Confira os Indicadores Econômicos desta sexta-feira (26/02/2021)

LinkedIn

Confira os principais indicadores econômicos desta sexta-feira (26/02/2021), em destaque a  renda pessoal nos Estados Unidos aumentou 10% em janeiro, após um aumento de 0,6% em dezembro, sendo ainda maior do que a estimativa de 9,5% do Dow Jones.

Brasil

A taxa de desocupação caiu para 13,9% no quarto trimestre, depois de atingir 14,6% no trimestre anterior. Mesmo assim a taxa média de desocupação para o ano de 2020 foi de 13,5%, a maior desde 2012. Isso corresponde a cerca de 13,4 milhões de pessoas na fila por um trabalho no país. O resultado para o ano interrompe a queda na desocupação iniciada em 2018, quando ficou em 12,3%. Em 2019, o desemprego foi de 11,9%.

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgada hoje (26) pelo IBGE.

Essa queda da ocupação foi disseminada por todos os trabalhadores. Em um ano, o número de empregados com carteira de trabalho assinada no setor privado (excluindo trabalhadores domésticos) teve redução recorde, menos 2,6 milhões, um recuo de 7,8%, ficando em 30,6 milhões de pessoas. Os trabalhadores domésticos (5,1 milhões) diminuíram 19,2%, também a maior retração já registrada.

Apesar dos efeitos econômicos da pandemia do novo coronavírus, o setor público consolidado (Governo Central, Estados, municípios e estatais, com exceção de Petrobras e Eletrobras) apresentou superávit primário de R$ 58,375 bilhões em janeiro, informou nesta sexta-feira, 26, o Banco Central. Este é o maior superávit para um mês de janeiro na série histórica, iniciada em dezembro de 2001.

O resultado primário reflete a diferença entre receitas e despesas do setor público, antes do pagamento da dívida pública. Em função da pandemia, cujos efeitos econômicos se intensificaram em março, o governo federal e os governos regionais passaram a enfrentar um cenário de forte retração das receitas e aumento dos gastos públicos. Em dezembro do ano passado, havia sido registrado déficit de R$ 51,837 bilhões.

O superávit primário consolidado de janeiro ficou próximo do teto do intervalo das estimativas de analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Projeções Broadcast, que iam de superávit de R$ 26,60 bilhões a R$ 58,60 bilhões. A mediana estava positiva em R$ 51,10 bilhões.

Estados Unidos

Os gastos do consumidor dos EUA se recuperaram fortemente em janeiro, com o governo distribuindo dinheiro adicional para alívio da pandemia para famílias de baixa renda e novas infecções por COVID-19 caíram, preparando a economia para um crescimento mais rápido no primeiro trimestre.

Os gastos do consumidor, que respondem por mais de dois terços da atividade econômica dos EUA, aumentaram 2,4% no mês passado, depois de cair 0,4 em dezembro, disse o Departamento de Comércio nesta sexta-feira. A renda pessoal aumentou 10% no mês passado.

A renda pessoal nos Estados Unidos aumentou 10% em janeiro, após um aumento de 0,6% em dezembro, sendo ainda maior do que a estimativa de 9,5% do Dow Jones.

Uma nova rodada de cheques de estímulo do governo elevou a renda pessoal ao maior ganho mensal desde abril de 2020, embora a inflação tenha permanecido fraca, informou o Departamento de Comércio nesta sexta-feira.

O ganho veio da emissão de pagamentos de estímulo de US$ 600 que o Congresso aprovou para milhões de americanos, junto com benefícios de desemprego aprimorados. Os consumidores pegaram esses cheques e os gastaram rapidamente, fazendo com que as vendas no varejo disparassem e com que as despesas gerais aumentassem 2,4% no mês, um pouco abaixo da estimativa de 2,5%.

índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) elaborado pelo Instituto para Gestão da Oferta (ISM, na sigla em inglês) recuou de 63,8 em janeiro a 59,5 em fevereiro, informou nesta sexta-feira, 26, a própria entidade.

Analistas ouvidos pelo Wall Street Journal previam queda menor, a 61,0, após a leitura do dado, conhecido como Chicago Business Barometer – um indicador antecedente da economia americana -, ter atingido no mês anterior a máxima em dois anos e meio.

O índice de sentimento do consumidor nos Estados Unidos elaborado pela Universidade de Michigan recuou de 79,0 em janeiro a 76,8 na leitura final de fevereiro.

O resultado veio em linha com a expectativa dos analistas ouvidos pelo Wall Street Journal, o índice das condições atuais na pesquisa foi de 86,7 em janeiro a 86,2 em fevereiro.

 

Deixe um comentário