Gerdau (GGBR4): lucro líquido de R$ 2,4 bilhões no 1T21, alta de mais de 1000% beneficiado pela alta do aço e câmbio

LinkedIn

A Gerdau registrou lucro líquido ajustado de R$ 2,471 bilhões no primeiro trimestre de 2021, alta de 1.016% na comparação anual, ou ganhos de 134% frente os R$ 1,057 bilhão do quarto trimestre de 2020, em desempenho beneficiado pela recuperação econômica da pandemia, alta no preço do aço e taxa de câmbio favorável.

A receita líquida somou R$ 16,3 bilhões, alta de 77% ante o mesmo período de 2020, ajudada pela apreciação do dólar frente ao real, que impactou positivamente as receitas das operações da companhia na América do Norte. A alta foi de 20% frente o quarto trimestre de 2020.

O Ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – ajustado mais do que triplicou, para R$ 4,318 bilhões, com a margem avançando para 28,4%, de 12,8% no primeiro trimestre de 2020.

A produção de aço bruto teve queda de 1% no trimestre quando comparado ao mesmo período do ano anterior, para 3,151 milhões de toneladas.

O custo das vendas subiu 50% devido ao aumento do volume e ao encarecimento das principais matérias-primas da companhia. A sucata, por exemplo, teve aumento de 77% no período, enquanto o minério de ferro ficou 94% mais caro.

As vendas de aço cresceram 15%, para 3,08 milhões de toneladas, acompanhando a tendência de retomada dos principais setores consumidores nos países em que a Gerdau atua. O volume de aço bruto produzido caiu 1%, para 3,15 milhões de toneladas.

Com relação à operação Brasil da Gerdau — que exclui a operação de aço especial —, as vendas aumentaram 31% no trimestre até março no mercado doméstico. As vendas para a exportação representaram apenas 4% do total da operação.

A receita total da operação aumentou 102%, para R$ 6,88 bilhões. Com exportações, a receita somou R$ 192 milhões, queda de 53%.

No trimestre, a Gerdau comercializou 145 mil toneladas de minério de ferro para terceiros e 718 mil toneladas foram utilizadas para consumo interno.

O índice de alavancagem da Gerdau, medida pela relação entre dívida líquida e Ebitda, saiu de 1,25 vez no quarto trimestre de 2020 para 0,96 vez nos três primeiros meses de 2021. A redução foi atribuída pela companhia ao aumento do Ebitda ajustado de cerca de 3,7 vezes.

Com o resultado, a administração da companhia atingiu um dos objetivos da política financeira, que é de manter a alavancagem entre 1 vez e 1,5 vez.

A Gerdau vai pagar dividendos no valor de R$ 0,40 por ação ordinária ou preferencial referentes aos resultados do primeiro trimestre. O pagamento será feito no dia 26 de maio aos investidores com papéis no dia 14 de maio. A partir de 17 de maio, os papéis serão negociados “ex-dividendos”.

Os resultados da Gerdau (BOV:GGBR3) (BOV:GGBR4) referentes suas operações do primeiro trimestre de 2021 foram divulgados no dia 05/05/2021. Confira o Press Release completo!

Teleconferência

A Gerdau reiterou a previsão de investir globalmente R$ 3,5 bilhões, sendo R$ 1,5 em manutenção geral, R$ 862 milhões em manutenção Ouro Branco e R$ 1,1 bilhão em manutenção geral. No primeiro trimestre, a companhia investiu em ativo imobilizado (Capex) globalmente.

“Esperamos forte demanda por aço este ano, devido aos investimentos em  infraestrutura, especialmente na América do Norte”, disse Gustavo Werneck,  diretor-presidente da Gerdau, em teleconferência com jornalistas.

Como parte deste aporte global, a empresa está investindo aproximadamente R$ 1 bilhão na modernização e ampliação de suas operações de aços  especiais no Brasil, em linha com as perspectivas positivas de retomada dos setores automotivo e de máquinas e equipamentos. O foco dos investimentos está nas unidades produtoras de aço localizadas em Pindamonhangaba (SP), Charqueadas (RS) e Mogi das Cruzes (SP), que terá sua aciaria reativada no segundo semestre.

“Estamos nos preparando para atender a demanda de aços especiais para os próximos dez anos”, disse. Segundo o executivo, am abril, a companhia começou a reduzir as exportações para atender a demanda dos clientes no Brasil, que teve forte demanda por aços especiais, impulsionado, em parte, pelo segmento de caminhões leves. A companhia prevê bons resultados impulsionados pelo mercado de máquinas para o setor agrícola e caminhões.

Em agosto de 2022, a fábrica de Sorocaba deve estar preparada para produzir conforme a demanda projetada.

Nos Estados Unidos, onde registrou uma forte entrada de pedidos, especialmente no setor de construção, com carteira de pedidos equivalente a  três meses de compra, a companhia está investindo cerca de US$ 33 milhões na  fábrica em Petersburg, Georgia, em uma nova etapa de modernização que inclui  atualização tecnológica do laminador de aços estruturais, com foco na ampliação do mix de produtos e com maior valor agregado.

“Temos boas perspectivas com o programa de investimentos em infraestrutura anunciados pelo governo dos Estados Unidos”, disse Gustavo Werneck, diretor-presidente da Gerdau.

Ainda na América do Norte, a companhia fará investimentos na planta de Whitby, no Canadá.

Em relação aos destaques financeiros, a Gerdau informou que o percentual dos dividendos sobre os juros de capital próprio (dividend yield) subiu de 2,1%, no final do ano passado, para 9,2% nos últimos doze meses encerrados em março e que encerrou o trimestre com alavancagem de 0,96 vez, abaixo do patamar estipulado para o ano.

VISÃO DO MERCADO

BTG Pactual 

O BTG Pactual afirmou, que a Gerdau apresentou um conjunto de resultados bastante forte, muito acima das expectativas do banco e do consenso do mercado. Esses números foram impulsionados, principalmente, pelos preços mais altos do aço no Brasil.

A relação dívida líquida sobre o Ebitda está agora abaixo de 1 vez, e deve ir para menos de 0,5 vez nos próximos trimestres, segundo o banco.

Segundo o relatório: “Do lado operacional, as unidades de negócios estão disparando, com o Brasil sendo o principal destaque: as margens Ebitda agora atingiram 36,9% (de 30,9%) – eliminando as preocupações de pressões de margem no trimestre”.

A Gerdau é ação favorita do BTG Pactual no segmento de aços, negociando em torno de 4,3 vezes o Ebitda projetado para 2021.

“A Gerdau reúne uma série de qualidades que valorizamos: forte crescimento de receita, baixa alavancagem, geração de caixa e atuação temática (setor imobiliário). Acreditamos na força estrutural dos mercados imobiliários no Brasil e esperamos que a demanda por aços longos se transforme em uma história de crescimento de vários anos”, diz o relatório.

Pela primeira vez em anos, o BTG diz acreditar que a empresa está bem posicionada para repassar aumentos de preços e superar as expectativas.

“Também acreditamos que há um potencial de valorização com a expansão da lucratividade nos Estados Unidos com o pacote Infraestrutura que está por vir, e a Gerdau é um dos poucos beneficiários do Ibovespa”, completou.

BTG Pactual tem recomendação de compra com preço-alvo de R$ 37,00…

Credit Suisse

O Credit Suisse afirmou que os resultados da Gerdau, foram positivos, com aumento de margem em todas as linhas, refletindo a maior demanda dos mercados globais por aço e o aumento dos preços do produto.

“Embora o prêmio de paridade de importação para longos permaneça em 0,6%, confortável em nossos cálculos, acreditamos que aumentos adicionais de preço podem continuar ocorrendo nos próximos meses e isso deve ajudar a Gerdau a manter um nível saudável de lucratividade e compensar os custos mais altos de matéria-prima”, diz o banco.

Uma vez que os números ficaram bem acima das expectativas, o banco afirmou que espera por uma reação positiva aos resultados. As ações estão correspondendo às previsões e estão em alta de 5,55% na B3, negociadas agora a R$ 28,55.

Segundo o banco, em contraste com 2020, os analistas acreditam que em 2021 o mercado brasileiro de aços planos deve superar os longos com um crescimento de 10% ano a ano, contra 7% de crescimento dos longos, e os números mostram que o mercado já precificou amplamente a grande recuperação dos resultados da Gerdau em 2021.

“Vemos a Gerdau entregando um retorno de 9%, abaixo de seus pares, e além disso, a Gerdau exporta consideravelmente menos minério de ferro do que seus pares no Brasil e deve perder o vento a favor dos preços mais altos do minério de ferro”, diz o banco.

Credit Suisse mantém recomendação neutra com preço-alvo em R$ 33,50…

XP Investimentos

A XP ressalta que os principais destaques foram os preços mais fortes em todas as unidades de negócios, resultando em margens saudáveis em praticamente todas as linhas. O Fluxo de Caixa Livre foi de R$ 1,1 bilhão, com o forte resultado operacional sendo parcialmente compensado pela recomposição do capital de giro (queda de R$ 2,6 bilhões). A dívida líquida atingiu R$ 10,8 bilhões (de R$ 9,9 bilhões no quarto trimestre), enquanto a alavancagem, medida pela razão entre dívida Líquida e o Ebitda, caiu para 0,98 vez, contra 1,25 vez no quarto trimestre

XP mantém recomendação de compra com preço-alvo em R$ 32,00…

Deixe um comentário