JBS comunicou que sua subsidiária Pilgrim's é multada por restringir competição nos EUA

LinkedIn

A JBS (BOV:JBSS3) informou que sua subsidiária nos EUA Pilgrim’s Pride Corporation celebrou um acordo com a Divisão Antitruste do Departamento de Justiça dos EUA.

A empresa pagará multa no valor de US$ 110.524.140 devido à restrições à competição que afetaram três contratos de venda de produtos de frango de corte a um cliente nos Estados Unidos.

O acordo, que está sujeito à aprovação da Corte do Distrito do Colorado, não recomenda monitoramento, restituição ou período condicional e prevê que a Divisão Antitruste não apresentará acusações adicionais contra a Pilgrim’s com relação a este tema, condicionado a que a empresa cumpra com os termos e condições do acordo. Segundo a JBS, a Pilgrims pretende registrar a multa como despesas diversas em suas demonstrações financeiras do terceiro trimestre de 2020.

J&F faz acordo nos EUA e pagará US$128 mi de multa em caso derivado da Lava Jato

A holding controladora da JBS, J&F, acertou acordo com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos em que se declarou culpada de violar legislação norte-americana contra corrupção e pagará cerca de 128 milhões de dólares às autoridades do país.

O acordo, anunciado junto com outros envolvendo unidades do grupo, retira parte de incertezas que pairavam sobre os planos da JBS em abrir capital de suas operações internacionais nos Estados Unidos.

As ações da JBS passaram a subir com mais força nesta quarta-feira após a divulgação do acordo e da própria JBS e da controlada norte-americana Pilgrim’s Pride terem anunciado acordos semelhantes para resolverem investigações sobre violação de leis dos Estados Unidos. Às 15h02, as ações da JBS exibiam alta de 6,4%, segunda maior alta do Ibovespa, que mostrava valorização de 0,8%.

A JBS explicou que o valor da multa acordado pela J&F é de cerca de 256,5 milhões de dólares, mas 50% desse valor já foi pago a autoridades brasileiras e foi abatido do total a ser pago nos EUA. Procurada, a J&F afirmou que não comenta o assunto.

Segundo promotores dos EUA, o montante de propinas pagas por executivos da J&F para autoridades governamentais de alto escalão superou os 150 milhões de dólares. Os promotores afirmaram ainda que a empresa teve um lucro de 178 milhões com o pagamento dos subornos.

O acerto da holding com o Departamento de Justiça dos EUA é um desdobramento do acordo de leniência acertado pela companhia com o Ministério Público Federal no Brasil e dos acordos de colaboração premiada assinados pelos executivos Wesley e Joesley Batista com a Procuradoria-Geral da República, desencadeados pela operação Lava Jato, afirmou a JBS em fato relevante ao mercado.

Por sua vez, a JBS, maior processadora de carne do mundo, afirmou que assinou acordo com a autoridade fiscalizadora do mercado de capitais norte-americano, SEC, que prevê pagamento de multa de cerca de 27 milhões de dólares.

Este acordo com a SEC é relacionado a falhas da controlada Pilgrim’s Pride no registro de suas informações contábeis, afirmou a JBS.

A JBS acrescentou que como parte do acordo com a SEC, deverá por três anos prestar esclarecimentos sobre “a efetividade das políticas anticorrupção, procedimentos, práticas, controles internos e manutenção de registros e processos de reportes financeiros da JBS” e de quaisquer empresas que estejam sob controle do grupo.

Segundo a JBS, o acordo com a SEC encerra qualquer outra pendência legal da companhia e suas afiliadas relacionadas à contabilidade da Pilgrim’s.

JBS (JBSS3) 2T20: Lucro líquido de R$ 3,4 bilhões

A JBS registrou lucro líquido de R$ 3,4 bilhões no 2º trimestre, crescimento anual de 54,8%. Com isso, a empresa chegou ao seu menor patamar do índice de endividamento. A alta foi impulsionada pelo bom momento no mercado dos Estados Unidos e pelas exportações para a China.

Os resultados da JBS referente a suas operações do segundo trimestre de 2020, foram divulgados no dia 13/08/2020.

VISÃO DE MERCADO

Guide Investimentos por Luis Sales

Impacto: Negativo. Quando se trata de ESG, a JBS não chega a ser uma companhia muito bem avaliada. Isto porque os frigoríficos brasileiros, em sua grande maioria, não fazem o monitoramento completo de sua produção, permitindo com isso que parte da cadeia crie gados em áreas proibidas e assim incentivando o desmatamento e as queimadas. Ainda, a companhia já foi alvo de escândalos de corrupção, e agora vem sendo acusada de não ter adotado medidas de segurança para proteger seus funcionários, e consequentemente sua produção, de uma infecção por Covid-19, o que mostra bastante sobre o relacionamento que a empresa cultiva com os envolvidos em seu processo. Temos em mente que o frigorífico vem adotando medidas para mudar seu posicionamento com relação à sustentabilidade, mas devemos acompanhar de perto.

Deixe um comentário