ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for pro Negocie como um profissional: Aproveite discussões em tempo real e ideias que movimentam o mercado para superar a concorrência.

PMI industrial da zona do euro recua em novembro

LinkedIn

PMI industrial da Zona do Euro ficou em 53,8 pontos, acima dos 53,6 pontos esperados e da linha dos 50 pontos que delimita a expansão da contração da atividade, no Reino Unido, em 55,6 pontos. Já na França, o PMI revelou queda da atividade, ficando em 49,6 pontos, mas acima dos 49,1 pontos esperados.

Refletindo em partes os dados econômicos locais, as bolsas de Frankfurt e de Londres destacam-se positivamente no mercado europeu subindo 0,98% e 1,6%, respectivamente, no início desta manhã.

Nos Estados Unidos, os dados do PMI medidos pelo Instituto para Gestão da Oferta (ISM, na sigla em inglês) serão divulgados n em breve, e as expectativas são altas, de 58 pontos.

Na Alemanha, o PMI industrial caiu para 57,8 em novembro, de 58,2 em outubro, levemente acima da previsão de 57,9 pontos.

Na França, o PMI industrial caiu para 49,6 em novembro, de 51,3 em outubro, e atingiu o nível mais baixo em seis meses, segundo a IHS Markit. Outros países que viram os PMIs industriais em território de contração em novembro foram Espanha (49,8 pontos) e Grécia (42,3).

Na Itália, o PMI industrial recuou para 51,5 pontos em novembro, de 53,8 em outubro, na mínima de cinco meses, em um movimento descendente impulsionado por uma expansão mais suave da produção nas fábricas e uma queda renovada nos volumes da carteira de pedidos.

A Alemanha foi mais uma vez o principal motor por trás da expansão [industrial] da região, desfrutando de uma taxa de produção e do crescimento da carteira de pedidos que raramente tem sido ultrapassado ao longo dos 25 anos de história da pesquisa. Excluindo a Alemanha, o crescimento da produção chegou perto de se estagnar e os fluxos de entrada de novos pedidos caíram pela primeira vez desde junho. A divergência resultante entre Alemanha e o resto da região em termos de crescimento da produção é agora a maior já registrada”, destacou o economista-chefe da IHS Markit.

Deixe um comentário