Ultrapar avalia vender divisão química Oxiteno

LinkedIn

Após rumores na imprensa de que a Ultrapar estuda vender a Oxiteno por mais de US$ 1 bilhão, a companhia emitiu um comunicado ao mercado avaliando alternativas estratégicas para seu negócios Oxiteno, que incluem potencial desinvestimentos

O comunicado foi enviado pela empresa (BOV:UGPA3) na noite desta segunda-feira (14). A holding confirma que avalia periodicamente seu portfólio de negócios para maximizar a geração de valor para seus acionistas, e que tem priorizado capital para oportunidades na cadeia de óleo e gás.

De acordo com a empresa, o movimento tem como contexto a restruturação e consolidação na indústria química global e busca viabilizar a continuidade da expansão e do fortalecimento da Oxiteno, desenvolvida pelo grupo há mais de 40 anos.

Semana passada, a Ultrapar anunciou investimento de R$ 1,89 bilhão para 2021, montante superior aos investimentos realizados em 2019 e 2020.

Leia a seguir a íntegra do comunicado enviado ao mercado:

“São Paulo, 14 de dezembro de 2020 – A Ultrapar Participações S.A. (“Companhia” ou “Ultrapar”, B3: UGPA3; NYSE: UGP), em esclarecimento à notícia veiculada na mídia, comunica o que segue:

• Em consistência com que a Companhia vem informando aos seus acionistas e ao mercado de capitais, a Ultrapar avalia periodicamente seu portifólio de negócios, com o objetivo de maximizar a geração de valor para seus acionistas e demais públicos com que se relaciona.

• Também em linha com a estratégia que a Companhia vem desenvolvendo e informando ao mercado, a prioridade de alocação de capital para os próximos anos está centrada nas oportunidades existentes na cadeia de óleo e gás no Brasil, na qual a Companhia atua através de três empresas e conta com vantagens competitivas estruturais.

• A Oxiteno foi construída e vem sendo desenvolvida pelo Grupo Ultra há mais de 40 anos, e tem posição destacada no Brasil e na América Latina, com parque industrial moderno e tecnologia de ponta na indústria química, setor que vem passando por um processo de restruturação e consolidação a nível global.

• Diante desse contexto, em consistência com a estratégia de crescimento da Companhia e buscando viabilizar a continuidade da expansão e do fortalecimento da Oxiteno, a Ultrapar está avaliando alternativas estratégicas para esse negócio, que incluem potencial desinvestimento. A Companhia manterá seus acionistas e o mercado informados tempestivamente de quaisquer fatos relevantes”.

VISÃO DE MERCADO

BTG Pactual 

O BTG Pactual considera que a Ultrapar pode ser uma competidora na compra de alguma refinaria da Petrobras, depois de a empresa ter confirmado, na noite de ontem, que estuda a venda da Oxiteno. Outro fator que levou o banco a considerar essa possibilidade foi o anúncio da companhia de que ela vai priorizar a alocação de capital nos próximos anos na cadeia de óleo e gás no país.

Guide Investimentos

Para o analista de empresas, Luis Sales, o Impacto é Positivo. A companhia pensa em possivelmente se desfazer do Oxiteno, visando maximizar a geração de valor para seus acionistas. Agora, a Ultrapar considera mais vantajoso priorizar o capital para oportunidades dentro do setor de óleo e gás.

Lucro líquido de R$ 277 milhões

A empresa revelou em seu balanço que obteve um lucro líquido de R$ 277 milhões, uma redução de 10% quando comparado com o mesmo período do ano anterior. Em relação ao 2T20, o lucro líquido apresentou aumento de R$ 227 milhões.

Em se tratando da receita líquida da companhia, o montante ficou em R$ 21 bilhões no 3T20, o que equivale a 11% menos do que o registrado no mesmo período de 2019. No comparativo com o trimestre anterior deste ano, entretanto, a receita líquida cresceu 31%.

Deixe um comentário