Dólar Week: moeda desvaloriza 1,21% atenta a uma possível guerra comercial

LinkedIn

O dólar desvalorizou 1,21% nesta semana, de olho no cenário externo e atento a uma possível guerra comercial desencadeada pelos Estados Unidos.

Na quinta-feira (22), o representante comercial dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, anunciou a isenção realizada pelo presidente Donald Trump, sobre a aplicação de tarifas de importação de aço e alumínio para o Brasil, a União Europeia e cinco outros países.

Por outro lado, Trump iniciou uma ação comercial contra a China, na quarta (21), afirmando que o déficit americano com Pequim está fora de controle em cerca de US$ 504 bilhões e que há um caso de roubo de propriedade intelectual.

Ontem (23), durante uma reunião da Organização Mundial do Comércio (OMC), com a União Europeia, Brasil, Japão e a Austrália. Representantes do comercio da UE afirmaram a Reuters que as tarifas sobre as importações não podem ser justificadas pela alegação de segurança nacional e que os EUA estavam usando essa afirmativa para manter a sua indústria em crescimento.

No mesmo dia, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu conceder uma liminar ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que impede a prisão dele até o julgamento do habeas corpus apresentando pelo defesa do petista a Corte. Entretanto, a medida vale até o dia 4 de abril, quando a Corte deve voltar a julgar o habeas corpus.

O Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu na quarta-feira (21) a taxa Selic em 0,25 (p.p), de 6,75% ao ano para 6,5% ao ano. Essa já é a 12ª vez seguida que o Banco Central baixou os juros básicos da economia.

Ontem, a moeda teve alta de 0,28%, cotada a R$ 3,3170 para compra e R$ 3,3192 para venda.

Após 17 pregões em março, a moeda valorizou 2,35%. Já se foram 7 fechamentos negativos contra 10 positivos. Em fevereiro, a divisa americana fechou cotada a R$ 3,2421 para compra e R$ 3,2428 para venda.

Em 2018, após 56 pregões, o dólar apresenta uma valorização de 0,14%. Já se foram 29 pregões em alta, contra 27 em baixa. Em 2016, a divisa dos Estados Unidos fechou cotada a R$ 3,3133 para compra e a R$ 3,3144 para venda.

Resumo da semana

A segunda-feira (19/03), o dólar teve alta de 0,17%, cotado a R$3,2825 para compra e R$ 3,2845 para venda. No dia seguinte, ele ampliou 0,73%, cotado a R$ 3,3069 para compra e R$ 3,3084 para venda.

No meio da semana, a moeda teve queda de 1,21%, cotada a R$ 3,2676 para compra e R$ 3,2685 para venda. Na quinta-feira (22/03), ela cresceu 1,27%, cotada a R$ 3,3089 para compra e R$ 3,3099 para venda.

Ontem, a moeda teve alta de 0,28%, cotada a R$ 3,3170 para compra e R$ 3,3192 para venda.

 

Deixe um comentário