornal ADVFN durante o ano: 

Starbucks: em um ano a companhia perde cerca de US$ 10 bi de valor de mercado

As ações da Starbucks começaram o ano de 2017 em queda de mais de 5% na Nasdaq. Em um ano, a maior cafeteria do mundo perdeu US$ 9,35 bilhões de dólares em valor de mercado. Em janeiro de 2017, o valor de mercado da companhia era estimado em US$ 80,47 bilhões. No mesmo período de 2016, a empresa valia US$ 89,82 bilhões. Leia

Yahoo reverte prejuízo e tem lucro de US$ 99,4 milhões no 1º trimestre

Ao contrário dos resultados obtidos no final de 2016, o Yahoo encerrou o primeiro trimestre de 2017 com um lucro de US$ 99,4 milhões, revertendo o prejuízo de US$ 99 milhões que a companhia declarou no mesmo período do ano anterior. A companhia destacou que a sua receita no primeiro trimestre subiu US$ 1,3 bilhão. Leia

Banco do Brasil está pronto para ser privatizado, diz Gustavo Franco

O ex-presidente do Banco Central Gustavo Franco declarou no dia 25 de setembro de 2017 que vê o Banco do Brasil (BBAS3) pronto para ser privatizado. Ele fora questionado sobre o assunto em painel, ao lado do ex-ministro da Fazenda Pedro Malan, durante evento organizado pelo Instituto de Formação de Líderes (IFL), em Belo Horizonte. “Pessoalmente, acho que o Banco do Brasil está pronto. Só não poderia ser comprado pelo Itaú ou pelo Bradesco para não criar problema com o Cade”, declarou Franco. Para o sócio-fundador da gestora Rio Bravo Investimentos, o setor público não precisa ter dois bancos comerciais.  Leia

Bitcoins e pirâmides financeiras: como evitar cair no golpe da moeda virtual

“A proliferação de moedas virtuais criou um novo buraco negro no mercado de investimentos. Poucas pessoas entendem exatamente o que são essas criptomoedas, que já chegam a quase mil versões além da mais conhecida, o bitcoin, de onde vêm e quanto valem, incerteza que é amplificada pela escala global de negociação desses ativos e sua falta de regulamentação, já que não há um governo ou instituição que se responsabilize por sua emissão ou circulação. A negociação descentralizada e sem fiscalização, por meio de sites que viram bolsas de moedas ao portador e a falta de identificação dos negociantes também abrem espaço para seu uso em mercados ilegais, justamente no momento em que as autoridades, especialmente as americanas, apertam o certo à lavagem de dinheiro no mercado formal, o que empurra parte dos criminosos para o mercado virtual.” Leia

Entrevista: o que você precisa saber sobre Bitcoins e Criptomoedas

Atualmente, basta abrir os jornais, ligar a televisão ou abrir suas redes sociais para ler sobre criptomoedas, ou “moedas da internet”. A moeda virtual que vem crescendo no gosto dos investidores, ainda é motivo de curiosidade. Para explicar um pouco mais sobre o assunto, convidamos os especialistas em criptomoedas Paulo Aragão (Criptomoedas Fácil) e Adriano Cruz (Guia do Bitcoin). Confira

IPO do Burger King: Vale a pena participar?

Após o anuncio da abertura de capital na Bolsa do BK Brasil (BKBR), com potencial para movimentar cerca de R$ 20 bilhões no mercado, os analistas da Suno Research elaboraram um relatório especial com o intuito de auxiliar os investidores a tomarem a decisão de participar ou não do IPO do Burger King.  A Oferta Pública do BK Brasil consiste na distribuição primária de 49.230.769 novas ações ordinárias a serem emitidas, e oferta secundária de 57.307.700 ações ordinárias, de titularidade dos acionistas vendedores. Leia

A Amazon vai destruir a concorrência no Brasil?

Durante o ano de 2017, a Amazon deixou de vender apenas livros, e-books e o leitor Kindle, para entrar no mercado de equipamentos eletrônicos. No dia 18 de outubro de 2017, a empresa iniciou a venda de produtos eletrônicos de terceiros. Assim, a empresa de e-commerce deseja expandir a sua oferta e competir diretamente com o comércio online no país. Leia

XP e Itaú: como a fusão pode impactar o mercado

Durante esse ano, especificamente no dia 11 de outubro, o Itaú, maior banco do país, anunciou a compra de 49,9% da XP Investimentos, maior corretora do país. Alguns dias após o anúncio, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) considerou a fusão complexa e solicitou informações adicionais. De acordo com o órgão, o procedimento deve afetar a concorrência do setor. Em entrevista com o advogado Tito Malta, sócio do escritório Ambiel, Manssur, Belfiore e Malta advogados, ele analisa a fusão. Confira

Empiricus lança carteira recomendada de criptomoedas

A Empiricus lançou no dia 5 de outubro de 2017 a Exponential Coins, uma carteira recomendada com moedas e ativos digitais voltada para um público exclusivo de até 250 pessoas. Feita com base em análises gráficas e fundamentalistas, essa é mais um passo na consolidação do mercado de criptomoedas no Brasil. Leia

Demanda por papéis da BR Distribuidora supera oferta

BR Distribuidora conclui nesta quarta-feira, 13 de dezembro, sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) com a qual deve levantar entre R$ 4,5 bilhões (se a ação sair pelo valor do piso, de R$ 15) até R$ 7,5 bilhões (se sair por R$ 19) mais a oferta de lotes adicionais. O período de reserva de compra terminou nesta terça-feira (12) e, segundo uma fonte, a demanda superou com folga o total de ações ofertado, o que deve deixar o preço mais próximo do teto. Confira

O que fazer com as ações da Oi?

O ano de 2017 para a Oi foi baseado em se reunir com credores para apresentar planos de recuperação judicial. No dia 13 de dezembro, a empresa apresentou um plano no qual propõe entregar até 75% do capital da companhia aos bondholders (investidores que compraram títulos no exterior e são credores da empresa). Com essa informação, o ativo passou a operar em queda. Leia

Conheça Ethereum, a moeda virtual que pode substituir o Bitcoin

Certamente a primeira coisa que passa pela sua cabeça ao falar sobre criptomoedas, ou “moedas digitais” é Bitcoin. Mas você ja deve ter percebido que esse universo de moedas digitais é muito maior do que aparenta. Uma moeda que está ganhando destaque no mercado é a Ethereum (ETH) e ela difere da Bitcoin (BTC) e de outras moedas virtuais. A tecnologia Ethereum é muito mais do que uma criptomoeda. É uma plataforma para computação compartilhada mundial de código aberto. Mas o que significa isso? Simples! A plataforma é uma rede descentralizada, baseada na tecnologia Blockchain, com código aberto e controlado pelos próprios usuários. Confira

Deixe um comentário