Movida divulga prévia do 4T20 com receita de R$ 500,8 milhões

LinkedIn

A Movida divulgou suas prévias operacionais referentes ao quarto trimestre de 2020. Nos serviços de locação de veículos (RAC) e gestão e terceirização de frota (GTF), a receita líquida do período ficou em R$ 500,8 milhões, avanço de 9,6% em relação aos três últimos meses de 2019. Ou seja, a companhia conseguiu superar os patamares pré-pandemia de covid-19 neste segmento.

O Fato Relevante foi divulgado pela locadora de veículos (BOV:MOVI3) na noite de domingo (10). Confira o documento na íntegra!

Em relação ao terceiro trimestre de 2020, a receita da Movida com o serviço de aluguéis mostrou crescimento foi de 26,9%. Ao separar os dois tipos de serviço, houve o mesmo ritmo de crescimento tanto no RAC quanto no GTF, na comparação anual, de 9,6%.

O aluguel de veículos registrou receitas de R$ 359,6 milhões, e a gestão de frotas com R$ 141,2 milhões. Já em relação ao terceiro trimestre, o crescimento foi mais intenso no RAC, de 33,2%, contra 13,2% no GTF.

Em relação às vendas de veículos seminovos, a Movida registrou receita de R$ 489,8 milhões, quedas de 9,9% na comparação anual e de 23,6% na trimestral. A depreciação da frota teve um recuo de 18% e de 33%, respectivamente, para R$ 65,3 milhões. Diárias

A Movida divulgou também números sobre sua frota e as diárias contratadas. Entre outubro e dezembro de 2020, o número de diárias no RAC subiu 7,6% em relação ao mesmo período de 2019 e 11,4% na comparação com o terceiro trimestre. Ainda no RAC, a taxa de ocupação subiu de 78,9% no quarto trimestre de 2019 para 84,4% em 2020. Entre julho e setembro do ano passado, esta taxa estava em 82,7%. A diária média ficou em R$ 84,60, ante R$ 70,30 no terceiro trimestre e R$ 83,90 no último trimestre de 2019.

A frota total aumentou 4,5% em três meses, para 71.041 unidades, e ficou praticamente estável em relação ao fim do ano anterior. Na gestão de frota, o número de diárias subiu 7,4% na relação anual e 8,3% na trimestral. A frota teve crescimento mais forte, com avanço de 16% em 3 meses e de 22,1% em 12 meses, para 47.244 veículos. No total, a frota da Movida fechou o ano de 2020 com 118.285 veículos, crescimento trimestral de 8,8% e anual de 7,9%.

No segmento de seminovos, o volume de veículos vendidos caiu 31,1% em três meses e 27,7% na comparação anual. Mas o preço médio subiu, fechando o quarto trimestre do ano passado em R$ 49.850, alta de 24,3% em um ano e de 10,1% em relação ao trimestre anterior.

A Movida pretende divulgar os resultados do 4T20 e do ano de 2020 no dia 10 de março.

→ A Movida atua nos segmentos de locação de aluguel de carros, venda de seminovos e de gestão de terceirização de frotas de veículos leves. Desde 2006 no mercado, a Movida Aluguel de Carros conta com a frota mais nova do Brasil e dispõe de lojas nas principais cidades e aeroportos do país. Adquirida em 2013 pelo Grupo JSL, hoje faz parte da empresa Movida Participações, criada em 2015 para administrar as operações da companhia. Confira a análise completa da empresa com informações exclusivas.

VISÃO DO MERCADO

Eleven Financial

Os analistas da Eleven acreditam que as perspectivas positivas para o setor de locação de veículos continuem em 2021 pela mudança de comportamento do consumidor, pela abertura de novos mercados e pelo lançamento de novos produtos. Dentro do setor de locação de veículos, a preferência da casa de análises é pela Movida em razão de descontos excessivos, diminuição da diferença do ROIC entre as companhias.

A Eleven mantém recomendação de compra com preço-alvo de R$ 30,00.

Guide Investimentos 

De acordo com Luis Sales, analista de empresas o Impacto é Positivo. As locadoras contaram com um crescimento muito forte da demanda por veículos no final do último ano. Este foi tão considerável que incorreu inclusive na falta da oferta por parte das empresas, que não puderam reforçar sua frota ao longo de 2020. O movimento mostra o aumento do número de veículos circulando nas ruas, com as notícias mais positivas relacionadas às vacinas e também o pico geralmente observado nas festas de final de ano.

Lucro líquido dá marcha a ré e cai 38% no 3T20

A Movida se movimentou em direção contrária ao bom desempenho de lucro líquido no terceiro trimestre de 2020. Isso porque ela registrou um lucro líquido de R$ 37,2 milhões, resultado 38,2% inferior ao do mesmo período do ano passado.

Já a receita líquida atingiu R$ 1,035 bilhão, crescimento de 3,6% na comparação ano a ano.

Deixe um comentário