ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for tools Aumente o nível de sua negociação com nossas ferramentas poderosas e insights em tempo real, tudo em um só lugar.

Títulos públicos x títulos privados: saiba onde investir

LinkedIn

Investir em títulos pode ser um tanto quanto fácil, mas e quando existe uma concorrência grande entre tipos de títulos, o que você deve fazer? Neste texto listamos as grandes diferenças entre Títulos Públicos e Títulos Privados, para que suas aplicações sejam feitas nas melhores opções.

Tudo de acordo com o seu perfil e objetivos, assim será possível identificar quais são os investimentos que te chamam mais a atenção. Em alguns casos pode até ocorrer uma identificação com mais de um tipo de título e isso é normal, até porque com tantas opções e características diferentes, o interesse tende a despertar mesmo.

E é aí que entra a diversificação da sua carteira.

Considerada uma das melhores estratégias para que seus rendimentos sejam elevados e obtenham mais segurança também. De uma forma clara, é aplicar pequenos valores, repartidos do seu patrimônio total, em mais de um investimento. E o melhor: títulos públicos e títulos privados possuem valores iniciais mínimos baixos para investir.

Quer entender mais? Continue acompanhando todas as dicas.

Títulos Públicos

Títulos públicos são considerados como a base do mercado financeiro e o objetivo deles é auxiliar no desenvolvimento do país e ainda fazer com que você ganhe dinheiro com isso.

Para aplicar neste tipo de título, há alguns anos atrás, era somente através de uma mesa de operações, onde eram negociados todos os tipos de investimentos. Mas a partir de 2002 foi criada uma plataforma para facilitar o seu momento de aplicação. O Tesouro Direto é um site desenvolvido em parceria com o Tesouro Federal e a Bovespa (atual B3) e através dele é possível investir em títulos públicos.

Entretanto, para que isso ocorra, você contará com o auxílio de uma instituição financeira, seja ela um banco ou uma corretora, através delas que serão feitas essas aplicações. Uma das grandes vantagens do título público é ser acessível, porque com apenas R$ 30,00 é possível investir. E isso é válido para pessoas físicas e jurídicas.

Os principais títulos negociados atualmente são:

  • Tesouro IPCA (ou NTB – Nota do Tesouro Nacional)
  • Tesouro Prefixado (ou LTN – Letra do Tesouro Nacional)
  • Tesouro SELIC (ou LTF – Letra de financiamento do Tesouro).

Títulos Privados

Títulos privados são títulos de renda fixa emitidos sempre por empresas ou bancos. O objetivo é emprestar o seu dinheiro para instituições privadas e receber de volta mais tarde com acréscimo de juros.

Eles podem ser estipulados entre pré ou pós – fixados, assim como ocorre com CDB, LC, LCI, LCA, Debêntures, CRI e CRA que são considerados grandes exemplos de títulos de renda fixa.

E para começar a investir é preciso somente abrir uma conta em um banco ou corretora.Se for investir em pequenos bancos é importante lembrar de avaliar todo o seu histórico e reconhecimento como instituição, porque a possibilidade de anunciar falência é bem maior do que bancos tradicionais.

  • Liquidez

Uma das grandes vantagens dos títulos públicos é conceder liquidez diária, assim cada vez que você solicitar a retirada do seu dinheiro, receberá no dia seguinte o valor em sua conta. E é importante saber que quando é feito o pedido de resgate do seu título, automaticamente é gerado um anúncio para venda dele.

Isso mesmo! Você terá que vender seu título para que receba o valor que gostaria de recuperar. Mas fique tranquilo, porque a plataforma do Tesouro Direto fará essa venda por você e isso ocorre todos os dias.

Assim o site dispõe as informações sobre sua venda, com o preço unitário e taxa de rendimento ao ano, tudo conforme o mercado. Ou seja, se hoje o seu título estiver desvalorizado, talvez no momento do seu resgate você não receba o valor inicial e sim um pouco abaixo do esperado.

Como também pode ocorrer no caso de um título estar muito bem para o mercado e ser vendido acima da média aguardada. Mas isso serve somente para casos onde você busque vender seu título antes do vencimento. Se aguardar até a data estipulada no momento da compra, receberá exatamente a taxa escolhida.

E com títulos privados não é muito diferente, a venda terá que ocorrer também para que você receba seu valor esperado, entretanto neste caso quem será responsável por esta ação, será o banco ou a empresa em que você aplicou seu dinheiro. Portanto assim que fizer a solicitação também receberá o valor em sua conta de acordo com as características do seu investimento.

Vale também contarmos que a liquidez de títulos públicos, em geral, é muito maior do que em títulos privados. Por isso é preciso estar preparado para ter liquidez menor caso escolha títulos de crédito privado.

  • Rentabilidade

Você sabia que investimentos como títulos públicos são caracterizados por sua rentabilidade?

Com eles é possível obter a garantia de retorno do Governo Federal, ou seja, você sempre será pago em dia. Já os títulos privados são classificados como mais arriscados, porém pagam, muitas vezes, mais do que títulos públicos.

Em relação a aplicação com os dois tipos de títulos os valores mínimos para começar podem ser baixos. Mas é importante saber que para investir em bons títulos privados é necessário ser classificado como investidor qualificado.

E para avaliar qual é o investimento que possui maior rentabilidade, é preciso comparar os riscos de crédito, ou seja, isso significa que caso seu emissor declare falência e não possa arcar com o pagamento dos valores somado aos juros entre o período, você sairá prejudicado.

Isso pode ocorrer com os títulos privados por investirem em empresas privadas que a qualquer momento podem “quebrar”. Por isso, em muitos casos, podem ser mais arriscados do que aplicações em título público. E não precisa se preocupar com os termos complexos. Para comparar o risco de cada título, existem as agências de risco que fazem isso por você.

Elas avaliam quais são as empresas e bancos que negociam títulos no mercado e através de notas classificam a melhor avaliada (AAA) e a mais arriscada (D). Além de notificarem os graus de investimento com qualidade alta, média ou baixa.

Desta forma você pode investir com mais segurança e obter rentabilidade alta sem ser prejudicado. Mas lembrando: tudo depende de qual será o investimento escolhido, suas características, a segurança e a diversificação de sua carteira.

  • Segurança

Entre as características mais procuradas pelos investidores, está a segurança. Considerada um quesito muito importante para que você possa investir tranquilo e ainda assim tenha a certeza de que não perderá seu dinheiro. Com títulos públicos é possível ter opções com baixíssima volatilidade, ou seja, poucas oscilações em seus valores.

Além de serem considerados investimentos de menor risco de crédito no Brasil, porque são 100% garantidos pelo Tesouro Nacional. Já com títulos privados o termo segurança pode variar de acordo com o investimento escolhido. Em alguns casos, como CDB, LCI, LCA e LCI’s por exemplo, existe uma proteção chamada FGC.

Mas afinal, o que é FGC e como ele pode te ajudar?

Ao avaliar qualquer investimento é muito importante que também observe se há alguma forma de garantir que seus investimentos estarão seguros. E para isso existe o Fundo Garantidor de Crédito.

Este é o intuito dele em casos como decreto de falência pelas instituições que receberam aplicações, é garantir que estes investidores não percam tudo o que investiram, ou seja o Fundo Garantidor de Crédito poderá restituir em até R$ 250.000,00.

Tornando assim um investimento seguro para o investidor, mas é necessário sempre observar essas características no momento da compra dos títulos para que não seja prejudicado no futuro ou no período de aplicações.

Mas tenha cuidado com títulos que não possuam essa garantia do FGC, como  debêntures, CRI’s (Certificado de Recebíveis Imobiliários), CRA’s (Certificado de Recebíveis Imobiliários) e até mesmo FIDC’s (Fundos de Investimento em Direitos Creditórios) que mesmo não sendo títulos, são investimentos de crédito privado.

Com estas opções, por exemplo, você poderá ter uma menor segurança do que comparado a títulos que possuam FGC. Por isso é importante sempre avaliar todos as características do investimento antes de iniciar suas aplicações.

  • Conclusão:

Existem muitas características que diferenciam, assim como também aproximam, os títulos públicos e privados, inclusive uma delas é o fato de superarem a poupança em relação ao seu rendimento. Após esta leitura é possível entender que conforme os títulos são mais rentáveis, maiores são os riscos que você pode correr.

E é importante sempre avaliar tudo de acordo com o seu perfil de investidor: tipos de riscos que está buscando, rentabilidade e objetivos. Uma dica para este momento é: comparar os títulos entre si e negociar com seu gerente ou assessor a taxa mais adequada para o seu momento.

Além disso a diversificação pode ser um ótimo caminho também para os seus investimentos. Assim optando por mais de uma opção para o seu dinheiro, seus riscos podem diminuir.

Mais Retorno é uma fintech que tem como objetivo Informar, ensinar e desmistificar o mundo dos investimentos e finanças pessoais para investidores de todos os níveis, com isenção e uma linguagem divertida, interessante, prática e acessível.

Deixe um comentário

Seu Histórico Recente