TRADUZ, ADVFN! Conheça os termos mais usados no setor de Petróleo&Gás

LinkedIn

Se tem uma coisa que faz muita falta quando se começa a ler sobre um setor ou acompanhar relatórios dele é entender os termos técnicos da área. Muitas vezes, chega a ser desanimador travar em cada frase, sempre que aparece alguma palavra desconhecida ou uma abreviação que não se sabe de onde vem e para onde vai.

É ainda mais difícil pensar que, muitas vezes, os termos vêm ainda de outras línguas, sobretudo do inglês, e o que era complicado se torna ainda mais. Isso até agora.

Afinal, reunimos aqui os termos técnicos mais usados do setor que é um dos queridinhos quando o assunto são investimentos: Petróleo&Gás. Portanto, se era o que faltava para te fazer falar a língua dos seus investimentos nesse setor, agora é o momento de aproveitar para se comunicar ainda mais com a informação das empresas nas quais você investe. Aproveite e ótimo$$ investimento$$!

A

Águas profundas

Equivalem a uma profundidade entre 401 e 1.500 metros.

Águas rasas

São as águas com profundidade de 400 metros ou menos.

Águas ultraprofundas

São consideradas águas ultraprofundas aquelas com mais de 1.501 metros.

ANP

Sigla de Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. É o órgão que regula o setor de petróleo e gás natural no Brasil. Em se tratando do cenário externo, temos ainda o API, o American Petroleum Institute, ou em bom português: Instituto Americano de Petróleo.

B

Back Testing

No mercado financeiro, temos algo bem parecido: back test, que significa analisar uma estratégia colocando-a em algum momento do passado, considerando todos os elementos daquele tempo e vendo como ela se sairia. Com relação ao Petróleo&Gás, acontece a mesma coisa, é uma “técnica que consiste basicamente na utilização de dados históricos em um modelo para avaliar a precisão de suas resposta no passado”, revela a TNPetróleo, revista especializada do setor no Brasil.

BBL

O mesmo que barril. A medida padrão para petróleo e derivados é a seguinte: 1 barril corresponde a 35 galões imperiais, a 42 galões americanos ou a 159 litros. Pode ainda ser equivalente a 0,159 m3 – mas, quanto a isso, tenha calma, você vai entender melhor quando ler sobre BOE.

BBL/D

Existe ainda a versão bpd e significa barris por dia. Nos relatórios, normalmente aparece no formato das letras em minúsculo: bbl/d, assim como bbl e até mesmo boe, que veremos na sequência.

Bloco

Sempre ouvimos falar em “Bloco tal, localizado na Bacia ou no Campo tal…”. De acordo com glossário da Petrobras, bloco é uma “pequena parte de uma bacia sedimentar onde são desenvolvidas atividades de exploração e produção de petróleo e gás natural”.

BOE

Esse é um dos termos mais usados dentro do setor de Petróleo&Gás. Na verdade, BOE é a abreviação de Barril de Óleo Equivalente. Ainda conforme o glossário da Petrobras, o BOE é “normalmente usado para expressar volumes de petróleo e gás natural na mesma unidade de medida (barris) pela conversão do gás à taxa de 1.000 m3 de gás para 1 m3 de petróleo, sendo 1 m3 de petróleo = 6,289941 barris de petróleo”. Portanto, agora você já sabe converter petróleo em gás, ou vice-versa, quando ler os relatórios!

BOEPD

O mesmo que barris de óleo equivalente por dia.

Brent

Todos os dias sai o Fechamento Petróleo aqui na ADVFN e já é de praxe você ver dois nomes: Petróleo Brent e Petróleo WTI. Na verdade, estas são classificações do petróleo, sendo que o Brent se refere aos produzidos no Mar do Norte e o WTI a oeste do Texas (West Texas Intermediate), nos EUA.

O Brent é a referência para os mercados europeus e asiáticos, enquanto o WTI é para o mercado norte-americano. Em termos de preço, o petróleo dos EUA normalmente tem um valor maior do que o do Mar do Norte, e isso não só pela questão de qualidade do produto, mas também porque se atribui a ele um custo maior de refino e de transporte.

Brent Dated

Conforme a TNPetróleo: “Cotação publicada diariamente pela Platt’s Crude Oil Marketwire, que reflete o preço de cargas físicas do petróleo Brent embarcadas de 7 (sete) a 17 (dezessete) dias após a data de fechamento do negócio, no terminal de Sullom Voe, na Grã-Bretanha”.

Bunker

Pode ser conhecido também como marine fuel. Trata-se do combustível usado para abastecer navios, sendo possível misturá-lo com o óleo diesel.

C

Cabotagem

É a navegação entre portos dentro de um país, sem perder a terra de vista.

Campo

Mais uma palavra bastante usada no setor e que, conforme a Petrobras, significa “área produtora de petróleo ou gás natural a partir de um reservatório contínuo ou de mais de um reservatório, a profundidades variáveis, abrangendo instalações e equipamentos destinados à produção”.

Capacidade instalada

Capacidade de produção, já autorizada pela ANP.

Condensado

Conforme o glossário da Petrobras, “líquido do gás natural, obtido no processo de separação normal de campo, que é mantido na fase líquida nas condições normais de pressão e temperatura”.

Cost Insurance and Freight

Custo da mercadoria incluindo o seguro e o frete. É uma modalidade de comercialização em que o exportador responde por esses custos para realizar a entrega no porto de destino ao cliente.

D

Declaração de comercialidade

Trata-se de uma declaração feita do concessionário para a ANP (ver este verbete) comunicando uma descoberta comercial na área em que mantém concessão.

Descoberta

Conforme a Queiroz Galvão (atual Enauta): “De acordo com a Lei do Petróleo, é qualquer ocorrência de petróleo, gás natural ou outros hidrocarbonetos, minerais e, em termos gerais, reservas minerais localizadas na concessão, independente da quantidade, qualidade ou comercialidade, confirmadas por, pelo menos, dois métodos de detecção ou avaliação (definição de acordo com o contrato de concessão da ANP). Para ser considerada comercial, uma descoberta deverá apresentar retornos positivos em um investimento em condições de mercado para seu desenvolvimento e sua produção”. Portanto, embora essa palavra seja muito usada, vale entender a fundo o significado, afinal uma descoberta ainda precisa ser avaliada para poder se considerar relevante.

Desenvolvimento

Refere-se às operações ou aos investimentos realizados para viabilizar a produção, seja ela de petróleo ou gás natural.

Downstream

Essa é uma palavra usada para definir “as atividades de refino do petróleo bruto e também o tratamento do gás natural, o transporte e a comercialização/distribuição de derivados”, conforme a TNPetróleo.

E

E&P

Significa exploração e produção de petróleo, ou ainda de gás natural.

EPC

Sigla de Engineering, Procurement and Construction. Segundo explicação da Queiroz Galvão (atual Enauta), é uma “empresa ou conjunto de empresas responsável pela execução das fases de projeto(s), aquisição de material e contratação de serviços, visando à construção de determinada obra”.

F

Farm-in/Farm-out

Conforme glossário da Petrobras, farm-in é o “processo de aquisição parcial ou total dos direitos de concessão detidos por outra empresa. Numa mesma negociação, a empresa que está adquirindo os direitos de concessão está em processo de farm-in e a empresa que está vendendo direitos de concessão está em processo de farm-out”. Ou seja, farm-in se refere à aquisição dos direitos de exploração e produção e farm-out equivale à venda de tais direitos.

FOB

Sigla de Free on Board (livre a bordo, em tradução livre). Nas palavras da TNPetrólio: “denomina a cláusula de contrato segundo a qual o frete não está incluído no custo da mercadoria. Valor FOB é o preço de venda da mercadoria acrescido de todas as despesas que o exportador fez até colocá-la a bordo, incluindo as taxas portuárias, de previdência, da Comissão de Marinha Mercante e outras que incidem sobre o valor do frete”.

FPSO

Sigla de Floating, Pruduction, Storage and Offloading. Conforme definição da USP: “Plataforma flutuante em um casco modificado de um navio, normalmente um petroleiro. Representa uma unidade de produção de petróleo flutuante, com unidade de armazenamento, uma unidade de processamento e com sistema de transbordo (transferência) do petróleo”.

FSO

Sigla para Floating, Storage and Offloading. Ainda conforme a USP, é uma “plataforma flutuante cuja única diferença quando comparada ao FPSO é não produzir hidrocarbonetos, só os armazena e promove seu transbordo (transferência para navios aliviadores ou dutos)”.

FSRU

Sigla para Floating Storage Regasification Unit, ou Unidade Flutuante para Regaseificação do Gás Natural. Segundo a Wilson Sons, uma das maiores agências marítimas do Brasil: “são navios que conseguem converter o gás natural liquefeito recebido à sua forma gasosa, tornando-o próprio para a distribuição aos consumidores finais”.

FSU

Sigla de Floating Storage Unid. “Unidade flutuante para armazenamento que serve apoio a outras plataformas que estão em produção”, revela a USP.

G

Gasoduto

Tubulação para o transporte de gás natural.

Grau API

Como vimos lá na letra A, API é a sigla de American Petroleum Institute, ou Instituto Americano de Petróleo. Porém, quando se fala em Grau API, isso é outra coisa, trata-se de uma forma de medir a densidade de um óleo ou derivado. Mas, vale dizer, foi o próprio órgão norte-americano (API) o criador da metodologia.

De acordo com glossário da Queiroz Galvão (atual Enauta): “A escala API, medida em graus, varia inversamente à densidade relativa, isto é, quanto maior a densidade relativa, menor o grau API. O grau API é maior quando o petróleo é mais leve. Petróleos com grau API maior que 30 são considerados leves; entre 22 e 30 graus API, são médios; abaixo de 22 graus API, são pesados; com grau API igual ou inferior a 10, são petróleos extrapesados. Quanto maior o grau API, maior o valor do petróleo no mercado”. Portanto, se isso interfere no preço, é bom ficar sabendo!

Mas é importante saber mais uma coisa: os óleos leves (encontrados no Pré-Sal brasileiro) são usados como insumos da indústria petroquímica, enquanto os pesados se transformam em asfalto e em óleo combustível.

I

In situ

Nas palavras da Queiroz Galvão (Enauta): “Volume originalmente contido no reservatório antes de qualquer produção de petróleo ou gás natural”.

IOC

Sigla de International Oil Company, ou seja, Companhias Internacionais de Petróleo. São exemplos, segundo a Wilson Sons: a PetroRio (brasileira), Shell (anglo-holandesa), ExxonMobil (norte-americana) e Total (francesa).

J

Jazida

Segundo glossário da Petrobras: “Acúmulo de petróleo, ou depósito mineral, já identificado por métodos de pesquisas diretas ou indiretas, mas ainda não dimensionado ou avaliado economicamente”.

L

LNG

Sigla de Liquefied Natural Gas, ou Gás Natural Liquefeito (GNL). Conforme a Wilson Sons: “é o gás natural purificado. Nesse processo, ele é condensado ao estado líquido por meio da redução de temperatura a 163 graus Celsius negativos. A finalidade dessa conversão é facilitar o transporte, em especial nas regiões que não são equipadas com gasodutos”.

M

Mercado spot

No qual é realizada a negociação à vista, sem contrato futuro ou de longo prazo.

N

Nafta

Conforme a TNPetróleo: “Derivado de petróleo utilizado principalmente como matéria-prima da indústria petroquímica (‘nafta petroquímica’ ou ‘nafta não energética’) na produção de eteno e propeno, além de outras frações líquidas, como benzeno, tolueno e xilenos. A nafta energética é utilizada para geração de gás de síntese por meio de um processo industrial (reformação com vapor d’água). Este gás é utilizado na produção do gás canalizado doméstico”.

O

Offshore

Que é localizado ou operado no mar. Difere de onshore (ver esse verbete).

Onshore

Que é localizado ou operado em terra.

OSRV

Segundo glossário da Petrobras: “Navio de combate a derramamento de óleo dotado de especificações que permitem trabalhar na mancha de óleo, em atmosfera onde a evaporação do petróleo produz gás natural, por isso é dotado de sistemas elétricos blindados para evitar produção de faíscas”.

OSV

São embarcações de apoio offshore (ver este verbete).

P

Poço

Perfuração realizada no solo (seja ele do mar ou da terra) para que seja possível chegar ao reservatório de óleo ou gás natural.

Pré-sal

De acordo com glossário do Comunica Bacia de Santos, site desenvolvido pela Petrobras especificamente para tratar das informações relacionadas à Bacia de Santos, o pré-sal é uma “fronteira exploratória de reservas de petróleo, localizada entre 5 e 7 mil metros de profundidade da superfície do mar. Fica abaixo de uma camada de rochas e de outra camada de sal (que pode chegar a 2 mil metros de espessura) no subsolo marinho”.

PSV

Sigla de Platform Supply Vessel. Conforme a Wilson Sons, “é uma embarcação de apoio que possui grande capacidade de armazenamento e atende às unidades de exploração, desenvolvimento e produção offshore”.

R

Reserva provada

Nas palavras da Petrobras: “Reservas de petróleo e/ou gás natural que, com base na análise de dados geológicos e de engenharia, estima-se recuperar comercialmente de reservatórios descobertos e avaliados, com elevado grau de certeza e cuja estimativa considere as condições econômicas vigentes, os métodos operacionais usualmente viáveis e os regulamentos instituídos pelas legislações petrolífera e tributária brasileiras”.

Reservas prováveis

“Quantidade de petróleo que, por meio de análises de dados de geociências e engenharia, estima-se ter a mesma chance (50%/50%) de ser atingida ou excedida”, traz a Queiroz Galvão (Enauta) em glossário.

Ring Fence

Conforme a Comunica Bacia de Santos: “Área estratégica em torno de um campo criada com o objetivo de aumentar a probabilidade de descoberta de novos campos produtores no ativo. Sua forma comum é a de um paralelogramo”.

T

TLD

Sigla para Teste de Longa Duração. Ocorre durante a fase de exploração, em que são coletados dados para se conhecer melhor os reservatórios.

U

Upstream

De acordo com a Wilson Sons: “Todo o circuito de atividades que vai da extração ao transporte de óleo bruto até as refinarias. Também pode ser definido como o conjunto de operações de produção e transporte de óleo bruto do campo produtor até a refinaria”.

Usina Merchant

“Usinas mercantis que, em geral, destinam sua energia para o mercado spot [ver este verbete]. Nessa modalidade de negócio, existem contratos de suprimento de gás natural com cláusulas que determinam a divisão dos ganhos e perdas acima do estabelecido previamente”, explica a Petrobras em seu glossário.

V

Volume recuperável

Para a TNPetróleo, trata-se de um “volume de petróleo, expresso nas condições básicas, que poderá ser obtido como resultado da produção de um reservatório, desde as condições iniciais até o seu abandono, por meio da melhor alternativa apontada pelos estudos técnico-econômicos realizados até a época da avaliação. Volume recuperável = volume original x fator de recuperação”.

W

WTI

Conforme glossário da Petrobras: “Petróleo com grau API entre 38 e 40 e aproximadamente 0,3% de enxofre, cuja cotação diária no mercado spot [ver este verbete] reflete o preço dos barris entregues em Cushing, Oklahoma, nos Estados Unidos”.

Gostou deste conteúdo? Comenta aqui embaixo e conta pra gente também qual outro setor você gostaria de saber as palavras mais usuais. E não se esqueça de compartilhar este material com seus amigos que também investem em Petróleo&Gás, é bastante útil!

Deixe um comentário