Embraer (EMBR3): prejuízo de R$ 2,3 bilhões em 2020 com impacto da pandemia no setor aéreo

LinkedIn

No consolidado do ano, o prejuízo mostra o impacto da covid-19 no setor aéreo. A Embraer registrou uma perda de R$ 2,3 bilhões, ante uma de R$ 862,7 milhões em 2019.

Os resultados da Embraer (BOV:EMBR3) referentes suas operações do quarto trimestre de 2020 foram divulgados no dia 19/03/2021. Confira o Press Release completo!

⇒ Confira a agenda completa da divulgação dos resultados do 4T20 e referente ao ano de 2020. Confira a cobertura completa de todos os balanços referente ao ano de 2020 das empresas negociadas na B3.

Em 2020, o Ebtida foi de R$ 437,6 milhões, caindo na comparação com os os R$ 725,6 milhões de 2019.

A dívida líquida da Embraer fecha 2020 em R$ 8,8 bilhões, crescendo consideravelmente na comparação com os R$ 2,4 bilhões do fim de 2019, mas caindo na base trimestral. Sua alavancagem, medida pela relação da dívida líquida com o Ebitda (DL/Ebitda) se encontra em 130,5 vezes, ante 31,7 vezes no final de 2019.

O presidente da Embraer, Francisco Gomes Neto, disse ao Valor Econômico que a companhia deve retomar os níveis de receita pré-pandemia em 2023 e superá-los entre 2024 e 2025.

Segundo o executivo, a estimativa é conservadora e não considera potenciais parcerias.

Gomes Neto também afirmou ao jornal que a fabricante brasileira vai buscar ser ressarcida de todos os gastos gerados pelo acordo com a Boeing encerrado em abril, mas sem expectativa de resolução do conflito em 2021.

4T20

A fabricante de aeronaves Embraer reportou prejuízo líquido ajustado de R$ 70 milhões no quarto trimestre de 2020, na comparação com o mesmo período de 2019. A receita líquida da companhia totalizou R$ 9,812 bilhões no período

O Ebitda ajustado – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – somou R$ 783,4 milhões, 277,18% maior ao visto no mesmo período do ano anterior.

A receita líquida da Embraer avançou nos últimos três meses de 2020, tanto na base trimestral quanto na anual. A companhia levantou R$ 9,8 bilhões no período, mais do que os R$ 8,5 bilhões registrados no mesmo intervalo de 2019 e mais do que os R$ 4 bilhões do terceiro trimestre. No ano inteiro, a receita ficou em R$ 19,6 bilhões, ante R$ 21,8 bilhões em 2019.

No período, a geração de caixa livre ajustado foi de R$ 3,709 bilhões, enquanto a dívida líquida era de R$ 8,811 bilhões, 256% superior ante o mesmo trimestre de 2019.

Por segmento, a divisão de Aviação Comercial registrou receita líquida de R$ 3,668 bilhões, alta de 37,4% na comparação anual, enquanto a Aviação Executiva subiu 31,1% e somou R$ 3,050 bilhões, na mesma base de comparação.

A área de Defesa & Segurança, por sua vez, obteve receita líquida de R$ 1,688 bilhão, alta de 17,2% ante igual período do ano anterior. A divisão de Serviços & Suporte teve alta de 13,9% na receita, para R$ 1,365 bilhão, e o segmento Outros somou R$ 39 milhões, elevação de 0,4% na comparação anual.

O quarto trimestre registrou uma volta das entregas de aviões, com a empresa tirando 28 jatos comercias e 43 executivos de seu estoque. Apenas nos últimos três meses do ano, a Embraer entregou mais da metade de toda a sua demanda anual: foram 44 jatos comerciais e 86 jatos executivos entregues ao longo de todo 2020, totalizando 130, 68 a menos do que em 2019.

Apesar dessa visível aceleração, a Embraer pontua que o avanço da receita na base anual foi impulsionada, principalmente, por conta da questão cambial – com o real desvalorizado ante o dólar. Além disso, a companhia se privou de traçar perspectivas para 2021 por conta da instabilidade gerada pela pandemia da covid-19.

Deixe um comentário