BR Properties (BRPR3): lucro líquido de R$ 13,4 milhões, queda de 7% com aumento da despesa financeira

LinkedIn

A BR Properties, empresa de investimento em imóveis comerciais de renda, registrou lucro líquido de R$ 13,4 milhões no primeiro trimestre, queda de 7% na comparação anual. A piora do resultado deveu-se ao aumento de 136% da despesa financeira líquida, para R$ 17,2 milhões.

Segundo a empresa, a captação de R$ 400 milhões e a alta da Selic contribuíram para a maior despesa financeira. A rubrica “outras despesas operacionais”, no valor de R$ 12,2 milhões, também teve participação na queda do lucro. Desse total, R$ 10,5 milhões resultou de baixa contábil (“impairment”) de antigos sistemas da companhia.

A receita líquida teve um aumento de 8%, para R$ 82,3 milhões. Vale destacar que 26.239 m² de novas locações já contratadas ainda não foram contabilizadas nos resultados do 1T21.

O Ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – ajustado foi de R$61,1 milhões no 1T21, representando um aumento de 14% quando comparado ao 1T20. A Margem EBITDA no trimestre foi de 74%

A BR Properties registrou, de janeiro a março, seu melhor primeiro trimestre em novas locações dos últimos sete anos. O volume de novas locações chegou a 11.896 metros quadrados de área bruta locável (ABL), incluindo São Paulo e do Rio de Janeiro. Entre os novos inquilinos, estão empresas de tecnologia — com destaque para a IBM, que alugou 5.090 metros quadrados do Ventura, no Rio —, energia e consultoria.

Considerando-se o valor médio de locação por metros quadrados das mesmas propriedades, houve aumento nominal de 12,1%, no trimestre, na comparação anual. Em relação ao quarto trimestre, a alta foi de 7,6%. A expansão foi puxada por reajustes dos contratos vigentes.

A BR Properties tem elevado seus contratos pelo Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) nos casos em que, com esse reajuste, o valor da locação não ultrapassa o de mercado. Se necessário, utiliza parte da variação do indexador ou faz a correção pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Atualmente, 80% dos contratos são indexados ao IGP-M, ante 90% no fim de 2019.

A taxa de vacância física da companhia cresceu de 20,1% para 21,2%, na comparação anual, mas a vacância financeira teve queda de 19,3% para 18,6%.

Os resultados da BR Properties (BOV:BRPR3) referentes às suas operações do primeiro trimestre de 2021 foram divulgados no dia 05/05/2021. Confira o Press release na íntegra!

VISÃO DO MERCADO

Credit Suisse

O Credit Suisse destacou que o resultado foi em linha com a expectativa do mercado. O banco destaca que a empresa registrou atividade recorde de locação no trimestre, adicionando 1,4 mil metros quadrados e melhorando o saldo de vacância da empresa. O banco diz que a BR Properties continua focada em melhorar seu portfólio após a venda de dois ativos no trimestre.

Credit Suisse mantém recomendação neutra com preço-alvo de R$ 10,00.

Deixe um comentário