BR Properties (BRPR3) 2T20: Lucro líquido de R$ 19,9 milhões

LinkedIn

O lucro líquido da BR Properties caiu 65%, no segundo trimestre, na comparação anual para R$ 19,9 milhões. De abril a junho de 2019, o resultado foi afetado, positivamente, pelo efeito não caixa do imposto diferido na venda de propriedades. A empresa espera ter mais contratações de áreas de escritórios do que devoluções, neste semestre, apesar dos efeitos da crise provocada pela pandemia de covid-19 nas ocupações.

Os resultados da BR Properties (BOV:BRPR3) referente a suas operações do segundo trimestre de 2020, foram divulgados no dia 05/08/2020.

Os números obtidos pela BR Properties, no segundo trimestre, referentes à receita líquida, ao Ebtida, à vacância e à despesa financeira líquida, ficaram bem próximos da expectativa traçada anteriormente à pandemia de covid-19.

→ A BR Properties é uma das principais empresas de investimento em imóveis comerciais de renda do Brasil. Possui foco em aquisição, locação, administração, incorporação e venda de imóveis comerciais, especialmente imóveis qualificados como Escritórios, Galpões Industriais e de Varejo, localizados nas principais regiões metropolitanas do Brasil, como São Paulo e Rio de Janeiro. A empresa possui R$ 4,51 bilhões de valor de mercado. Confira a Análise completa da empresa com informações exclusivas.

Segundo matéria do Valor, a BR Properties espera ter mais contratações de áreas de escritórios do que devoluções, neste semestre, apesar dos efeitos da crise provocada pela pandemia de covid-19 nas ocupações. Mas a redução da taxa de vacância deve ser menor do que a inicialmente esperada, segundo o diretor financeiro e de relações com investidores da companhia, André Bergstein.

Há três semanas, as conversas com potenciais inquilinos dos setores de tecnologia, financeiro, de seguros e consumo sobre novas locações foram retomadas. “O horizonte começa a ficar mais claro em relação ao impacto fiscal da pandemia, à taxa de juros e ao dólar. Ainda existe volatilidade, mas a perspectiva está mais clara do que há três meses”, afirma Bergstein.

Somando-se as novas locações fechadas no segundo trimestre e em julho, a companhia comercializou 6.116 metros quadrados de área bruta locável (ABL) e teve rescisões de 3.349 metros quadrados, com absorção líquida positiva de 2.767 metros quadrados.

Parte dos potenciais ocupantes que têm buscado áreas pretende concentrar suas atividades em um só lugar, segundo ele. Outro movimento que deverá ocorrer, de acordo com o executivo, é a migração de empresas que decidirem reduzir a área ocupada para escritórios mais eficientes. Conforme Bergstein, a BR Properties poderá se beneficiar do chamado “flight to quality” devido a seu portfólio concentrado em edifícios triple A.

Deixe um comentário