NotreDame Intermédica (GNDI3): a saúde sempre em primeiro lugar

LinkedIn

A máxima de colocar a saúde em primeiro lugar foi uma constante em todo o ano de 2020, marcado pela pandemia, mas, para o Grupo NotreDame Intermédica (BOV:GNDI3), isso vem de muito antes. Ela foi fundada em 1968 e, desde então, tem sido bastante ousada quando o assunto é colocar a saúde em destaque, o que fez por meio de aquisições e construção de instalações, tornando-se referência no mercado de saúde suplementar brasileiro (ou seja, de planos de saúde e, no caso da NotreDame, eles vêm também vinculados ao atendimento em unidades próprias).

As operações da empresa estão sobretudo localizadas nas regiões Sul e Sudeste do Brasil, respondendo por um market share de 6,7% do território nacional quando o assunto são beneficiários, isto é, clientes de planos de saúde. Isso significa que é a segunda maior operadora do país, ficando atrás apenas do Bradesco Saúde, que lidera o ranking. Os dados são da Agência Nacional de Saúde (ANS) e se referem até novembro de 2020.

  • 1° lugar: Bradesco Saúde, com market share de 7%.
  • 2° lugar: NotreDame Intermédica (GNDI3), com 6,7%.
  • 3° lugar: Amil Assistência Médica, correspondendo a 6%.
  • 4° lugar: Hapvida Assistência Médica, com 5,1%.

Entretanto, lembre-se do que falamos: em se tratando da Intermédica, a saúde é em primeiro lugar, portanto nada mais natural do que figurar como líder nesse ranking. E é justamente isso o que se pretende com a fusão da Intermédica (GNDI3) com a Hapvida (HAPV3), a sua principal concorrente em operações no mercado e pelos investidores na Bolsa de Valores.

Como anda a sua saúde financeira? A Hapvida (HAPV3) pode te ajudar? 

Tudo ainda precisa ser aprovado pelo Cade, mas dessa união existe ao menos uma certeza: liderança em diversas frentes. Além de sair disparada como primeiro lugar em market share no Brasil quanto a planos de saúde, as empresas juntas se tornariam uma gigante em abrangência geográfica. Intermédica tem atuação forte nas regiões Sudeste e Sul, como falamos anteriormente, e Hapvida é presença marcante no Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Alguns números

Atualmente, a Hapvida possui:

  • 39 hospitais distribuídos em 14 estados, contando com mais de 3.000 leitos.
  • 41 pronto-atendimentos que realizam até 350 mil atendimentos por mês.
  • 184 clínicas que atendem uma média de 450 mil consultas ao mês.
  • 174 centros de diagnósticos que fazem uma média de 2 milhões de exames por mês.
  • 30 mil médicos e dentistas.
  • Cerca de 6,7 milhões de beneficiários.

Já a Intermédica tem:

  • 87 centros clínicos.
  • 14 unidades de Medicina Preventiva.
  • 23 prontos-socorros autônomos.
  • 68 pontos de coleta.
  • 24 hospitais.
  • 12 unidades para exames de imagens.
  • 2 Centros de Saúde exclusivamente para beneficiários 50+.
  • Mais de 20 mil funcionários.
  • 6,2 milhões de beneficiários.

Ambas as empresas oferecem planos de saúde e odontológicos com atendimento em suas redes próprias. Vale dizer que, como as duas atuam forte na expansão, a união tende a fortalecer isso ainda mais, portanto as dimensões dessa fusão, embora já pareçam grandiosas, podem surpreender.

Só para efeitos de comparação, a Rede D’Or (RDOR3), por exemplo, que é a maioral da saúde na Bolsa, possui:

  • 51 hospitais.
  • 39 clínicas oncológicas.
  • 8,8 mil leitos.
  • 50 mil colaboradores.
  • 90 mil médicos credenciados.

Fusão pré-destinada

Se você entrar no site institucional das duas companhias, vai perceber que um parece ser a cópia do outro, de tantas semelhanças que existem em termos de operação e até de números. Elas têm tudo a ver e descobriram isso não agora, em 2021, quando o processo da fusão deu o start, mas começou lá em 2010, porém sem avanços.

Em 2018, nova coincidência, dessa vez com a Intermédica entrando na Bolsa de Valores alguns dias apenas antes da Hapvida. A demanda pelas ações das empresas superou a oferta em cinco vezes. No caso específico da Intermédica, 75% dos investidores eram estrangeiros.

Com a fusão, a nova empresa seria composta 53,1% pela Hapvida e 46,9% pela NotreDame. Unindo as duas na Bolsa de Valores, temos uma companhia com valor de mercado em torno de R$ 105 bilhões, perdendo apenas para a Rede D’Or (RDOR3) dentro do segmento e se tornando a oitava maior companhia da Bolsa de Valores brasileira em valor de mercado.

b3

Fonte: B3.

Quanto à valorização do papel, se separadas as empresas já ficam no top 10 das ações mais valorizadas no ano de 2020, imagina juntas. No encerramento do ano passado, as ações da NotreDame (GNDI3) terminaram com uma alta de mais de 35%, ficando atrás da Hapvida (HAPV3), cujas ações valorizaram mais de 40%.

Quanto a isso, vale observar um gráfico bastante relevante que compara o desempenho das duas empresas desde sua entrada na bolsa, incluindo aí o período de pandemia enfrentado em 2020. Para deixar o comparativo ainda mais relevante, indexamos o desempenho do Ibovespa.

Capturar

Obs.: última cotação data de 12/01/2021.

Veja a cotação atual de GNDI3, em tempo real. 

Na visualização de todos os anos desde a estreia das companhias na Bolsa, perceba a liderança novamente presente da Intermédica quando o assunto é valorização dos papéis. Embora no encerramento de 2020 a Hapvida tenha levado vantagem, quando se observa o longo prazo, fica evidente a preferência dos investidores.

Só para se ter uma ideia, se você tivesse investido R$ 10 mil em GNDI3 lá na estreia dela na Bolsa, em janeiro de 2021, até o dia 14, você teria acumulado um total de R$ 46.600, sem contar os dividendos, na casa dos R$ 14 mensais. Para saber mais sobre isso e ver outras informações de análise fundamentalista e técnica dessa empresa, acesse aqui.

=> Conheça as 24 empresas com o maior potencial de retorno em dividendos em 2021. 

E você, o que acha da Intermédica e também da fusão com a Hapvida? Comenta aqui embaixo e não se esquece de compartilhar este artigo com seus amigos. Bon$$ Investimento$$!

Deixe um comentário