Privatização da Eletrobras não vai aumentar tarifas de energia para os consumidores, diz chefe da assessoria de Minas e Energia

LinkedIn

O projeto do governo para privatização da Eletrobras (BOV:ELET3) (BOV:ELET6) não vai aumentar tarifas de energia para os consumidores, uma vez que a proposta prevê que a companhia direcione até R$ 2,5 bilhões ao ano para aliviar a alta nas contas de luz, disse o chefe da assessoria econômica da pasta de Minas e Energia, Hailton Madureira, em debate sobre a privatização transmitido online pela TV Câmara.

O governo do presidente Jair Bolsonaro publicou no final de fevereiro uma medida provisória sobre a desestatização, que terá 120 dias para análise pelo Congresso. Madureira explicou que o modelo previsto para a desestatização envolve obrigação de a Eletrobras direcionar posteriormente “entre R$ 2 bilhões e R$ 2,5 bilhões” por ano em recursos para abater encargos que oneram as contas de luz dos consumidores.

Na segunda, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que deu carta branca para que o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, sugira nomes para a presidência da Eletrobras. Mas afirmou que ele é quem baterá o martelo sobre a indicação. Em 25 de janeiro, o ex-presidente da estatal Wilson Ferreira Júnior pediu demissão do cargo. O executivo assumirá o comando da BR Distribuidora.

A Eletrobras pretende divulgar os resultados do 4T20 e referente ao ano de 2020 no dia 12 de março. 

⇒ Confira a agenda completa da divulgação dos resultados do 4T20 e referente ao ano de 2020

Queda no lucro líquido de R$ 715,8 milhões para R$ 95,7 milhões

A Eletrobras – Centrais Elétricas Brasileiras – divulgou lucro líquido de R$ 95,7 milhões no terceiro trimestre de 2020, recuando mais de sete vezes. Segundo a estatal, a queda ocorreu pelo aumento das provisões por redução na geração de energia, por processos judiciais e de contratos onerosos.

Essa é a pior queda trimestral no lucro e no Ebitda em pelo menos três anos.

Deixe um comentário