Prejuízo da Paranapanema (PMAM3) cresceu 138,18% em 2018

LinkedIn

A companhia Paranapanema anunciou um prejuízo líquido de R$ 323.37 milhões em 2018, valor 138,18% maior que o prejuízo líquido de R$ 135.77 milhões apurado no ano anterior. Já a receita líquida da companhia aumentou 35,84% de um ano para o outro, passando de R$ 3.51 bilhões em 2017 para R$ 4.77 bilhões em 2018.

Os ativos totais da empresa Paranapanema totalizaram R$ 4.62 bilhões em 31 de dezembro de 2018, soma 9,78% maior que o saldo de R$ 4.21 bilhões registrado no encerramento de 2017. Por sua vez, o patrimônio líquido da companhia apresentou retração de 32,19%, ao compararmos todos os valores contábeis que os seus sócios possuíam no último dia de 2018 (R$ 602.5 milhões) com o último dia de 2017 (R$ 888.52 milhões).

No 4T18, a Companhia manteve-se dedicada na recuperação dos seus resultados e avançou
significativamente na comparação com o mesmo período do ano anterior: registrou lucro líquido de R$ 32,7 milhões, alta de 128%. A receita líquida da empresa no período teve alta de 16%.
No acumulado do ano, os impactos não monetários da variação cambial sobre as dívidas de longo prazo totalizaram R$231,2 milhões e levaram a um prejuízo líquido de R$ 323,4 milhões.
Além desse impacto não monetário, vale lembrar que a Companhia registrou uma depreciação de R$148,2 milhões e um Other Comprehensive Income “OCI” (Ajuste de Avaliação Patrimonial) de R$24,9 milhões. Com isso, se expurgarmos os principais efeitos não monetários sobre o Resultado Líquido teríamos um Lucro líquido de R$80,9 milhões.
Importante ressaltar ainda que cerca de 93% da dívida da Paranapanema é em dólar e 90% da dívida em dólar está no longo prazo. Os efeitos da  variação cambial sobre a dívida de longo prazo não devem ser compreendidos como uma exposição real da Companhia, uma vez que o caixa relativo a tais pagamentos será gerado em períodos futuros, quando as receitas também irão capturar tal valorização.
Desta forma, sob a ótica do fluxo de caixa da Companhia, existe um hedge natural entre as receitas futuras e os pagamentos futuros de dívida.

Todos estes dados referem-se à individualização do resultado financeiro da companhia Paranapanema (BOV:PMAM3), sem considerar o resultado financeiro de suas companhias subsidiárias (empresas controladas, de maneira direta ou indireta, pela companhia) relacionadas ao ano de 2018.

Acesse o balanço financeiro completo desta companhia, clicando aqui. Não deixe de conferir também seus indicadores fundamentalistas, clicando aqui.

Conheça a Paranapanema

Paranapanema é a maior produtora nacional não integrada de cobre primário, responsável pela produção e comercialização de cátodos, vergalhões, fios trefilados, laminados, barras, tubos e conexões de cobre e suas ligas. Atualmente, é responsável por 100% do volume de cobre primário produzido no País.

A companhia foi fundada em 1961 e tem capital aberto desde 1971, integrando o Novo Mercado da BMF Bovespa desde 2012. Possui três unidades industriais, sendo uma produtora de cobre primário (ou cobre refinado) no Polo Industrial de Camaçari, em Dias d’Ávila (BA), e duas de produtos de cobre e suas ligas – uma em Santo André (SP) e uma em Serra (ES). A Paranapanema é controladora do CDPC (Centro de Distribuição de Produtos de Cobre), com sede em Santo André (SP) e unidades na Bahia e no Rio de Janeiro.

Usuários ADVFN acompanham, gratuitamente e em tempo real, a cotação de todas as ações negociadas na BM&FBOVESPA através das ferramentas Monitor, Cotação e Gráfico.

Deixe um comentário