Ultrapar assina contrato de venda da Extraframa com Pague Menos por R$ 700 milhões

LinkedIn

A Ultrapar Participações anuncia a assinatura de contrato para a venda da totalidade das ações da Imifarma Produtos Farmacêuticos e Cosméticos (“Extrafarma”) para a Empreendimentos Pague Menos, o valor total da venda é de R$ 700 milhões.

O fato relevante foi feito pela empresa (BOV:UGPA3),  nesta terça-feira (18). Confira comunicado na íntegra.

Este valor está sujeito a ajustes em razão principalmente das variações de capital de giro e da posição da dívida líquida da Extrafarma na data de fechamento da transação.

Em consistência com o que vem informando aos seus acionistas e ao mercado de capitais, a Ultrapar está em processo de revisão de seu portfólio de negócios, buscando maior complementariedade e sinergias, com investimentos centrados nas oportunidades existentes na cadeia downstream de óleo e gás no Brasil, na qual possui forte escala operacional e conta com vantagens competitivas estruturais, permitindo maior eficiência e potencial de geração de valor.

O foco da gestão e a redução da alavancagem são benefícios adicionais da transação para a Ultrapar. Para a Pague Menos, a combinação com a Extrafarma acelerará seu plano de expansão, ampliará sua presença nas regiões Norte e Nordeste e a transformará na segunda maior rede de farmácias no Brasil em número de lojas.

O pagamento da transação será em três parcelas: 50% na data de fechamento e 25% em cada aniversário de um e dois anos do fechamento, com fiança prestada por acionista como garantia para as duas últimas parcelas.

A consumação da transação está sujeita a determinadas condições usuais em negócios desta natureza, incluindo aprovação pelas autoridades concorrenciais brasileiras e pela assembleia geral de acionistas da Pague Menos, nos termos do artigo 256 da Lei das S.A., a ser oportunamente convocada pela empresa compradora, já referendada por seu acionista controlador.

Será concedido, ainda, direito de preferência aos acionistas da Ultrapar que desejarem adquirir ações da Extrafarma, na proporção das respectivas participações no capital social da Ultrapar e pelo mesmo preço por ação a ser pago pela Pague Menos, nos termos do artigo 253 da Lei das S.A.

Os acionistas da Ultrapar que exercerem tal direito passarão a ser acionistas diretamente da Extrafarma, companhia de capital fechado e sem liquidez.

A Ultrapar convocará brevemente uma assembleia geral de acionistas na qual será formalizado o oferecimento do referido direito de preferência, com o detalhamento do procedimento para o seu eventual exercício.

A Extrafarma e a Pague Menos manterão o curso normal de seus negócios de maneira independente até o fechamento da transação.

Ultrapar (UGPA3): lucro líquido de R$ 137 milhões no 1T21, queda de 19%

Ultrapar obteve lucro líquido de R$ 137 milhões no primeiro trimestre de 2021, queda de 19% e 68% na comparação anual e trimestral, fruto do aumento na despesa financeira líquida e de créditos tributários extemporâneos registrados no 1T20 e 4T20, parcialmente compensados pelo maior ebitda.

receita líquida, que consolida os resultados de Ipiranga, Oxiteno, Ultragaz, Ultracargo e Extrafarma, totalizou R$ 23,95 bilhões, alta de 12% ante o mesmo trimestre do ano anterior. Em relação ao 4T20, a receita líquida cresceu 3%, reflexo principalmente do maior faturamento na Ipiranga.

Ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – ajustado aumentou 5% na comparação anual, para R$ 996 milhões. Sem considerar os ajustes, o ebitda teria sido o mesmo, mas 15% acima do apurado um ano antes.

A Ultrapar apresentou despesa financeira líquida de R$ 377 milhões, acima dos R$ 187 milhões de um ano antes, devido à desvalorização cambial.

Segundo a administração da Ultrapar, todos os negócios do grupo tiveram crescimento de Ebitda, o que mostra resiliência, apesar da continuidade da pandemia e uma nova onda de restrições.

geração de caixa caiu de R$ 932 milhões no primeiro trimestre de 2020 para R$ 128 milhões no mesmo período de 2021 devido ao maior investimento em capital de giro neste ano realizado após o aumento dos preços de combustíveis e do gás.

VISÃO DO MERCADO

Credit Suisse

O Credit Suisse avalia que há um desafio para melhorar os resultados das operações da Extrafarma, mas enxerga o negócio como positivo, devido ao valor atrativo da empresa. O banco mantém visão positiva sobre a Pague Menos, já que opera em um mercado mais resiliente, cujos resultados superaram outras empresas do varejo. Apesar de o futuro do mercado ser incerto, a empresa está em posição de capturar uma boa melhora do Ebitda.

Credit Suisse mantém recomendação de compra com preço-alvo de R$ 13,50…

Itaú BBA

O Itaú BBA classificou o anúncio como positivo para a Pague Menos, destacando ainda a habilidade da empresa de reduzir seu endividamento, seu histórico de recuperação de resultados de empresas após esse tipo de negócio.

Itaú BBA mantém recomendação de compra e preço-alvo para 2021 de R$ 13,00…

Deixe um comentário